O EXORCISTA: VERSÃO PRESERVADA DE CINEMA (Quadri Áudio) – 1973

THE EXORCIST- 1973
HORROR
DIREÇÃO: William Friedkin
ROTEIRO: William Peter Blatty
IMDb: 8,0 http://www.imdb.com/title/tt0070047/

RMZ – QUADRI ÁUDIO – DUBLAGEM CLÁSSICA HR (VERSÃO EXCLUSIVA)

Postado por Bruno C.

Formato: MKV
Qualidade: DVDRip
Tamanho: 2,65 GB
Duração: 122 min.
Legenda: Português
Áudio 01: (SELECIONÁVEL): Português (Dublagens e redublagens Herbert Richers e redublagem Wan Märcher) / Inglês
Servidor: Mega (parte única)
Crédito Áudio D. Clássica e RMZ: Edfilmes
Remasterizador dessa versão e Uploader: Bruno C.

NOTA DO UPLOADER:

Hoje trago um fanedit de O Exorcista feita que restaura a versão original de cinema de 1973.

Mas o que é um FANEDIT?

Um fanedit é uma “edição feita por um fã”, onde um editor amador ou profissional pega um filme lançado e o edita de modo a cortar ou adicionar cenas, mudar a trama e tudo mais.

Há vários tipos de fanedits, este se trata de um fanedit de PRESERVAÇÃO. Um dos fanedits mais famosos de preservação é a trilogia STAR WARS DESPECIALIZED onde um fã retirou todos os efeitos digitais recentes da trilogia GUERRA NAS ESTRELAS para que ficasse igual à versão original lançada nos cinemas (e até hoje não disponibilizada em DVD ou Blu Ray por George Lucas nem pela Disney).

Muitos não percebem e não é muito divulgado que O EXORCISTA sofreu algumas alterações desde o seu lançamento nos cinemas em 1973. A intenção desse fanedit é restaurar a versão original de cinema de 1973.

Atenção, não confundam com a VERSÃO DE CINEMA que já existe em Blu Ray nacional e internacional. Até essa versão de cinema apresenta diferenças da versao de cinema de 1973.
Como esta versão nunca foi disponibilizada oficialmente pela Warner em DVD ou Blu Ray, você nunca a encontrará em nenhum lugar, a não ser aqui no Tela de Cinema!

Este fanedit foi feito por Dr. Sapirstein em 2013 usando de diversas fontes, entre elas:

* O DVD de 1997 (USA).
* O VHS de 1982 (UK, PAL).
* O VHS de 1987 (USA, NTSC).
* uma gravação em VHS da TV (1986).
* O laserdic Japonês (1998).
* A versão em 8mm (1978).
* Partes de uma película desgastada de 1973 em 35mm
* varias fotos e slides em 35mm.
* O BluRay de 2010 (disc 2, “corte original” remasterizado).
* A trilha sonora do filme em CD (Japão).

Leia o depoimento do Dr. Sapirstein:

“Esta é uma restauração do clássico de horror definitivo, apresentando o filme em sua versão original como vista em 1973 e depois…nunca mais.

Na época de seu lançamento, O EXORCISTA teve um visual e estética sonora distintas. As cores eram poucas e a paleta dominante era verde e era visualmente escura. A faixa de som mono era revolucionária àquela época e chegou a ganhar o Oscar de melhor som. Mas essa versão original das salas de cinema nunca foi lançada em DVD ou BluRay, apesar dos muitos lançamentos do filme nos anos recentes.

Tendo feito mais de $100 milhões em sua primeira exibição, o Exorcista foi relançado em 1979 em uma cópia revisada em 70mm.
Essa versão era mais clara e mais colorida com muitas alterações/saturações de cores, contraste e mais. A cor verde dominante se foi. Também foi usada uma trilha de áudio diferente – dessa vez em Dolby Stereo. Essa foi a versão usada para criar a TELECINEMA (um tipo de matriz) que seria usada para todo lançamento em home video ( VHS, LD, DVD) até o ano 2000. A maioria desses lançamentos foi apresentada em 1:33 pan & scan, mas alguns sairam em letterbox 1.85 com um pouco de zoom. Alguns segundos foram cortados da cena em que a cama balança. Mas o pior está por vir…

2010 foi o ano do lançamento do BluRay/DVD duplos da “VERSÃO QUE VOCÊ NUNCA VIU”. O segundo disco teria que ter uma suposta versão remasterizada do lançamento original de cinema. Que azar!
Nessa versão “original” foi adicionada uma cor azul forte que mais parecia saída do ‘Avatar’do que de um filme de terror sombrio dos anos 70. Essa versão também incluía alguns brindes (vistos na “VERSÃO QUE VOCÊ NUNCA VIU”) como o morph em CGI no rosto do Padre Karras durante sua possessão, ao invés do corte seco original. A trilha sonora em MONO também foi modificada e na verdade foi feita através da versão Dolby de 2 canais de 1979.Resumindo, o lançamento foi uma bagunça e decepcionante em vista do trabalho que tiveram para fazer as versões em BR e DVD.

A resposta do público foi inequívoca e quase unânime – desapontamento extremo.

Muitas fontes foram usadas para determinar como o filme e o som pareciam em 1973. Ao determinar como seria a estética de cada cena, a versão do BluRay em 1080p foi usada como base e
retrabalhada completamente (correção de cores,definição, granulação e contraste/brilho) para obter uma recriação do lançamento original de cinema, antes dos poderosos decidirem dar o tratamento George Lucas.

Filme restaurado: todo o filme foi modificado cena a cena para recrear sua definição original, como a cor e estética esverdeada.

Cenas restauradas:

O logo/vinheta original da Warner Bros. dos anos 70
A cena inicial do sol no Iraque foi restaurada com cores
O infame corte-seco sem CGI do Padre Karras sendo possuído foi limpo e restaurado.

Áudio restaurado:
A trilha de áudio ganhadora do Oscar em MONO foi restaurada

(track 1)
A trilha de áudio de 1979 em Donlby remix

(track 2)
DTS 5.1 mix, criada com a faixa mono de 1973 e a remasterização de 2010

(track 3)
Dublagem mono em Francês (track 4)”

COMPARAÇÃO ENTRE AS VERSÕES:

Aproveitando o estupendo release de O EXORCISTA em Penta Áudio pelo EDFILMES, pedi permissão a ele e resolvi montar um arquivo em MKV inserindo todas as dublagens disponíveis e fazer uma remasterização específica para este fanedit.

O que eu fiz:

RMZ de todas as dublagens tendo como base os áudios e a remasterização da versão estendida feita pelo EDFILMES. Os tracks ficaram assim:

1- A trilha MONO (inglês)
2- A trilha de 1979 em Dolby remix (inglês)
3- DTS 5.1 mix (inglês)
4- Dublagem clássica Herbert Richers (SBT, HBO, BluRay)
5- Redublagem Herbert Richers (Rede Globo)
6- Redublagem Wan Märcher (Avião)

Eu apaguei a faixa da dublagem em francês para não ocupar mais espaço e também a da Wan Märcher para a versão estendida pois como não é uma dublagem feita especificamente para a versão sem as cenas adicionais, achei que não caberia tê-la aqui.

Também inseri uma faixa de legendas em português.

Muitos podem torcer o nariz porque o fanedit contém o nome do Dr. Sapirstein na tela de título do filme. Eu também não gostei muito, mas segundo o próprio, ele fez isso porque pessoas estavam vendendo o filme, e FANEDITS não podem ser vendidos.Mas recentemente o Dr. Sapirstein disse que está trabalhando numa nova versão e ele está utilizando uma película de cinema original da época! Vamos esperar!

Para conhecer o trabalho dele acesse: AQUI


LINK O EXORCISTA: VERSÃO PRESERVADA DE CINEMA

 

SENHA: BRUNOC&TELADECINEMA  (TUDO MAIÚSCULO)

 

Em Georgetown, Washington, uma atriz vai gradativamente tomando consciência que a sua filha de doze anos está tendo um comportamento completamente assustador. Deste modo, ela pede ajuda a um padre, que também um psiquiatra, e este chega a conclusão de que a garota está possuída pelo demônio. Ele solicita então a ajuda de um segundo sacerdote, especialista em exorcismo, para tentar livrar a menina desta terrível possessão.


Ellen Burstyn … Chris MacNeil
Max von Sydow … Father Merrin
Lee J. Cobb … Lt. William Kinderman
Kitty Winn … Sharon
Jack MacGowran … Burke Dennings
Jason Miller … Father Karras
Linda Blair … Regan


# país: EUA
# duração original: 122 min
# estúdio: Warner Bros., Hoya Productions
# distribuidora: Warner Bros.

47 comentários para O EXORCISTA: VERSÃO PRESERVADA DE CINEMA (Quadri Áudio) – 1973

  • maximo  Disse:

    Papai noel pegou pesado muito obrigado Bruno C.

  • fredpillon  Disse:

    Muito bom esse projeto, Bruno! Obrigado (já perdi a conta de quantas versões do filme eu tenho por aqui agora… haha).

    • Bruno C.  Disse:

      Acho que essa é a última mesmo, hehe. Mas o filme é tão bom que qualquer versão vale a pena!

  • suntzu  Disse:

    Não levem a mal, não. Mas “O Exorcista” no dia de Natal? Ed/Bruno são satanistas?

    • Edfilmes  Disse:

      Não amigo, não somos nenhum tipo de satanistas, aqui agente não leva em conta nem gênero e nem época para lançamento de qualquer filme, o filme em questão pode não agradar a uma parcela de pessoas que esperam qualquer coisa relacionada ao natal, mas na mesma proporção agradará a muitos que curte um bom filme. Logo então por se tratar de um site democrático, agente verá qualquer gênero de filmes postados nos variados períodos do ano, dessa forma tentamos agradar a todos da melhor maneira possível.

    • jefspfc  Disse:

      kkkkkkkkkkkkkkkkk, esses dias perguntaram isso pq eu uso bitrate 1666 em alguns reencodes

    • Bruno C.  Disse:

      Poxa, eu arrumo o fanedit “perdido” do Dr. Sapirstein (que recebeu até ordem da Warner pra tirar do blog dele), uma versão rara do filme e ainda insinuam que eu sou satanista? Eu acho que é exatamente o contrário, estou mais perto do Reino dos Céus! hahahahaha

      • suntzu  Disse:

        KKKKKKKKKKK. Só pra não haver mal entendio algum, quero deixar claro que o comentário foi só uma “espetada” amigável. Eu mesmo sou fã de Terror/Horror, já assisti a quase tudo da Hammer, por exemplo. Sou fã do Christopher Lee! E dois de meus filmes preferidos, que já perdi a conta de quantas vezes revi, são o “Fausto”, de Jan Švankmajer, e “O Último Portal”, de Roman Polanski! Mas, vá lá, estava ouvindo músicas natalinas aqui, e cheio daquele “espírito de natal”, abro o site, e dou de cara com o capeta! KKKKKKK. Sacanagem. Mas realmente, um grande trabalho. Gosto muito da abertura do filme, e recuperá-lo na sua versão original de exibição é um trabalho digno de louvor. Parabéns Bruno C.

  • jefspfc  Disse:

    link não abre aqui. Será q eh meu celular que tá doido?

  • Sr. T  Disse:

    Excelente projeto, Bruno! Há tempos estou atrás da versão original de cinema desse clássico do horror que, em minha modesta opinião, é o melhor e maior filme de horror de todos os tempos. Parabéns por essa postagem sensacional, Bruno!

  • marcio chines  Disse:

    Oi, o mega esta pedindo uma senha para descriptografar, coloquei “BRUNOC&TELADECINEMA”, mas não funcionou.
    Obrigado pelo grande post!!!

    • Edfilmes  Disse:

      Bem amigo, usei essa senha descrita e descompactei sem qualquer problema, veja logo abaixo na imagem:

      Enfim, usei a senha exatamente como pede, tudo em maiúsculo. Copie a mesma se quiser: BRUNOC&TELADECINEMA , mas cuidado para não copiar espaços em branco, pois as vezes isso pode ocasionar erros.

      Espero que consigas!

      • marcio chines  Disse:

        O problema era no site do mega mesmo, pedia uma senha de criptografia para visualizar a pagina,
        eu colocava a senha e dava erro, ai cliquei no botão voltar do navegador e funcionou.
        Obrigado pela ajuda!

        • Bruno C.  Disse:

          Talvez tenha sido o navegador mesmo. Eu deixei a chave de decodificação liberada. No Chrome deu tudo certo.

        • Bruno C.  Disse:

          Eu deixei a chave de decodificação liberada, talvez foi o navegador mesmo. Aqui com o Chrome deu tudo certo

          • Piero  Disse:

            Olá, Bruno! Parabéns pelo post!
            Não estou conseguindo acessar o link do mega! Está dando erro e não consigo baixá-lo!
            Poderia checar e me auxiliar, por favor?
            Grato!

      • Edfilmes  Disse:

        Hahahaha… pensei que fosse problema na extração, li sem prestar atenção rsrsrsrs… mas ainda bem que se resolveu.

  • dennie  Disse:

    De fato, pelo mozilla dava esse problema de pedir a chave de decodificação, a saber, a chave é NhWdmtqcvrZYHVN46jMaVW5nGM3bMMXvCAN3oMo9yWg , só copiar e colar!

    • luciano1974  Disse:

      Cara muito obrigado,sem essa chave eu ñ ia conseguir baixar,aquela senha ñ serviu para mim só dava erro,e com essa chave deu tudo certo.Só ñ sei onde vc conseguiu 🙂 .Um abraço.

  • GiovanniMenezes  Disse:

    Ta com o problema da chave de descriptação ainda ja tentei voltar e tudo e em outros navegadores e continua com o erro ainda.

  • GiovanniMenezes  Disse:

    Valeu dennie agora que fui ver seu comentario e a chave de decodificação valeu obrigado.

  • Thiago  Disse:

    Bem interessantes as informações sobre este lançamento. Muitas vezes a gente não faz ideia de como os filmes são modificados pelos estúdios ao longo dos anos. Já assisti “O Exorcista” várias vezes (a última esse ano no Clássicos Cinemark) e nunca notei essa diferença de cor. Olhando as screens vejo como realmente difere de um lançamento para o outro. O tom azul usado na edição de 2010 chega a ser absurdo de tão forte.

    No mais, parabéns por este incrível lançamento!

  • Wagner S.  Disse:

    Que belo trabalho Bruno, parabéns e muito obrigado por essa versão exclusiva!

  • Julian  Disse:

    Muito legal, Bruno C. Já vi o filme algumas vezes em diferentes mídias, desde um raro VHS original da versão antiga do filme que ainda guardo, exibição da Globo, SBT, depois no cinema em 2001 quando estreou a ‘versão que você nunca viu”, DVD e Blu-ray e nunca me detive nessa questão das cores. Acho que o único filme que percebi uma mudança gritante de cores quando lançado em DVD foi “Fome de Viver” (1983) que ganhou esse mesmo tratamento que deixa tudo meio azulado e detestei… Quando um diretor junto com o diretor de fotografia cria uma obra cinematográfica eles têm esses aspectos de cores e tonalidades em mente, faz parte da obra, e acho uma sacanagem tempos depois alguém deturpar tudo com essas ‘correções’ de cores que acabam mudando drasticamente a ‘estética’ do filme para dar um ar mais atual com tonalidades que visam ‘rejuvenescer’ e modernizar filmes antigos (tem vários exemplos disso no Youtube, comparando cores de VHS, DVD e Blu-ray)… Nessa comparação que você postou com as fotos de O Exorcista é chocante a diferença de tons… Particularmente achei as cores da versão em DVD mais naturais, detesto esse tom super azul da versão Blu-ray, mas também não curti o tom esverdeado da versão do Dr. Sapirstein, tenho um pouco de implicância com esses tons monocromáticos mas é gosto pessoal… De qualquer forma é ótimo poder assistir ao filme de modo mais próximo de como o diretor o concebeu na sua versão original de cinema, sou fã do DrSapirstein que sempre faz trabalhos impressionantes de ‘preservação’ e fan edits. Valeu pela excelente postagem, Bruno C., esse vai pra coleção! Abs! 🙂

  • farra4ever  Disse:

    Obrigado.

  • highlander  Disse:

    Meu SuperMegaObrigado pelo presente de Papai Noel de fim de ano!!! Rindo d+ até 2016 com o comentário do Suntzu..Tá louco….Valeu Bruno C. e Edfilmes. Vcs são demais!

  • Uilian  Disse:

    Excelente lançamento, parabens Bruno C., o exorcista é o melhor e maior filme de terror de todos os tempos, muito obrigado, valeu.

  • FelipeS  Disse:

    Caramba!!!

    Fiquei impressionado aqui com as informações nesse post, quando você acha que sabe de quase tudo sobre a 7 arte, descobre que não sabe quase nada… Rs

    Não sabia que existia esses trabalhos de Fanedit e estou impressionado com a qualidade que foi feito, dando de 10000000 a 0 nessas grandes produtoras.

    Sempre fui fã de “O Exorcista”, baixei a versão do Edfilmes e agora vou ter essa versão também, até possuo em VHS Duplo “A Versão que Você Nunca Viu”.

    Grande Trabalho do Dr. Sapirstein, realmente incrível.

    Mais uma vez o Tela de Cinema nos brindando com ótimos filmes e qualidades excelentes e impecáveis.

    Muito Obrigado Dr. Sapirstein, Bruno e Edfilmes pela realização desse post.

    Obs: Sera que não seria possível o TELA DE CINEMA realizar uma parceria com o Dr. Sapirstein para disponibilizar os filmes Fanedit dele aqui. Olhei o catalogo dele e é de dar inveja em qualquer cinéfilo.

    Forte Abraço.

    • Bruno C.  Disse:

      FelipeS, coloquei o link pro blog do Dr. Sapirstein no final do post. Lá a maioria dos fanedits podem ser baixados através de torrent.

      Obrigado pelos elogios!

  • Ferrari  Disse:

    Eu achei que a versão de cinema a menina descia da escada de ponta cabeça, percebe-se que ali teve um corte……
    as luzes da casa quando acontece o fenômeno não pisca e não aparece as caras no escuro…..
    Eu esperava bem mais da tal versão do cinema … Pois tenho a versão que vc nunca viu e ..e a versão do diretor…. achei que da mais medo…!

    • Sr. T  Disse:

      Na verdade, esta cena (a da garota descendo as escadas como uma aranha) realmente não aparecia na versão original de cinema. Segundo o próprio diretor William Friedkin, em uma entrevista da época do lançamento da versão estendida (a versão do diretor), ele teve que cortar a cena da versão de cinema devido ao fato de que teria sido muito difícil e muito mais trabalhoso fazer com que os cabos que levavam a a dublê que substituiu Linda Blair na cena, a contorcionista Linda R. Hager, desaparecessem da cena. A cena chegou a aparecer no documentário The Fear of God, que abordava os bastidores da produção de O Exorcista, e que foi lançado na edição comemorativa de 25 anos do filme, em VHS e DVD, mas mesmo assim ela não ela foi inserida no filme. Apenas em 2000, quando Friedkin pôde trabalhar na versão estendida do filme, a chamada “Versão que Você Nunca Viu” , com o diretor tendo a mão os recursos de CGI atuais, é que a cena finalmente foi inserida, com os cabos apagados digitalmente, e com sangue digital inserido na boca da garota. De qualquer modo, eu gosto tanto da versão de original de cinema de 1973, pois eu assisti essa versão em VHS, quanto da versão estendida, que pude ver no cinema. O filme é tão clássico que merece ser visto em todas as versões.

  • allexbizzu  Disse:

    post show!

  • Darth Douglas  Disse:

    meus parabéns pela postagem Bruno, não tenho como agradecer por disponibilizar esse trabalho, o Exorcista com suas várias dublagens é algo que eu busco desde que descobri sobre elas ainda na época do orkut vagando por comunidades de dublagem, é um sonho realizado, agora com a trilogia Star Wars, Poderoso Chefão com suas dublagens (e vários clássicos que consegui aqui) sinto que minha coleção de filmes preferidos está completa, só gostaria de fazer um questionamento: tem certeza que essa paleta esverdeada desta versão é o mais próximo do que foi lançado em 73? pergunto isso prq esse tipo de paleta monocromática era algo muito difícil de se conseguir só com direção de fotografia antes da era digital, que como sabemos, hoje só basta tacar um filtro verde musgo pra deixar qualquer “Crepúsculo” com cara de “filme sombrio” não é preciso voltar muito no tempo, “A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça” do Tim Burton é de 99, e um dos pioneiros nesse aspecto “desbotado” que hoje virou moda, e pelo que eu li, foi uma estética sofrida de se conseguir, precisou de tratamento químico direto nos rolos de filme, fora alguns cuidados complexos como filmar com sangue laranja para que no resultado final apos as modificações nas cores ele ficasse vermelho e não preto, sabendo de tudo isso, e por se tratar de um fanedit, me pergunto se esse aspecto era realmente original do filme, ou se não foi opção de gosto pessoal do Sapirstein… outra coisa é que todos os filmes dos anos 70 inevitavelmente tinham um aspecto de cores mais quentes, e vivas, de modo que a versão oficial de cinema parece ser muito mais fiel à estética dos filmes daquela época, mesmo filmes de horror semelhantes como “A Profecia” de 76 não conseguiam fugir muito desse aspecto, enfim, não é uma reclamação, só estou curioso, eu mesmo já estou pensando em fazer um Fanedit deste filme mesclando o que eu gosto nas versões de cinema e de 11 minutos, prq no geral eu prefiro a versão de cinema, acho as cenas adicionais e aqueles CGs acrescentados bem bobos e desnecessários, mas eu AMO a cena da escada hehe pra mim a versão definitiva deste filme seria o corte do cinema + essa cena, se a preguiça me deixar eu monto e compartilho aqui no site… mas uma vez obrigado por disponibilizar este filme, mais todas essas dublagens maravilhosas :3

    • Bruno C.  Disse:

      Creio que o Sapirstein tentou ser o mais fiel ao original, já que ele usou como referência até pedaços de uma película em 35mm da época, slides e a versão de 8mm. É claro que talvez ficar igualzinho é um pouco difícil. Só mesmo se a Warner restaurar a película original dessa montagem, uma coisa que espero que ela faça um dia. Ele disse que está trabalhando em uma nova versão já que ele conseguiu uma película completa da época e dessa vez ele não colocará os créditos dele por cima do filme.

      Olha, eu já vi bastante filmes da época meio monocromáticos assim mas de cabeça não lembro agora.

      Eu também queria montar um fanedit do Exorcista (eu já cheguei a fazer um do Batman há um ano mais ou menos), mas no momento me falta um PC bom pra editar. Gosto de todas as cenas inseridas na versão do diretor, exceto os CGIs, essa cena da escada e o final com o detetive. E tem uma coisa boba que sempre me incomodou, pra mim o filme deveria terminar com aquela música Tubular Bells bem calma ao invés deles colocarem aquela música mais agitada quando os créditos do filme aparecem.

      Abs!

      • Darth Douglas  Disse:

        sim, tava comentando com um outro amigo cinéfilo a respeito, ele disse que de fato houve uma “briga” entre o William Friedkin e o diretor de fotografia sobre a aparência do filme nos seus relançamentos, talvez seja justamente sobre se ele deveria ter a paleta mais quente ou esverdeada, o que me deixou intrigado foi que filmes antigos que tem a predominância de certa cor, precisam de certos artifícios fotográficos bem complexos pra isso e mesmo assim, não conseguem fazer isso em 100% do tempo, um exemplo que me veio à cabeça foi o “Fuga de Nova York” em que boa parte do filme tem um tom azul/esverdeado, que foi conseguido filmando a maoria das cenas à noite e (imagino) colocando todas as luzes ali do ambiente nessa cor… mesmo assim durante o dia, inevitavelmente as cores voltavam ao “original” coisa que não ocorre nessa versão do Exorcista, mesmo ao dia, sem a possibilidade de uma luz artificial, todo o ambiente tbm ficou esverdeado… fico curioso pra saber até onde foi edição do Sapirstein, e até onde o Friedkin teria conseguido deixar o filme nessa cor com os recursos da época, enfim, foi só uma curiosidade, eu fico fascinado quando descubro essas mudanças em filmes, desculpa ai se estou sendo chato te enchendo com essas perguntas e teorizações :p… mas mudando de assunto, vc falou que fez uma versão autorada do Batman? fiquei curioso, que tipo de modificações vc fez?

        • Bruno C.  Disse:

          Eu fiz foi um fanedit do Batman. Basicamente retirei o romance entre o Bruce e a Vicky (e ela não descobre a identidade secreta dele). O Coringa não é mais assassino dos pais do Batman, substituí toda a música do Prince por outras, cortei várias coisas e mudei as ordens de algumas cenas. De 2:03 min o filme foi pra 1:36 min. Eu gostei do resultado, mas infelizmente não fiz em HD e ainda tem algumas cenas que eu queria cortar e outros erros criados por mim que eu queria consertar. Quem sabe no futuro eu faça uma versão atualizada dela em HD. Se quiser me manda seu e-mail que te mando o link, ainda está hospedada na minha conta no Mega. Na época aproveitei e também fiz outro fanedit de uns 40 min mais ou menos, transformando o filme em um filme NOIR, aqui vai o trailer: http://vimeo.com/102193728

          • Darth Douglas  Disse:

            haha que foda cara, me interesso sim, por essas duas experiências que você fez acho que o filme deve ficar bem interessante, também não sou muito fã do romance meloso do Bruce e da Vicky, me pareceu mais uma das exigências do estúdio, já que no Batman Returns Burton teve mais liberdade, e o “romance” dele com a Mulher Gato passa longe de ser um conto de fadas, ficou legal o trailer, realmente, talvez até pelos filmes expressionistas que serviram de inspiração na criação dos personagens lá nos anos 40 (como “O Homem que Ri”) esse filme em preto e branco combina bastante 😀

  • alexsandro gomes  Disse:

    amigos, por favor, não estou conseguindo baixar o filme pelo mega, pois quando dá 50% baixado, o mega trava e diz que devo pagar pelo provedor pra continuar a baixar…existe alguma maneira de baixar o filme todo sem pagar? obrigado.

  • alexsandro gomes  Disse:

    muito obrigado, MARCOS F. e Sparrow.

  • saudadeantiga  Disse:

    grande serviço. trabalho profissional.

    se eu não estou enganado, além dessas 3 dublagens. existe mais uma.

    parece que é assim: 2 dublagens Herbert, e 2 dublagens Wan Märcher.

    ótimo post, muito obrigado ao Edfilmes, ao Bruno C., e ao Dr. Sapirstein.

Deixe uma resposta