NA COVA DA SERPENTE (DUAL ÁUDIO / 1080P) – 1948

THE SNAKE PIT – 1948
EUA
DRAMA – MISTÉRIO
DIREÇÃO: Anatole Litvak
ROTEIRO: Frank Partos, Millen Brand, Mary Jane Ward, Arthur Laurents
IMDb: 7,6 https://www.imdb.com/title/tt0040806/

BRRIP 1080P – RMZ – DUAL ÁUDIO – DUBLAGEM CLÁSSICA AIC-SP

Postado por Any Sousa


Formato: MKV
Qualidade:
BRRip 1080p (1480 x 1080, 3.476 kb/s)
Tamanho:
3,12 GB
Duração:
107 min.
Legendas:
Português (Completa + Trechos sem dublagem) – Selecionáveis
Áudios:
Inglês, Português (D. Clássica AIC-SP) – Selecionáveis
Servidor:
Google Drive (4 partes RAR)
Créditos pela D. Clássica: Johnahex

Remasterizadora e Uploader: Any Sousa

PASTA COM OS ARQUIVOS: NA COVA DA SERPENTE

Pouco tempo depois de casar-se com Robert (Mark Stevens), Virginia (Olivia de Havilland) começa a se comportar de maneira diferente, apresentando instabilidade emocional. Internada em um hospital psiquiátrico, ela passa por tratamento com eletrochoques e sofre diariamente com as péssimas condições do local e a falta de preparo dos profissionais de saúde.






– O livro de Mary Jane Ward, a base deste filme, foi um relato autobiográfico das experiências da autora em hospitais psiquiátricos. O livro causou considerável controvérsia sobre sua publicação em 1946, por ser uma acusação contundente do tratamento de pacientes psiquiátricos, um assunto considerado tabu na década de 1940. Naturalmente, o livro foi um best-seller em grande escala;


– O título deriva de uma prática antiga de lidar com os doentes mentais, onde eles eram jogados em um poço de cobras. A teoria era que algo assim deixaria uma pessoa normal louca, portanto, ela deveria funcionar ao contrário;


– O diretor Anatole Litvak insistiu que o elenco e a equipe passassem três meses visitando instituições mentais e participando de palestras psiquiátricas para se prepararem para o filme. Olivia de Havilland voluntariamente se jogou na pesquisa. Ela participou de tratamentos com pacientes nas instituições e observou terapia de choque elétrico e hidroterapia em primeira mão. Quando permitido, ela participava de sessões de terapia médico-paciente. Ela também participou de eventos sociais para pacientes das instituições. Depois de assistir ao filme, um colunista do “Daily Variety” questionou se alguma instituição mental realmente permitiria que presos violentos dançassem entre si em um evento social. De Havilland telefonou pessoalmente para o colunista para confirmar que havia participado de várias danças nas instituições;


– Stephen King disse que assistir a este filme na TV quando criança o perturbou profundamente e o fez sentir que de repente ele podia ficar louco, contribuindo diretamente para seus interesses macabros e, posteriormente, seus escritos;


– O caráter do psiquiatra gentil era baseado na carreira do Dr. Gerard Chrzanowski, que dizia aos pacientes para chamá-lo simplesmente de “Dr. Kik”. Chrzanowski morreu em novembro de 2000 aos 87 anos;


– “Na Cova da Serpente” obrigou 13 estados a mudar suas leis sobre questões de saúde mental após o lançamento do filme;


– Os críticos de cinema de Nova York concederam a Olivia de Havilland o prêmio de Melhor Atriz pelo filme. Foi a primeira vez desde o início dos prêmios em 1935 que um artista ganhou por unanimidade. E, a partir de 2014, a única vez;


– Grande parte do filme foi filmada em enfermarias reais no Hospital Mental do Estado de Camarillo, na Califórnia;


– Em uma entrevista, Olivia de Havilland descreveu sua pesquisa: “Conheci uma jovem muito parecida com a Virginia … uma esquizofrênica com problemas de culpa. Ela havia desenvolvido … uma relação especial com o médico, mas o que mais me impressionou de tudo, era o fato de ela ser bastante simpática e atraente … foi isso que me deu a chave da performance”;

 

– O censor britânico insistiu em um prefácio explicando que todos no filme eram atores e que as condições nos hospitais psiquiátricos britânicos eram diferentes das descritas;


– Anatole Litvak programou as cenas do hospital primeiro no horário das filmagens, depois deu a Olivia de Havilland uma pausa de um mês antes de filmar os flashbacks. Nas cenas do hospital, ele ordenou que nenhuma das atrizes que interpretava pacientes usasse sutiãs ou cintos. Ele também os proibiu de ir ao departamento de cabeleireiro. Para fazer sua personagem parecer adequadamente doente, De Havilland seguiu uma dieta projetada para levá-la abaixo do seu peso ideal;


– Muitas vezes descrito como o primeiro filme a lidar seriamente com doenças mentais e instituições mentais;


– Gene Tierney foi a primeira escolha a estrelar o filme, mas desistiu devido à gravidez;


– Ingrid Bergman recusou o papel;


– Ginger Rogers escreveu que recusou a liderança neste filme, assim como “Só Resta uma Lágrima” (1946), ambos os quais Olivia de Havilland aceitou. Olivia ganhou um Oscar por “Só Resta uma Lágrima” e foi indicada para este filme. Rogers escreveu: “Parecia que Olivia reconhecer uma coisa boa quando via. Talvez Olivia deva me agradecer por um julgamento tão ruim”;


– O Comitê de Psicólogos Americanos elogiou o filme por “despertar o público para as condições deploráveis ​​existentes em instituições públicas para doentes mentais” e concedeu-lhe um prêmio por “excelente contribuição da indústria do entretenimento para o campo da saúde mental”. Além disso, o Comitê de Cidadania da Califórnia para Higiene Mental deu um pergaminho ao filme, honrando-o por despertar “milhões para um maior conhecimento e apreciação das causas das doenças mentais”;


– Anúncios durante a exibição inicial do filme alertaram os pais de que o filme pode não ser adequado para crianças. O crítico de cinema do New York Times, Bosley Crowther, apoiou essa opinião e, em uma coluna, sugeriu que o filme fosse exibido apenas em cinemas menores. Fox não seguiu seu conselho;


– Incluído entre os “1001 filmes que você deve ver antes de morrer”, editado por Steven Schneider.

Olivia de Havilland … Virginia Stuart Cunningham
Mark Stevens … Robert Cunningham
Leo Genn … Dr. Mark Kik
Celeste Holm … Grace

22 comentários para NA COVA DA SERPENTE (DUAL ÁUDIO / 1080P) – 1948

  • Bruno Anselmo Menezes  DISSE:

    esse filme é com certeza uma obra prima do cinema,muito obrigado pelo excelente trabalho,valeu marujos

  • juliobr2346  DISSE:

    Any vc me surpreende,há muito tempo estava procurando esse filme dublado…valeeeuuuuuuuu!!!!!

  • juliobr2346  DISSE:

    Obrigado ao amigo Jonhahex pelo áudio,eu amo o Tela por isso,o impossível sempre acontece!

  • Rodrigo Bruno81  DISSE:

    Muito Obrigado!!!

  • Augusto Bisson  DISSE:
  • Gilson Carneiro Dias  DISSE:

    Que show, obrigado, são demais.

  • Rol Ref  DISSE:

    Obrigado!

  • Augusto Bisson  DISSE:

    Maravilhosa raridade. Parabéns a Any Sousa e ao Johnahex.

  • TUPAK  DISSE:

    Mais uma preciosidade dessa dupla fantástica.
    Gratos Any e Johnahex.

  • lival 58  DISSE:

    não tem mais o chat?

  • HOWLING  DISSE:

    Muito Obrigado

  • Alex Campolino  DISSE:

    Muito obrigado a Any e Johnahex, por mais esta Obra-Prima. Filme Soberbo, já tinha gravado no extinto Telecine 5 legendado, mas com dublagem clássica, só aqui mesmo no Tela. Mais uma vez, obrigado à todos.

  • Susana  DISSE:

    Muito obrigada.

  • Clint  DISSE:

    Obrigado, Johnahex e Any, por mais este clássico. Não param de sair boas surpresas deste baú, aí de vocês. Parabéns.

  • jcarlos  DISSE:

    Obrigado.

  • cidadaok  DISSE:

    Magnífico!
    Muito obrigado.

  • jbsousa  DISSE:

    Muito obrigado Any e Johnahex, mais um clássico pra enriquecer nossa coleção!

  • Melissa  DISSE:

    Muito obrigada Any e Johnahex por esse grande clássico da Olivia de Havilland

  • Gabrig  DISSE:

    Any e Johnahex

    Vocês são fantásticos. Mais um belo resgate. Obrigado!

  • Thiago L  DISSE:

    É incrível como a cada postagem vocês se superam. Parabéns Any e Johnahex por resgatarem esta verdadeira raridade. Forte abraço!

  • Adriano33  DISSE:

    Obrigado

  • Roberto Alves  DISSE:

    Obrigado pelo post, valeu…

PARTICIPE DA DISCUSSÃO, MAS ANTES DE COMENTAR CLIQUE AQUI E LEIA NOSSAS REGRAS DE COMENTÁRIOS. Saiba que todos os comentários são moderados, nós nos reservamos o direto de publicá-los ou não. É proibido divulgar endereço de sites, blogs, fóruns que não sejam de parceiros ou de colaboradores do Tela de Cinema. Nós não permitimos a publicação de links de arquivos nos comentários, para colaborar acesse o menu do blog e procure pela opção COLABORE CONOSCO, ou clique aqui. Nós não recomendamos a divulgação de emails nos comentários, faça isso por sua conta e próprio risco.