LUA NEGRA (Tri Áudio) – 1996

BAD MOON / THOR – 1996
HORROR
DIREÇÃO: Eric Red
ROTEIRO: Wayne Smith (romance), Eric Red (roteiro)
IMDb: http://www.imdb.com/title/tt0115610/

LUA NEGRA – 720P – HDTVRIP – TRI ÁUDIO – RMZ + VERSÃO REDUZIDA

Postado Por: Don Costa

DADOS DA VERSÃO MAIOR

Formato: MKV
Qualidade: HDTVrip – 720p (1280*564) 2.25:1, AVC, 23976 FPS, 4045 Kbps
Tamanho: 2,95 GB
Duração: 79 min.
legendas: Português / Inglês – selecionáveis
Áudio 01: Português – Clone – RMZ (48,0 KHz, AC3, 2 canais, 256 kbps)
Áudio 02: Português – Herbert Richers – RMZ (48,0 KHz, AC3, 2 canais, 256 kbps)
Áudio 03: Inglês (48,0 KHz, AC3, 2 canais, 640 kbps)
Servidor: Mega (dividido em 13 partes)
Créditos da dublagem Clone: Leppard
Uploader & Remasterizador: Don Costa

DADOS DA VERSÃO REDUZIDA

Formato: MKV
Qualidade: HDTVrip – 720p (1280*564) 2.25:1, AVC, 23976 FPS, 1200 Kbps
Tamanho: 1,31 GB
Duração: 79 min.
legendas: Português / Inglês – selecionáveis
Áudio 01: Português – Clone – RMZ (48,0 KHz, AC3, 2 canais, 256 kbps)
Áudio 02: Português – Herbert Richers – RMZ (48,0 KHz, AC3, 2 canais, 256 kbps)
Áudio 03: Inglês (48,0 KHz, AC3, 2 canais, 640 kbps)
Servidor: pCloud (dividido em 06 partes)
Créditos da dublagem Clone: Leppard
Uploader & Remasterizador: Don Costa

 

LINKS DO ARQUIVO MAIOR

PASTA DO MEGA: DOWNLOAD

LINKS DO ARQUIVO MENOR

PASTA DO PCLOUD: DOWNLOAD

AMOSTRAS

AMOSTRA DA DUBLAGEM CLONE: CONFERIR

AMOSTRA DA DUBLAGEM HERBERT RICHERS: CONFERIR

 

Senha para tudo: teladecinema.net

 

EM CASO DE ARQUIVO CORROMPIDO:

Atualmente eu envio meus arquivos com dados para recuperação embutidos nos mesmos, para poderem ser recuperados em caso de erros durante o download. Esse sistema de recuperação repara pequenos erros em arquivos corrompidos, deixando-os em condições de serem descompactados.
Para executar essa recuperação faça o seguinte:
Abra somente a parte corrompida no winrar. Digamos que seja, por exemplo, a parte 02 do arquivo menor.
Clique na aba “Ferramentas” e depois em “Recuperar arquivos”.
Selecione o local para salvar o arquivo e clique em “Ok”.
Aguarde o final do processo. O programa criará um arquivo recuperado com um nome semelhante à esse: “fixed.LNBMT1996HDTV720TÁRMZDCVR.part2.rar”.
Exclua a parte 02 original com problemas, renomeie esse arquivo recuperado para “LNBMT1996HDTV720TÁRMZDCVR.part2.rar” e coloque-o na mesma pasta com as demais partes.
Descompacte normalmente. Geralmente essa ação resolve o problema..
Quando tiver algum problema com arquivos compactados no futuro, tente recuperá-los dessa forma. Lembrando que esse método de correção só funciona se o arquivo for criado com esses dados de recuperação embutidos e se os problemas com os arquivos forem pequenos.
Caso o problema persista, faça novamente o download dessa parte, evitando utilizar a internet para qualquer outra coisa durante o download. Se mesmo assim o erro persistir, avise-nos que eu upo a parte com problemas novamente.
Abraços.

Informações do arquivo:

Foram gerados dois arquivos para esta postagem. Um maior com 2,95 Gb e outro menor com 1,31 Gb. Ambos têm três áudios e a única diferença entre eles é a bitragem de vídeo. As qualidades das imagens são muito parecidas, porém as diferenças ficam evidentes quando assistidas lado a lado em uma tv de alta definição. Para quem tem equipamentos de ponta, recomendo que baixe o arquivo maior. A dublagem “Herbert Richers” possuía muitos cortes e trechos que estavam em inglês, além de outros trechos que apresentavam forte alteração de velocidade. Esses erros foram eliminados e substituídos, nestes locais, pela dublagem da Clone que, embora apresentasse vozes bem diferentes, permitiu um resultado final superior ao que conseguiria substituindo estes trechos pelo áudio em inglês.

Informações sobre o filme:

“Bad Moon” possui, também, outro nome oficial: “Thor”, em referência ao cão da família que também é um dos protagonistas do filme. A variação do nome depende da distribuidora responsável, da região em que é exibido e do público alvo visado.

O filme recebeu críticas apenas razoáveis no geral. Porém, um aspecto pendeu mais para o lado negativo. A transformação do lobisomem mostrada no final foi considerada decepcionante e pouco impactante, principalmente quando comparada à de produções bem mais antigas e que foram muito mais eficientes neste ponto, principalmente levando-se em conta a tecnologia que já existia na época. Já a história e o roteiro receberam elogios.

Alguns segundos das cenas de sexo e violência gravadas foram cortadas da cena de abertura, a fim de obter uma classificação mais leve e atingir uma audiência maior, evitando um NC-17.

Na cena em que Janet faz o café da manhã, seu filho Brett está assistindo “O Lobisomem de Londres” (1935) na televisão, e ele e seu tio Ted discutem sobre seus conhecimentos sobre os lobisomens. Em “O Lobisomem de Londres” as transformações não são causadas apenas na cheia como Ted sugere.


Tio e sobrinho debatem sobre o tema (acima), enquanto assistem ao clássico da Universal de 1935 (no alto e à diretira)

Na verdade, a sabedoria que Brett argumenta que “todo mundo sabe”, tais como detalhes sobre balas de prata e forma de matá-los, vem de “O Lobisomem” (1941), totalmente criado e roteirizado por Curt Siodmak.

Em muitos fóruns sobre cinema, relata-se como um erro o fato do revólver disparar oito vezes sem recarregar, na cena em que o lobisomem ataca Janet, Brett e Thor no quarto do garoto, já no fim do filme, uma vez que um revolver poderia disparar, apenas, seis vezes. Mas o correto não é nem uma coisa, nem outra. Segundo a fabricante Smith & Wesson, aquela arma é uma Smith & Wesson – 686P – 6.4 cm – .357 Magnum – .38 Special. Essa arma, muito popular entre as mulheres americanas na época, por ser pequena, leve e fácil de manejar, dispara sete vezes.


Nem seis, nem oito. A arma utilizada por Janet dispara sete vezes sem recarregar.

Durante a transmissão “ao vivo” de um boletim de telejornal, o reboque de Ted é visto na cena do crime, ainda parado em frente ao lago, mas neste momento ele já estava estacionado no quintal de Janet.


Pequeno erro de continuidade mostra o reboque de Ted em dois lugares ao mesmo tempo.

Apesar de muito bem adestrado, foram tomadas medidas de segurança para que o cão não ferisse os atores. Quando Thor salta no personagem Flopsy, os arreios usados para evitar que o cão fique muito perto do rosto do ator é claramente visível. Há uma cinta em volta do ombro do cão, bem como em seu peito. Mas esses arreios não são visíveis segundos antes ou depois da gravação da tomada.


No início da cena(no alto) Thor usa somente uma coleira, que ganha o reforço de arreios (no centro em destaque), para terminar, novamente, apenas com a coleira (acima).

Nas cenas em que Thor luta contra o lobisomem, é o próprio adestrador quem veste o figurino da besta. Dessa forma, foi possível fazer cenas realistas sem oferecer riscos, tanto ao dublê, quanto ao cão.


Atuando com o próprio adestrador , o cão fez as cenas realistas sem acidentes.

A cena em que o lobisomem ataca Janet no quarto, antes de Thor e Brett chegarem, era para ser mais longa e deveria mostrar que ela seria atingida e ferida por ele, como mostram os storyboards do roteiro original mostrados abaixo. Com isso os produtores deixariam em aberto a possibilidade de fazerem uma sequência, já que Janet também receberia a maldição do lobisomem. Mas, durante a produção, eles mudaram de idéia e o único dos três residentes da casa que acabou ferido pelo lobisomem foi mesmo o cão Thor.


Os storyboards verticais da sequência de cenas 1 (esquerda), 2 (centro) e 3 (direita) mostram Janet sendo ferida pelo lobisomem (segundo quadro da sequência 3).

Fontes: Imdb.com, aveleyman.com, smith-wesson.com e dublanet.com.br

 

O que prometia ser apenas uma noite romântica transforma-se em momentos de medo e pavor quando o fotógrafo Ted Harrison (Michael Paré, de “A Fúria dos Anjos”) e sua namorada são atacados por um sanguinário lobisomen, que acaba estraçalhando a moça e mordendo o rapaz. Meses mais tarde, Ted já deixou o Nepal e vai visitar sua irmã Janet (Mariel Hemingway de “Manhattan”) que vive com o filho de 10 anos Brett (Mason Gamble) e um pastor alemão chamado Thor. No entanto, inexplicáveis mortes estão acontecendo na região. Janet então convida o irmão para ficar com eles na casa. Mas até o fiel e astuto Thor começa a comportar-se de modo estranho. O perigo está cada vez mais perto. E talvez não seja preciso esperar a próxima lua cheia. Escrito e dirigido por Eric Red, baseado na obra de Wayne Smith, Thor.

Mariel Hemingway … Janet
Michael Paré … Uncle Ted (as Michael Pare)
Mason Gamble … Brett
Ken Pogue … Sheriff Jenson
Hrothgar Mathews … Flopsy

# país: EUA
# duração original: 80 min.
# produção: Morgan Creek Productions
# distribuidora: Warner Bros.

24 comentários para LUA NEGRA (Tri Áudio) – 1996

  • Uilian  Disse:

    Mais um grande trabalho, parabens Don Costa, muito obrigado amigo, adoro esse filme, ta entre os meus 4 filmes de lobisomem favoritos, ao lado de Um Lobisomem Americano Em Londres, Bala De Prata e tbm o Grito de Horror, esse ta faltando aqui no Tela com a dublagem da herbert richers
    Abraço

    • Don Costa  Disse:

      Boa tarde Uilian.
      Realmente, os quatro filmes que você listou estariam, facilmente, entre os dez maiores filmes de lobisomem da lista de qualquer um que os tenha assistido. Eu ainda adicionaria mais um. O Clássico de 1941 que, como informei acima, lançou algumas bases da mitologia ao redor da lenda.
      E já que gosta tanto do tema, eu lhe trago boas notícias. Já estou trabalhando nas postagens, tanto do clássico de 1941 quanto da atualização de “Grito de Horror”.
      Quer uma notícia melhor ainda? Os dois serão tri áudios. E sim, um dos áudios de “Grito de Horror” será o da Herbert Richers. Para variar, dublagens presenteadas pelo nosso incansável caçador de dublagens raras, Mister Johnahex.
      Estou com muita coisa acumulada e vou tentar acelerar as postagens lançando uma nova a cada semana. Lógico, sem perder a qualidade, tanto das remasterizações, quanto do material extra.
      Aguarde as próximas semanas.
      Grato pelo cometário, amigo.
      Abraços.

  • LeMMy  Disse:

    Vi esse filme há muito tempo na TV…
    Muito obrigado pelo ótimo trabalho…

    • Don Costa  Disse:

      Como vai LeMMy.
      O filme é bem despretensioso, sem forçar a direção para um terror clássico.
      Ele flerta com o drama, ficando boa parte do tempo focado no relacionamento familiar dos personagens. Aqui eles também acertam em despejar boa parte do protagonismo ao cão Thor, que só falta falar, principalmente na emocionante cena em que ele é retirado da casa e levado para o abrigo de animais.
      Gostei do roteiro e da história e, se os efeitos especiais deixam a desejar, a direção do longa e a caracterização do monstro compensam os pequenos problemas técnicos, entregando um excelente resultado final ao público.
      Obrigado pela mensagem, amigo.
      Grande abraço.

  • NildoAlves  Disse:

    Grande trabalho Don! procurei esse filme com qualidade melhor e não encontrei aí você posta ele triáudio!! Valeu amigo!!

    • Don Costa  Disse:

      Olá amigo Nildo.
      Na verdade eu estava parado com este projeto há mais de um ano, pronto para postar. Mas a versão que eu tinha a era de um DVDrip e eu queria muito um release em alta definição. Passei esses meses procurando e, vez ou outra, me deparava com sites que tinham a gigantesca cara de pau de anunciarem um release em alta definição, mas que tinham uma imagem pior que as dos DVdrips disponíveis. Finalmente, mês passado, consegui encontrar esse HDTVrip que é, realmente, em alta definição. Além dos dados técnicos identificados pelos programas, a comparação quadro a quadro com um DVDrip mostra uma imagem nitidamente muito superior, não deixando qualquer dúvida.
      Acredito que o resultado fez a espera valer a pena.
      Grato pela mensagem.
      Abraços.

  • toni costa  Disse:

    Bom trabalho e parabens pelo post. muito obrigado por disponibilizar Don costa , há muito tempo eu queria ver este filme ,mas agora graças a voce vou ver ,

    • Don Costa  Disse:

      Como vai, xará Toni?
      Na verdade, graças ao Tela de Cinema, que disponibiliza gratuitamente este espaço para compartilhamento de arquivos. E muitos desses arquivos só existem aqui. Graças, também, à vocês, que prestigiam as nossas postagens e nos dão ainda mais motivos para continuar com este trabalho.
      Obrigado por comentar.
      Um abraço.

  • Hiure  Disse:

    Excelente post cara! Lembro desse filme na Tela de Sucessos. Há muito tempo que vi. Obrigado amigo abraçao

    • Don Costa  Disse:

      Tudo bem, Hiure?
      Não sei qual era a dublagem exibida na Tela de Sucessos. Mas no Tela de Cinema tem as duas.
      É garantia de que, pelo menos uma delas, te trará boas lembranças.
      Muito obrigado por prestigiar a postagem. É muito bom sempre vê-lo por aqui.
      Um grande abraço para você, amigo.

  • C,TaxiDriver  Disse:

    Excelente Don, filmes de lobisomem é comigo mesmo, e esse ainda não tive oportunidade de assistir, depois desse seu post, não deixarei de ver, Obrigado 😉

    Obrigado também ao Leppard pelo áudio 😉

    • Don Costa  Disse:

      Que bom vê-lo por aqui, Cláudio!
      O áudio do Leppard eu peguei lá no site dele, o “Portal do Terror Clássico” que, ao lado do “Adoro Filmes de Terror”, são meus sites favoritos para filmes com esta temática. Estão há anos na barra de favoritos dos meus navegadores.
      Os lobisomens são os meus monstros favoritos. Para mim são mais assustadores que a média, pois não tem a mesma “sutileza” dos vampiros (que se mesclam entre os vivos), as motivações dos fantasmas (quase sempre atacam por um motivo específico) ou as limitações físicas dos zumbis (estão mortos, então a falta de circulação sanguínea no corpo limita a velocidade de sua locomoção, dando uma chance de fuga à vítima). Lobisomens não tem nada disso. Uma vez que o bicho se transforma sai matando tudo o que vê pela frente com força e velocidade sobre-humanas. Este aqui é bípede, mas nas versões de quatro patas a coisa fica ainda pior, afinal duas pernas de uma vítima assustada não podem competir com quatro patas de um lobisomem furioso (e, às vezes, faminto), tornando a fuga impossível. E o ataque é sempre muito violento.
      Acho que você gostará deste filme. A abordagem é um pouco diferente, e a história é um pouco mais dramática. Mas a essência da besta é a mesma. Se transformou, sai da frente.
      Como você gosta do tema, também gostará de saber que tenho mais quatro filmes de lobisomem na fila de remasterizações. Acho que consigo postar todos até o mês que vem.
      Muito obrigado por comentar minha postagem.
      Um grande abraço.

  • RudolfWalker  Disse:

    vou baixar para assistir com a coroa ela adora filme assim top top valeu pelo lançamento Don.

    • Don Costa  Disse:

      Boa noite, Rudolf.
      Rapaz, temos que admitir que você é muito corajoso. Chamar a coroa de “coroa” pode custar caro, e essa conta pode aparecer, com juros, nas próximas semanas. Uma das coisas que aprendi com minhas ex-mulheres (e com as advogadas delas também) é que existem dois pontos altamente sensíveis para uma mulher, e que não devem ser tocados nem sob tortura: peso (não importa o peso delas, nunca insinue um valor maior que o de 40 kilos) e idade (dê 15 anos para aquelas que tem até 30, 20 anos para aquelas que tem entre 30 e 50, e 30 anos para as que tiverem mais de 50. Nenhuma delas jamais ultrapassa os 30, mesmo sendo centenária).
      Isso posto, acho que ela vai gostar da produção, principalmente por ser mais leve que os habituais filmes de terror e por ter o cão da família como um dos personagens principais. Se ela gostar de animais, então vai adorar o filme.
      Muito obrigado pela mensagem enviada.
      Um grande abraço para você e para sua coroa.

      • MARCOS F.  Disse:

        KKKKKKK
        DON, CERTAMENTE APRENDEU O NECESSÁRIO PRA TER UMA VIDA LONGA PRÓXIMO DELAS!!!
        QUANTO AO FILME, APROVEITO PRA CONHECER, POIS É INÉDITO PRA MIM!
        PARABÉNS E MUITÍSSIMO OBRIGADO PELA RMZ E POSTAGEM, TAMBÉM AGRADEÇO AO AMIGO LEPPARD PELO ÁUDIO CLONE.
        GRANDE E FORTE ABRAÇO AOS AMIGOS!!

        • Don Costa  Disse:

          Pois é, amigo Marcos!
          Algumas coisas a gente aprende na marra.
          Acredito que vá gostar do filme. Não é uma superprodução nem tenta redefinir o gênero. É quase um filme sobre a família, onde o monstro tem participação fundamental. Uma boa opção para relaxar e se divertir, ao fim de mais um cansativo dia de trabalho.
          Muito obrigado pelo seu cometário aqui e, novamente, muito obrigado ao Leppard pelo seu excelente trabalho no “Portal do Terror Clássico”, onde sempre encontro boas opções para baixar.
          Forte abraço.

      • RudolfWalker  Disse:

        gostei do comentario. isso de “coroa” levamos bem na brincadeira rsrs é bem tranquilo. e sim ela gosta muito de animais, aqui temos 3 cachorros eram 5 dois morreu, o terreno é bem grande então ficam bem soltos.

        acredito que ela vai gostar mesmo, agradeço denovo, abç tbm falows!

  • Scarface  Disse:

    Acho que nunca passei da abertura desse filme, que aliás é muito boa. As 2 vezes que tentei ver na TV foi de madrugada e acabei cochilando. Agora finalmente vou conferir na íntegra e ver se a qualidade se estende ao resto do filme.

    Valeu por mais essa bela postagem, Don!

    • Don Costa  Disse:

      Como vai, amigo Scarface?
      O filme não é um terror puro como a abertura insinua. Tem um ritmo um pouco mais lento que a média dos filmes de lobisomens e a sua narrativa é menos violenta e mais suave, girando, quase que exclusivamente, em torno da família do cão. Mas é essa abordagem diferente que torna o filme muito bom. Ele é um pouco mais curto que a maioria dos filmes, que geralmente apresentam em torno de 90 minutos de projeção, e também não tem um orçamento milionário. Mas a história flui sem atropelos, e os personagens, com suas relações, são bem construídos.
      O resultado final é muito bom. O filme não é descartável e as pessoas não se esquecem dele facilmente. Grande parte do seu sucesso se deve à atuação do cão Primo (Thor), talvez o principal protagonista do filme.
      Muito obrigado por comentar na postagem.
      Grande abraço.

  • luciano1974  Disse:

    Cara para mim esse é um dos melhores filmes do genero,juntamente com o Lobisomem em Paris.
    Um abraço a todos,esse site é o melhor de todos,é o mais ativo e conteúdos de alta qualidade,e Raridades dubladas com dublagem clássica etc…

    • Don Costa  Disse:

      Obrigado pelos elogios ao site, Luciano.
      De fato, o site é muito mais ativo e dinâmico do que a maioria dos sites de compartilhamento da internet. E isso se deve, também, aos colaboradores que, diariamente, enviam arquivos para serem compartilhados neste espaço, aliviando e dividindo esta tarefa com os administradores. O Tela de Cinema não é apenas um site. É uma comunidade composta por amantes de cinema que tem como objetivo principal o compartilhamento abnegado dos arquivos que cada um possui, formando um dos maiores acervos cinematográficos da internet.
      Obrigado por dar o seu depoimento na postagem.
      Abraços.

  • farra4ever  Disse:

    Obrigado.

    • Don Costa  Disse:

      Eu é que te agradeço pelo comentário, Farra.
      É sempre muito bom vê-lo por aqui.
      Abraços.

  • GiovanniMenezes  Disse:

    A dublagem da Clone é a classica pois é a da VHS e a que passava no Tela de Sucessos era a redublagem da Herbert Richers feita para a tv.

Deixe uma resposta