LABIRINTO – A MAGIA DO TEMPO (Tetra Áudio) – 1986

LABYRINTH- 1986
AVENTURA – FAMÍLA – FANTASIA
DIREÇÃO: Jim Henson
ROTEIRO: Dennis Lee, Jim Hensosn
IMDb: 7,4
http://www.imdb.com/title/tt0091369/

BRRip – 1080p – TETRA ÁUDIO – RMZ + VERSÃO REDUZIDA + TRILHA SONORA + LIVRO ILUSTRADO + DOCUMENTÁRIO + MANGÁ + NOVELIZAÇÃO + GRAPHIC NOVEL (MARVEL)

Postado por Don Costa

Versão Maior:

Formato: MKV
Qualidade: BRRip 1080p (1920 x 1080 (16:9), AVC, 23.976 fps, 5000 kbps)
Tamanho: 5.16 GB
Duração: 101 min.
Legenda 01: Português – só músicas (automático)
Legenda 02: Inglês – só músicas
Legenda 03: Português – completo
Legenda 04: Português – com músicas em Inglês
Legenda 05: Inglês – completo / selecionáveis
Áudio 01: Português – SC São PAulo – RMZ(48,0 KHz, AC-3, 2 canais, 192 kbps)
Áudio 02: Português – Cinevídeo – RMZ (44,1 KHz, AAC, 2 canais, 128 kbps)
Áudio 03: Português – Voice Brazil (48,0 KHz, AC-3, 6 canais, 448 kbps)
Áudio 04: Inglês (48,0 KHz, True-HD, 6 canais, kbps variável)
Servidor: Mega (Dividido em 27 partes)
Créditos da dublagem SC – São Paulo: Estúdio Gutioni
Créditos da dublagem Cinevídeo: Sparrow
Uploader e Remasterizador: Don Costa

Versão Reduzida:

Formato: MKV
Qualidade: BRRip 1080p (1920 x 1080 (16:9), AVC, 23.976 fps, 1350 kbps)
Tamanho: 1.93 GB
Duração: 101 min.
Legenda 01: Português – só músicas (automático)
Legenda 02: Inglês – só músicas
Legenda 03: Português – completo
Legenda 04: Português – com músicas em Inglês
Legenda 05: Inglês – completo / selecionáveis
Áudio 01: Português – SC São PAulo – RMZ(48,0 KHz, AC-3, 2 canais, 192 kbps)
Áudio 02: Português – Cinevídeo – RMZ (44,1 KHz, AAC, 2 canais, 128 kbps)
Áudio 03: Português – Voice Brazil (48,0 KHz, AC-3, 6 canais, 448 kbps)
Áudio 04: Inglês (48,0 KHz, True-HD, 6 canais, 640 kbps)
Servidor: 4shared (Dividido em 10 partes)
Créditos da dublagem SC – São Paulo: Estúdio Gutioni
Créditos da dublagem Cinevídeo: Sparrow
Uploader e Remasterizador: Don Costa

Documentário – Inside the Labyrinth:

Formato: AVI
Qualidade: TVRip (720 x 480 (16:9), MP4, DivX, 29.970 fps, 1501 kbps)
Tamanho: 662 MB
Duração: 56 min.
Legendas: S/L
Áudio: Inglês (48,0 KHz, MP3, 2 canais, 128 kbps)
Servidor: 4shared (Dividido em 04 partes)

Links: Arquivo maior: Pasta com os arquivos (Mega):

Pasta com arquivos: LABIRINTO – A MAGIA DO TEMPO

Links: Arquivo menor – versão reduzida (4shared):

Parte 01: LABIRINTO – A MAGIA DO TEMPO
Parte 02: LABIRINTO – A MAGIA DO TEMPO
Parte 03: LABIRINTO – A MAGIA DO TEMPO
Parte 04: LABIRINTO – A MAGIA DO TEMPO
Parte 05: LABIRINTO – A MAGIA DO TEMPO
Parte 06: LABIRINTO – A MAGIA DO TEMPO
Parte 07: LABIRINTO – A MAGIA DO TEMPO
Parte 08: LABIRINTO – A MAGIA DO TEMPO
Parte 09: LABIRINTO – A MAGIA DO TEMPO
Parte 10: LABIRINTO – A MAGIA DO TEMPO

Link: Trilha Sonora (101 MB) (MP3):

Parte única: TRILHA SONORA

Links: Mangá “Return to Labyrinth” em Inglês (CBR):

Link: VOLUME 1 (132 MB)
Link: VOLUME 2 (128 MB)
Link: VOLUME 3 (152 MB)
Link: VOLUME 4 (85,2 MB)

Links: Mangá “Regresso al Larinto” em espanhol (CBR):

Link: VOLUME 1 (132 MB)
Link: VOLUME 2 (116 MB)
Link: VOLUME 3 (152 MB)
Link: VOLUME 4 (86,3 MB)

Link: Livro Infantil Ilustrado (143 MB) (PDF e CBR):

Link: LIVRO INFANTIL ILUSTRADO

Link: HQ Labyrinth – Marvel Super Special – 40 (36,3 MB) (CBR):

Link: HQ LABYRINTH – MARVEL SUPER SPECIAL

Link: Novelização de A.C.H. Smith em espanhol (2.64 MB) (EPUB e PDF):

Link: NOVELIZAÇÃO DE A.C.H. SMITH EM ESPANHOL

Link: Novelização de A.C.H. Smith em inglês (2.39 MB) (EPUB e PDF):

Link: NOVELIZAÇÃO DE A.C.H. SMITH EM INGLÊS

Links: Documentário “Insert the Labyrinth” (662 MB):

Parte 01: DOCUMENTÁRIO – INSERT THE LABYRINTH
Parte 02: DOCUMENTÁRIO – INSERT THE LABYRINTH
Parte 03: DOCUMENTÁRIO – INSERT THE LABYRINTH
Parte 04: DOCUMENTÁRIO – INSERT THE LABYRINTH

Link: Amostra de dublagem – SC – São Paulo:

Link: AMOSTRA DE DUBLAGEM SC – SÃO PAULO

Link: Amostra de dublagem – Cinevídeo:

Link: AMOSTRA DE DUBLAGEM – CINEVÍDEO

Link: Amostra de dublagem – Voice Brazil:

Link: AMOSTRA DE DUBLAGEM – VOICE BRAZIL

 

SENHA PARA TUDO: teladecinema.net

 

Celebre a magia! Esta nova edição restaurada de aniversário com 2 discos de LABIRINTO: A MAGIA DO TEMPO de Jim Henson contém novos comentários e apresentações especiais que vão lhe encantar ainda mais. David Bowie e Jennifer Connelly lhe convidam para entrar em um universo mágico onde nada é o que parece! Tomar conta do seu irmão mais novo Toby em uma noite de final de semana não é a idéia de diversão para a jovem Sarah (Connelly). Frustrada com o choro do bebê, ela secretamente imagina que os duendes do seu livro favorito, Labirinto, aparecem para levá-lo embora. Quando sua fantasia se transforma em realidade, a transtornada Sarah precisa entrar num labirinto de ilusão para resgatar Toby de um reino habitado por criaturas místicas e governado pelo malvado Rei Goblin (Bowie).

Informações do arquivo:

Foram gerados dois arquivos para esta postagem. Um maior com 5,16 Gb e outro menor com 1,93 Gb. Ambos têm quatro áudios e as únicas diferenças entre eles são a bitragem de vídeo e a qualidade do áudio inglês. As qualidades das imagens são muito parecidas, porém as diferenças ficam evidentes quando assistidas lado a lado em uma tv de alta definição. Já o áudio original True HD do arquivo maior é muito superior ao áudio AC-3 do arquivo menor, apesar de ambos terem 6 canais. Para quem tem equipamentos de ponta, recomendo que baixe o arquivo maior. O áudio dublado da SC – São Paulo possui qualidade apenas razoável, além de uma pequena falha de poucos segundos que foram preenchidos com o áudio da Cinevídeo.

Também envio a trilha sonora do filme, com suas respectivas letras. No pacote de extras também estão o livro lançado logo após o filme, uma HQ da Marvel com a história do filme, também lançada em 1986, um livro infantil ricamente ilustrado lançado no mesmo ano, um mangá “Return to Labyrinth”, com o que seria a sequência do filme, lançado em 2011 e o documentário “Inside the Labyrinth”, com o making of do filme, feito para tv em 1986. Infelizmente, todo esse material extra está em inglês. Não consegui encontrar nem as legendas em inglês para o documentário, que neste caso eu poderia traduzir. O máximo que consegui foi o livro de A. C. H. Smith e o mangá também em espanhol, o que poderá facilitar a leitura de quem não domina o idioma inglês. Ainda assim, acredito que esse material extra seja muito interessante para os fãs da obra, e as imagens do documentário mostrando os bastidores do filme são muito interessantes para qualquer amante do cinema, pois mostram raras imagens de como as coisas eram feitas há 30 anos sem os atuais recursos da computação gráfica.

O livro de A. C. H. Smith e o livro ilustrado estão no formato EPUB e PDF e podem ser abertos por qualquer programa compatível, como “Acrobat Reader” ou “Calibre”. Já o HQ da Marvel e o mangá estão no formato “CBR”, que é específico para quadrinhos ou graphic novels, e precisam de um programa específico para serem lidos. Recomendo o “CDisplay”, que é um leitor de quadrinhos leve, gratuito e fácil de ser encontrado em sites como “baixaki.com.br”.

Extras:

Documentário Inside the Labirinth: Feito para a tv e lançado em 1986, este documentário mostra os bastidores da produção do filme, com muitas entrevistas e informações sobre cada etapa da produção. Apesar de estar em inglês e não possuir legendas, é um documentário muito interessante mesmo considerando apenas as imagens. Caso alguém encontre legendas para este documentário, em qualquer língua, por favor me avise, pois terei prazer em traduzí-las.

Tamanho – 662 MB

Livro “Labyrinth” de A. C. H. Smith: Esta novelização autorizada foi lançada logo após o filme e o tem como base. Com 183 páginas, o livro é fiel ao filme, mas algumas informações são adicionadas, principalmente sobre a vida da personagem principal antes dos eventos do filme, como, por exemplo, alguns dados sobre sua mãe. Pesquisei por algum tempo e conclui que este livro nunca foi lançado no Brasil. As cópias que consegui estão em inglês e espanhol. Ambas estão em formato PDF e EPUB e podem ser traduzidas em e-readers ou computadores que possuam programas equivalentes. Este ano foi lançada uma nova edição chamada “Jim Henson’s Labyrinth: The Novelization”, com 288 páginas e muitas ilustrações. Por enquanto, também não está disponível no Brasil.

Livro infantil Ilustrado: Este curto livro com apenas 56 páginas foi feito pensando nas crianças que começam a aprender a ler. Produzido em 1986 e ricamente ilustrado, condensa a história em poucas páginas, facilitando muito o entendimento por parte dos pequenos. Também não foi lançado no Brasil e está apenas em inglês. Mas, no mundo globalizado de hoje, onde crianças de 4 anos já tem celular, talvez alguém se interesse em baixa-lo em seu tablete para ajudar os filhos nas aulas de inglês. Ou somente para os fãs terem de recordação. Está nos formatos CBR e PDF.

HQ Marvel Super Special 40 – Labyrinth: Esta Graphic Novel da Marvel chegou às bancas logo após o filme estrear nos cinemas e fazia parte de uma longa lista de filmes adaptados para os quadrinhos pela empresa. Tanto o traço quanto a história são fiéis ao filme e serviu, também, como uma forma de divulgação. Não encontrei esta edição em português e nem sei se foi lançada no Brasil. Mas, mesmo em inglês, esta é uma peça interessante para colecionar. Está no formato CBR.

Mangá Return to Labyrinth: Este mangá lançado em 2011 conta a sequencia da história de Labirinto. A história se passa anos após os acontecimentos do filme e, desta vez, é centrada no personagem “Toby”, já adolescente. É dividido em quatro volumes, sendo que os três primeiros foram lançados no Brasil, mas se esgotaram rapidamente. O quarto volume nunca foi lançado no Brasil e não há informações sobre datas ou viabilidade de seu lançamento. Seja como for, também não consegui encontrar os três primeiros volumes em português. Estou postando a série completa em inglês e espanhol, que foram as únicas que achei. Está em formato CBR.

Trilha Sonora: Composta pelo próprio David Bowie e Trevor Jones, a trilha sonora é um dos pontos altos do filme. Várias de suas músicas fizeram sucesso na época e tocaram nas rádios por muitos anos. Inclusive, dois de seus clipes estão postados logo abaixo para serem baixados. Formato MP3.

Informações sobre o filme:

Labyrinth (Labirinto – A Magia do Tempo), lançado em 1986, fazia parte de uma trilogia de “filmes-fantasia” Produzidos por George Lucas. Os outros dois filmes foram “Howard the Duck” (no Brasil – Howard – O Super Herói), lançado no mesmo ano, e “Willow” (Willow – Na Terra da Magia) em 1988. Os filmes tinham histórias totalmente independentes e a única ligação entre eles era a produção executiva de Lucas.

As críticas ao filme na época foram devastadoras. O Chicago Tribune divulgou na ocasião que, além do filme ter sido uma porcaria, tinha uma história patética, visual grotesco e um enredo absurdo. A crítica completa pode ser lida aqui: http://articles.chicagotribune.com/1986-06-30/features/8602160766_1_labyrinth-baby-brother-david-bowie.

Já em 2007, quando o filme estava sendo restaurado para lançamento em Blu-ray, o mesmo Chicago Tribune fez outra crítica da obra de Jim Henson, classificando-a como “um dos filmes mais deslumbrantes em seu cânone”, e que “é uma verdadeira obra de arte do teatro de marionetes e efeitos especiais, sendo um filme absolutamente belíssimo de fantasia infantil”. Essa outra crítica original pode ser lida aqui: http://articles.chicagotribune.com/2007-06-15/entertainment/0706130779_1_goblin-king-movie-ron-mueck.

Foi o último filme dirigido por Jim Henson. O diretor viria a falecer em 1990 sem ver o sucesso que o filme faria no futuro, e sem assistir à estréia de seu último projeto: “Família Dinossauro”, lançado no ano seguinte.

Os vários malabarismos que Jareth faz com as esferas de cristal (rolando-as em torno de seus braços e mãos) não são truques de câmera ou qualquer outro tipo de efeito especial. Eles são, na verdade, executados pelo coreógrafo Michael Moschen, que também é um malabarista profissional. Moschen ficava agachado atrás de Bowie com os braços substituindo os de Bowie. Mas ao contrário dos manipuladores dos bonecos no filme, ele não tinha uma tela de vídeo para visualizar o seu desempenho. Em outras palavras, suas manipulações foram realizadas completamente às cegas.

Na cena em que Toby está sentado no colo de Jareth, o bebê tem um olhar fixo e hipnotizado. Na verdade, Toby gritou e chorou tanto durante as muitas tomadas desta cena que algo tinha que ser feito para mantê-lo quieto. Felizmente, um membro da produção tinha uma luva-fantoche. Durante o discurso de Jareth, David Bowie usou o fantoche em uma mão (fora do enquadramento) mexendo-o delicadamente para distrair Toby. A criança ficou em transe, daí o olhar hipnótico, e o silêncio perfeito.

A coruja da seqüência de abertura gerada por computador foi a primeira tentativa de se criar um personagem “vivo”, em CGI, de forma realista em um longa-metragem. Cinco anos depois, “O Exterminador do Futuro 2” (1991) conquistava as plateias com sequências inteiras em CGI, durante as metamorfoses do seu exterminador de metal líquido e, sete anos depois, “Jurassic Park” (1993) encantava o mundo com personagens inteiros gerados por computador.

Os vários personagens do filme podem ser vistos no quarto de Sarah no início do filme. Ela tem um bicho de pelúcia que se parece com Sir Didymus sobre a cômoda, um boneco que parece Ludo nas prateleiras ao lado da porta (junto com o livro “Onde Vivem os Monstros”), um boneco Firey em uma prateleira ao lado de sua cama, com suporte para livros com Goblin que lembra Hoggle sobre a cômoda, e uma estatueta de Jareth no lado direito de sua mesa.

Depois da câmera mostrar o suporte para livros Hoggle, há uma página de recados. Ela mostra recortes de jornais da famosa atriz, que era a mãe de Sarah, com outro homem. Esse homem nas fotos é David Bowie. Além disso, o vestido que ela usa na cena do baile também pode ser visto adornando a boneca em miniatura em sua caixinha de música. Também há um jogo de labirinto de madeira sobre a cômoda ao lado de seus livros. Este jogo é uma referência à seção da “cerca viva” do Labirinto. Há também uma pequena pintura em sua parede que retrata uma engenhoca muito parecida com a operada pelos “Limpadores” de quem Sarah e Hoggle tiveram de fugir nos túneis. Por último, há uma cópia da famosa imagem composta por M.C. Esher (intitulado “Relatividade”), que é recriada na sala onde o confronto final com Jareth ocorre. Todas essas referências indicam a obsessão da personagem pelo fictício mundo de Labirinto, romance que é sua leitura favorita. Também remete levemente ao “O Mágico de Oz”. Mas, enquanto em Oz a personagem principal levava para o mundo fantástico personagens do seu mundo real, aqui ela traz para o seu mundo real várias reproduções dos personagens e locais do mundo fantástico.

Há rostos escondidos em sete cenas. Em geral, eles se assemelham à cabeça de pedra onde Jareth se encosta antes de dar o pêssego a Hoggle (aos 48:30) – essa pedra reproduzia a face real de David Bowie na época. Os rostos podem ser encontrados nas seguintes cenas:

Um traje completo de Hoggle ficou desaparecido por muito tempo. Acontece que ele foi perdido em um avião e depois encontrado no “Centro de Bagagens não Reclamadas”. Comprado da companhia aérea por uma loja em Scottsboro Alabama, ele agora está em exibição em seu museu, ao lado de outras peças do filme.

Mais de uma centena de pares de mãos de látex foram feitas para a cena das “Mãos no poço”.

O cão de Sarah, “Merlin”, é o mesmo animal utilizado por Sir Didymus, chamado “Ambrosius “. No livro “The History of the Kings of Britain “ de Geoffrey de Monmouth (1100 – 1155), que narra as histórias do Rei Arthur, o nome completo do Mago Merlin é “Merlin Ambrosius”.

Foram necessárias cinco pessoas para dar vida à Hoggle. A atriz Shari Weiser vestia o traje, enquanto quatro marionetistas liderados por Brian Henson controlavam 18 motores instalados no interior da máscara. Manipulando uma luva mecânica em sua mão direita, Henson controlada movimentos mandibulares de Hoggle e fornecia a voz. Outra marionetista fornecia mais movimentos labiais com outra luva. O terceiro membro da equipe usou uma alavanca joystick na ponta dos dedos para controlar os olhos e as pálpebras. A quarta utilizava um mecanismo semelhante para animar as sobrancelhas e um pedal para controlar a pele ao redor dos olhos de Hoggle. Os cinco tiveram que ensaiar juntos por semanas, a fim de coordenar os movimentos uns com os outros.

Para ajudar o marionetista que ficava dentro de Ludo a enxergar, havia uma câmera de vídeo miniaturizada em seu chifre direito que transmitia as imagens à um pequeno monitor de televisão montado dentro do estômago do boneco.

O bebê que interpreta Toby é Toby Froud, filho de Brian Froud que foi o designer conceitual, tanto para este filme, quanto para “O Cristal Encantado” (1982), outra produção de Jim Henson.

A cena “Dance Magic” teve mais de 48 fantoches, 52 marionetes e 8 pessoas em trajes de duendes.

Quando soube que a fantasia que estava sendo feita para Ludo pesava mais de 100 libras (pouco mais de 43 kilos), Jim Henson disse à Creature Shop para começar tudo de novo e torná-la mais leve. Seu peso foi reduzido para pouco mais de 75 libras (aproximadamente 34 kilos), mas ainda era muito pesada para uma única pessoa operá-la o tempo todo. Portanto, o trabalho foi dividido entre os marionetistas Ron Mueck e Rob Mills.

Aqui cabe uma curiosidade. Ron Mueck iniciou a carreira fabricando marionetes e bonecos para tv e cinema, mas seguiu carreira, mesmo, como escultor. Australiano radicado na Inglaterra, Mueck ficou famoso esculpindo peças hiper-realistas sempre em escala e nunca em tamanho natural. Possui trabalhos no mundo todo, inclusive no Brasil, onde abriu uma empresa na Bahia que opera na área de publicidade. Uma exposição com várias de suas obras também passou pelo país em 2014 nas cidades de Rio de Janeiro (Museu de Arte Moderna em Junho) e São Paulo (Pinacoteca em Novembro).

Michael Jackson foi seriamente considerado para o papel de Jareth. Jim Henson preferia Sting, principalmente depois de sua atuação em “Duna” (1984). Foram seus filhos que o convenceram de que David Bowie traria uma performance mais marcante para o personagem.

Dois vídeo clips oficiais com músicas de David Bowie que promovem este filme, e que foram dirigidos por Steve Barron, foram liberados naquele ano. “As the World Falls Down” apresenta cenas do filme em si, e não apenas a cena do salão de baile, incluino, também, cenas especialmente filmadas de Hoggle juntamente com Bowie.

“Underground”, que pode ser ouvida com os créditos finais, apresenta muitos dos personagens do filme novamente em cenas especialmente filmadas com Bowie. Tão interessante quanto o próprio filme, é assistir à esses vídeo clips que representam essencialmente o estilo dos anos 80. Esses pequenos filmes tinham uma estética própria, criando uma atmosfera única, com edição de imagens e ângulos de câmera bem singulares. Grupos como Devo, Talking Heads e The Cure eram bastante criativos em seus clips, criando pequenas obras de arte surrealistas. Abaixo estão os dois vídeo clips lançados para promover o filme.

“As the World Falls Down” – http://www.4shared.com/video/LyQjaVUHba/DB-ATWFD1986.html

“Underground” – http://www.4shared.com/video/v0nb_MCHce/DB-U1986.html

David Bowie compôs e interpretou cinco músicas especialmente para o filme: “Magic Dance”, “Chilly Down”, “As the World Falls Down”, “Within You” e “Underground”. Trevor Jones compôs outras seis: “Into the Labyrinth”, “Sarah”, “Hallucination”, “The Goblin Battle”, “Thirteen O’Clock” e “Home at Last”. Já “Opening Titles Including Underground” é um trabalho conjunto de ambos e completa a trilha sonora.

No filme, Jareth aparenta ter um olho de cada cor. Mas não é uma característica criada para o personagem. Essa é uma característica bastante conhecida do cantor David Bowie. Porém ele não tem um olho de cada cor (heterocromia) como informam algumas fontes. No seu caso é a pupila esquerda que fica permanentemente dilatada (anisocoria), problema adquirido por um trauma sofrido na juventude, ao se envolver em uma briga e ser atingido violentamente em um ponto específico da têmpora. Por causa dessa condição, os olhos parecem adquirir cores diferentes dependendo da iluminação recebida.

O nome de Toby era Freddie, nos primeiros rascunhos da história. O nome do bebê foi mudado porque o bebê Toby Froud só conseguia reagir ao seu próprio nome.
Helena Bonham Carter, Jane Krakowski, Yasmine Bleeth, Sarah Jessica Parker, Mary Stuart Masterson, Laura Dern, Kerri Green, Lili Taylor, Laura San Giacomo, Ally Sheedy, Mia Sara e Marisa Tomei fizerem o teste para o papel de Sarah Williams . Krakowski, Sheedy e Corman foram classificadas para um segundo teste, ao lado de Jennifer Connelly, que acabou por ganhar o papel. A atriz tinha somente quatorze anos na época das filmagens.

Da esquerda para a direita e de cima para baixo: Helena Bonham Carter, Jane Krakowski, Yasmine Bleeth, Sarah Jessica Parker, Mary Stuart Masterson, Laura Dern, Kerri Green, Lili Taylor, Laura San Giacomo, Ally Sheedy, Mia Sara e Marisa Tomei. Uma constelação de jovens estrelas fizeram testes para o papel que ficou com Jennifer Connelly.

O filme teve um orçamento estimado em U$25.000.000,00, mas não atingiu este valor em bilheterias mundiais, dando prejuízo aos produtores. No entanto, o filme foi e é, até hoje, bastante lucrativo nas demais mídias e produtos licenciados, tendo até um game lançado para ele utilizando a plataforma NES, que obteve relativo sucesso em 1986. Abaixo temos a gravação de um trecho do jogo.

http://www.4shared.com/video/67mePn9lba/LontheNES.html
Caroll Spinney, que na época fazia parte da equipe de Henson, ofereceu sua própria teoria sobre o que ele acreditava ter contribuído para o fracasso da “Labyrinth” nos cinemas: pouco antes, um outro filme de fantasia underground, intitulado “Legend” (A Lenda), estrelado por Tom Cruise e Tim Curry, havia sido lançado, e que também não foi um sucesso de bilheteria . Com dois filmes de fantasia, tendo um título de uma única palavra que começa com a letra L, poderia ter levado o público a imaginar que ambos se tratavam do mesmo filme. O fato é que, apesar de terem tido uma bilheteria muito baixa nos cinemas, ambos os filmes foram sucesso absoluto em Home Vídeo nos anos posteriores.


David Bowie … Jareth the Goblin King
Jennifer Connelly … Sarah
Toby Froud … Toby
Shelley Thompson … Stepmother
Christopher Malcolm … Father

# país: Reino Unido/EUA
# duração original: 101 min
# estúdio: Henson Associates (HA) (presents), Lucasfilm (presents)
# distribuidora: TriStar Pictures

 

25 comentários para LABIRINTO – A MAGIA DO TEMPO (Tetra Áudio) – 1986

  • Scarface  Disse:

    Caramba Don, isso é o que eu chamo de trabalho completo. Nem passava pela minha cabeça que essa pérola tinha rendido mangás e HQ. Com certeza, revê-lo com todos esses extras como complemento será uma experiência muito mais rica. Eu, que já possuo o BD nacional, faço questão de baixar e guardar. Obrigado por mais um trabalho impecável!

    Abração e Bom Natal!

    • Don Costa  Disse:

      Amigo Scarface.
      É incrível a quantidade de material que esses fã-clubes conseguem adquirir. Essa HQ da Marvel deve ter ficado disponível um único mês nas bancas há 30 anos atrás. Mesmo assim, alguém comprou, guardou, esperou a tecnologia evoluir, scaneou e disponibilizou para todos os demais fãs do filme. Além disso, a quantidade de informações disponíveis nesses sites sobre a produção da obra daria para escrever um livro. Seria inviável disponibilizá-las todas aqui no Tela.
      Mas o que mais me intriga é o porquê alguns filmes conseguem cativar fãs ardorosos décadas após o seu lançamento, e outros nem tanto. Esse filme é um exemplo disso. Ele não foi um sucesso em seu lançamento, mas seu público parece não parar de crescer com o passar do tempo. Teve ótimas vendas em VHS, DVD e Bluray, e não há nada que indique que seja diferente em futuras mídias. É daqueles filmes que conseguem conquistar um público novo a cada nova geração. Guardadas as devidas proporções, é o mesmo fenômeno que acontece com “O Mágico de Oz” (1939).
      No fim das contas, muito mais do que a tecnologia empregada, o importante é ter uma boa história com um bom roteiro, boas atuações e boa trilha sonora. Uma combinação poucas vezes encontradas nos filmes atuais.
      Que bom que gostou do material extra. É o meu presente natalino para todos os amigos do Tela de Cinema.
      Feliz Natal.

  • J.Gonçalo  Disse:

    SHOW!!!!!!

    • Don Costa  Disse:

      Obrigado, amigo.
      Espero que aprecie o material extra, mesmo não estando em nossa língua nativa.
      Feliz Natal.

  • xokan  Disse:

    Obrigado Don.

  • xokan  Disse:

    Don, eu remasterizei o áudio (SC SP) cedido pelo Estúdio Gutioni. Removi chiados, efeito de “Hum” (algo como túnel). O áudio possuía um volume bem diferente da metade da duração para frente. Coloquei o volume no mesmo nível para o filme inteiro. Se tiver interesse posso upá-lo.

    • Don Costa  Disse:

      Amigo xokan.
      Também remasterizei esse áudio Gutioni (é a primeira dublagem que está na postagem), mas eu utilizei o programa “Audacity”, que tem limitações, para fazê-lo. Por isso o resultado ficou apenas razoável. Se puder upar o seu áudio para nós, e se a qualidade dele estiver melhor do que a do áudio utilizado neste arquivo, ficarei feliz em atualizar a postagem com ele.
      Você pode upá-lo e mandar o link para aqui mesmo ou mandar direto para o meu e-mail: doncosta10@gmail.com
      Muito obrigado pela disposição.
      Feliz Natal.

  • Claus  Disse:

    Amigo Don Costa, como vai, tudo bem?? Não perco nenhum dos seus lançamentos, mesmo em véspera de Natal..kkk

    Amigo, to muito afim de conferir seu novo trabalho, mas ao fazer a extração dos arquivos, aparece uma informação de que a parte 19 está corrompida. Por favor, pode verificar e nos dar um retorno? Mas isso, claro, quando puder, não quero atrapalhá-lo em dia de festa..rs

    Aliás, um Feliz Natal para você e sua família!

    Aquele abraço 😉

    • Don Costa  Disse:

      Olá amigo Claus.
      Que bom que aprecia as minhas postagens.
      Atualmente eu envio meus arquivos com dados para recuperação embutidos, em caso de erros durante o download. Esse sistema de recuperação repara pequenos erros em arquivos corrompidos, deixando-os em condições de serem descompactados.
      Para executar essa recuperação faça o seguinte:
      Abra somente a parte corrompida (no caso, a parte 19) no winrar.
      Clique na aba “Ferramentas” e depois em “Recuperar arquivos”.
      Selecione o local para salvar o arquivo e clique em “Ok”.
      Aguarde o final do processo. O programa criará um arquivo recuperado com um nome semelhante à esse, no nosso caso: “fixed.LAMdoT1986BR1080TàRMZ.part19.rar”.
      Exclua a parte 19 original, renomeie esse arquivo recuperado para “LAMdoT1986BR1080TàRMZ.part19.rar” e coloque-o na mesma pasta com as demais partes.
      Descompacte normalmente. Testei aqui e descompactou sem problemas.
      Quando tiver algum problema com arquivos compactados no futuro, tente recuperá-los dessa forma. Lembrando que esse método de correção só funciona se o arquivo for criado com esses dados de recuperação embutidos e se os problemas com os arquivos forem pequenos.
      Mas se preferir esperar pelo arquivo novo, vou levar umas duas horas para upá-lo. Assim que completar a transferência eu aviso aqui. Como está dentro de uma pasta, não será preciso nenhuma atualização na postagem.
      Por enquanto vá curtindo a festa com os familiares aí, amigo.
      E um Feliz Natal pra vocês.

    • Don Costa  Disse:

      Amigo Claus.
      A parte 19 já foi substituída.
      Obrigado pelo aviso.
      Um grande abraço e Boas Festas.

  • FX  Disse:

    Parabéns!Parabéns!Parabéns! Don Costa Spielberg,magnifico trabalho muito obrigado e Boas Festas!!!

    • Don Costa  Disse:

      Como vai, FX?
      Estou longe de ter qualquer talento como os que tem artistas do calibre de Spielberg.
      Sou apenas um “pesquisador de sites” e amante de cinema com um pouco de tempo livre, muita disposição para fuçar a rede e enorme prazer em compartilhar os resultados.
      Fico feliz que esteja agradando. Isso quer dizer que posso continuar com as minhas postagens nesse mesmo estilo. O que é uma má notícia para os moderadores do site. Cada postagem minha consome mais de uma hora da vida dos pobres marujos. Mas se é para o bem de todos e felicidade geral da nação, em 2015 tem mais. Preparem-se, Ed, Marcos, Sparrow e Wagner. Aproveitem bem este fim de ano com muitas festas e total felicidade com as respectivas famílias.
      O mesmo vale para você, amigo FX.
      Boas Festas e um grande abraço.

  • Ferrari2013  Disse:

    Olá, Don!
    Parabéns pelo trabalho!
    Li o comentário acima acerca parte 19. Está faltando e não corrompida.

    Grato, Aldemir.

    • Don Costa  Disse:

      Oi Aldemir.
      Ela marcava que estava faltando porque eu a estava substituindo.
      Mas já terminei de upá-la e, agora, vocês já podem baixá-la novamente.
      Obrigado pelo comentário.
      Tenha um Feliz Natal.
      Abraços.

  • Ferrari2013  Disse:

    Olá, novamente, Don!
    Muitíssimo obrigado!
    Estou, no mínimo, encantados!

    Grato, novamente, Aldemir.

  • Zachary Foxx  Disse:

    Don Costa, fantástico!!! Trabalho excelente, esplendoroso!!!

    Não só pelo vídeo, mas também pelo post, curiosidades e complementos!! Um verdadeiro presente de Natal e, pelo visto, um trabalho feito de coração por quem é fã (Se não me engano, rsrs).

    Sobre as dublagens, incrível como a da SC São Paulo é a melhor!!!

    Muito Obrigado!!! Feliz Natal!

    • Don Costa  Disse:

      Boa tarde, Zachary.
      Isso acontece em, basicamente, toda postagem do site. Todos que postam aqui são fãs de cinema e tem grande satisfação em compartilhar arquivos, assim como as informações sobre a história de cada um deles. É fácil você encontrar, aqui, TV-rips históricos (com intervalos comerciais e tudo), dublagens raras (gravadas da tv por alguém há 20, 30, 40 anos) e remasterizações únicas (com 3, 4, 5 áudios ou até mais). Tudo feito com muito esforço e dedicação, mas também com muito prazer e satisfação, afinal é um passatempo bem agradável para todos nós. Geralmente, o responsável pela postagem é um grande fã da obra, o que facilita muito o trabalho, pois a pesquisa feita em torno de todos os aspectos do filme e a remasterização dos áudios deixam a tarefa tão leve e interessante quanto assistir ao próprio. Em razão disso, o resultado final da postagem é sempre excelente. De fã para fãs.
      Considero todas as dublagens muito boas, mas a da SC é insuperável. Não exatamente pela qualidade técnica, mas por ter sido a primeira que ouvi e que esteve presente em todas as vezes em que revi o filme. Uma pena ela não ter sido incluída no blu-ray nacional.
      Que bom que temos o Tela de Cinema para fazermos nossos próprios blu-rays, inserindo as dublagens e legendas que quisermos nos vídeos que desejarmos. É difícil encontrar um site como esse na rede.
      Um grande abraço, Zachary. E um Feliz 2015.

  • jefspfc  Disse:

    gente q obra-prima esse post. PARABENS

    • Don Costa  Disse:

      Olá jefspfc.
      Pode encaminhar os parabéns ao grande Ed, que foi o responsável pela editoração.
      Eu mando uma tonelada de material e esse pessoal do site consegue criar uma página super agradável, com imagens bem distribuídas e textos organizados de forma clara e coerente. As informações são facilmente compreendidas, por mais complexas que sejam, e as relações entre todos os tópicos facilitam muito a localização de cada item. Dá até para imprimir e fazer um encarte.
      Tudo isso feito em plena véspera de Natal.
      Por isso é tão prazeroso postar aqui.
      Obrigado jefspfc. Obrigado Ed.
      Abraços aos dois e um feliz 2015.

  • Uilian  Disse:

    Filme excelente, lembro d+ dele, grande trabalho Don Costa, vc ta de parabens amigo, e com a dublagem classica do VHS, te agradeço brother,vlw msm. Outro que gostaria de rever dublado com qualidade bluray tbm é o Jardim Secreto de 1993, outro filme muito bacana tbm, se vc puder fazer o RMZ dele Don Costa, seria fantastico, aqui nesse link abaixo tem ele em bluray 720p
    https://kickass.so/the-secret-garden-1993-720p-hdtv-eng-rus-mkv-t9556133.html

    • Don Costa  Disse:

      Olá amigo Uilian.
      Tenho a sensação de que você é um grande fã deste filme (O Jardim Secreto).
      Já peguei a dublagem dele, aqui mesmo no Tela, e ele já está na fila de remasterizações.
      Talvez eu já consiga postá-lo em janeiro. Vai depender da minha internet lenta.
      Fique de olho nas postagens do site no mês que vem.
      Um grande abraço e feliz 2015.

      • Don Costa  Disse:

        Amigo Uilian.
        Estava procurando por um release de qualidade deste filme durante os últimos meses, pois o release que consta neste link que você me informou é de um HDTVrip. Isso não seria problema nenhum, se não fosse por uma enorme e horrível marca d’água que permanece por todo o filme. Ela não é discreta como as existentes em vários filmes aqui no Tela. Ela incomoda quem prima pela qualidade da imagem. Infelizmente, este link é a única opção encontrada na rede.
        Como você é muito fã deste filme, eu o remasterizei pra você utilizando este release, mas não vou postá-lo. Continuarei procurando por um release de qualidade para postá-lo futuramente.
        Até lá você pode baixar esta remasterização provisória no link abaixo:

        https://mega.co.nz/#F!i9AwwLQL!AeaFQsNYdruyvTU3lxI96A

        Por favor, avise-me assim que baixar este filme, pois vou apagá-lo do Mega. Minha conta tem capacidade limitada e eu preciso do espaço para outras remasterizações, inclusive esta futura de “O Jardim Secreto”.
        Um grande abraço.

  • farra4ever  Disse:

    Obrigado.

Deixe uma resposta