INSEMINOID (Legendado) – 1981

19 thoughts on “INSEMINOID (Legendado) – 1981

    1. Olá Mosca.
      Tá vendo aquela nota IMDb lá em cima? Ela não reflete a realidade do filme. Ela está alta demais.
      O filme é um enorme desastre cinematográfico, daqueles de fazer você sair do cinema e pedir o dinheiro de volta, antes da projeção acabar.
      E ele diverte justamente por ser tão desastroso.
      Esse filme é aconselhável somente para aqueles que adoram filmes trash, na linha de “quanto pior, melhor”.
      Parece-me que ele, legendado em português ou dublado, é bem raro. Procurei durante meses e não encontrei.
      Pela qualidade final do projeto, dá pra imaginar o porquê.
      Um grande abraço.

  1. Não resisto a um trash oitentista, ainda mais quanto vêm acompanhado de um título e pôster geniais como esse.

    Um obrigado duplo, Don, tanto por compartilhar essa pérola quanto por traduzir a legenda. Valeu!

    1. Amigo Scarface, desculpe-me por decepcioná-lo com relação à qualidade das minhas postagens e ao bom gosto dos filmes postados até aqui, já que este filme representou uma enoooorrrrrrmmmmeeee queda nestes quesitos.
      Com relação à postagem em si, a explicação é simples: Quase não existem informações sobre esse filme em lugar algum. As poucas informações que encontrei foram de uma única fonte e fiquei receoso sobre a sua veracidade. Já cometi esse erro em outras postagens. Prefiro postar informações levantadas de várias fontes diferentes. A chance de que sejam verídicas é maior.
      Mas com relação ao filme,,é o seguinte: No início dos anos 80, fui ao cinema para ver o filme/documentário “Eram Os Deuses Astronautas?”, quando surgiu este trailer na tela. Como já tinha sido arrebatado por filmes como Alien e Guerra nas Estrelas, pensei: “_Parece ser um filme interessante!”
      Ficção científica estava em alta na época e a precariedade da tecnologia das salas de exibição não nos permitia captar a diferença de qualidade entre bons filmes (tecnicamente falando) e filmes ruins. Todos ficavam muito nivelados e você só descobria a fria em que entrou depois de uns 15 minutos de sessão.
      Lembre-se. Era uma época em que a maioria de nós só tinha tvs em preto e branco, com válvulas e transformadores que, com muita sorte, nos dava uma imagem com somente um fantasma e dez por cento de chuviscos. Por isso, nos cinemas, até os lances de futebol do Canal 100 ficavam maravilhosos. Foi o primeiro lugar onde consegui entender um lance na grande área entre Guarani de Campinas e Juventus da Mooca. Quem já viu um jogo desses em uma tv preto e branco vai entender.
      Só que, para minha surpresa, o filme acabou não passando nos cinemas aqui de São Bernardo. Pior. Nunca mais passou em lugar algum. Não encontrei nem em sebos ou locadoras. Desconfio que jamais saiu em vídeo no Brasil.
      Mesmo com a chegada da internet eu não conseguia encontrar este bendito filme. Pelo menos o nome ficou gravado na minha cabeça e, meses atrás, vasculhando sites de cinema internacionais, consegui achar um torrent com uma imagem de boa qualidade. Sabia que dublado seria quase impossível, mas não pensei que a legenda também não existisse.
      Mas era uma curiosidade que eu tinha há mais de 30 anos e eu precisava assistir à esse filme. Também sabia, antes de assistir, que ele não chegaria nem perto da qualidade de Alien, por exemplo, Todos esses anos de avanço tecnológico nas áreas de áudio-visual, permitiram-nos reconhecer a qualidade na produção de um filme até pelo poster apresentado. Não que uma coisa esteja totalmente ligada à outra. Há filmes muito bem produzidos, mas que não contém um fiapo de história.
      Porém, nesse período, surgiu um outro seguimento de filmes com uma proposta bem peculiar. A de não ter nenhum compromisso com o padrão de qualidade vigente. Filmes de baixo orçamento em que os seus criadores fazem o filme que querem, do jeito que quiserem, mandando uma banana para os críticos. São os chamados filmes trash.
      Produtoras como Asylum Films ou o canal SyFy são prolíficos nisso, criando pérolas como “Sharkanado” (haja criatividade para pensar em um tornado de tubarões!).
      Muita gente, como eu, aprecia estes filmes. Geralmente eles surgem de uma ideia boa, criam uma premissa interessante, mas o baixo orçamento impede que sejam bem produzidos. Arrisco-me a dizer que se fossem impecavelmente produzidos não seriam tão legais, e muitos filmes antigos, intencionalmente ou não, se encaixam neste novo filão.
      Inseminoid é um deles. Resolvi enviá-lo aos amigos do site mais pela raridade e curiosidade de ser “um dos filmes trash perdidos da década perdida”, e até para fazer uma pausa na remasterização de “O Retorno de Jedi”, que está me dando mais dor de cabeça do que os dois primeiros da trilogia juntos. Desta vez o sr. Lucas alterou não só o vídeo como também o áudio, inserindo elementos separadamente por canal. Estou tendo de fazer inserções “canal por canal” antes de anexar tudo. Mas uma hora eu acabo.
      Por hora, divirta-se com um maravilhoso filme tosco, daqueles de envergonhar o curriculum de qualquer ator, mas divertidíssimo para os amantes do cinema trash.
      Abraços.

    1. Olá Denner.
      A senha é: teladecinema.net.
      Está ali, logo abaixo do link da pasta com os arquivos.
      Às vezes passa despercebido devido ao formato do texto, apesar desse formato ser assim, em forma de botão, justamente para destacar a senha.
      Sem problemas. É comum Isso acontecer não só em textos, mas também em placas e sinalizações.
      Isso só não pode acontecer com relação ao penteado novo da patroa. Vai por mim. Se você não notar o novo penteado, será condenado à penas que variam de 1 semana de sofá à dois dias na casinha do cachorro. Pode escolher. Tive a opção de trocar as penas acima pela possibilidade de hospedar a sogra por um mês. Resolvi a questão comprando um sofá-cama bem confortável.
      Abraços.

  2. Adoro filmes trash, principalmente dos anos 80. Curioso saber que é um filme inglês, e não americano. Obrigado, amigo Don Costa. Realmente trata-se de uma raridade. Acredito que nunca tenha sido exibido na TV. Fiz uma busca em programações antigas e não encontrei nenhum registro. Abraços!

  3. Olá amigo Macintosh.
    Procurei este filme por três décadas. Tive esperanças de que pudesse passar no antigo Cine Trash da Bandeirantes ou nos canais especializados das TVs por assinatura. Porém, nunca o vi e só o encontrei há alguns meses num torrent internacional.
    Acho que realmente nunca passou nas TVs brasileiras, mas deve ter sido exibido em pelo menos alguns cinemas em 1981. Pelo menos o trailer no cinema eu vi.
    Bom divertimento.
    Abraços.

    1. Amigo LeMMy.
      Acho que esse público sempre foi numeroso. O que acontecia era que, tanto o cinema quanto a TV, ancoravam suas decisões sobre as produções e exibições nos comentários dos críticos especializados, que sempre priorizam a qualidade técnica e artística de uma produção. Isso deixava as produções trash num segundo plano, com pouca divulgação e restritas às exibições temáticas, como o antigo Cine Trash da Bandeirantes.
      Com a internet isso mudou. Todo tipo de produção em todos os níveis são acessíveis agora. Quem quer uma superprodução, encontra. Quem quer algo tosco até o osso, também.
      Além disso, qualquer um pode produzir seu próprio conteúdo e jogar na rede,.Ninguém mais precisa do aval dos críticos ou das produtoras para conseguir seu espaço. Pelo que consta, parece que Justin Bieber surgiu assim.
      Aqui aparece a parte ruim da internet para mim: _surge um monte de porcarias todo dia. Detesto Justin Bieber!
      Aqui aparece a parte boa da internet para o mundo:_Minha opinião que se dane. O importante é que tem gente que gosta, e esse público tem acesso às músicas desse mané.
      O mundo das artes sempre foi despido de qualquer tipo de preconceito. Talvez seja o único espaço do mundo assim. Há espaço para qualquer tipo de expressão cultural, de qualquer povo, etnia, religião ou opinião. Também há público para todo tipo de arte em todas as áreas.
      E a internet veio facilitar o acesso desse público à essa arte
      Inclusive para os terríveis e, ao mesmo tempo, maravilhosos filmes trash.
      Grande abraço.

  4. A penúltima sceen do filme me lembrou de uma “coisa” que passou uma vez no SBT e que eu vi com interesse uns 10 minutos até faltar luz e só voltar após o filme acabar… Acho que foi maldição do George Lucas, pois a “pérola” em questão era uma colagem de cenas de naves de guerra nas estrelas, naves daquele filme que tinha uma nave que parecia ter peitos, etc… e o único cenário era uma sala com vários circuitos, peças de telefones, etc, coladas na parede. Gostaria de que alguem me dissesse que não foi alucinação minha e dissesse qual o nome dessa pérola da categoria de manos, plano 9 do espaço sideral, etc…

    1. Olá JORGEBRADDOCK.
      Os softwares de tradução que utilizo são bastante limitados, incluindo-se aí as opções online como Google Translator. Legendas em línguas latinas (francês, italiano, espanhol, etc) e em inglês são mais facilmente traduzidas porque temos familiaridade com muitas palavras, e até frases inteiras, nestas línguas. Isso é essencial para que eu corrija a tradução utilizando os termos corretos, levando-se em conta, também, o que está acontecendo na cena. Com línguas não latinas (alemão, finlandês, norueguês, etc) ou que utilizem outro alfabeto (grego, russo, árabe, etc) eu perco essa referência e a tradução fica muito mais difícil. Às vezes eu tenho de assistir um longo trecho do filme para traduzir melhor determinada frase, colocando-a dentro do contexto.
      Mas mande a legenda pra mim que eu vou tentar traduzi-la. Só não prometo nada para este mês. Eu sempre tenho 5 ou 6 projetos para remasterizar na fila. Pode mandar para aqui mesmo ou direto no e-mail doncosta10@gmail.com.
      Abraços.

Deixe uma resposta