HOOK – A VOLTA DO CAPITÃO GANCHO (1080p/Tetra Áudio) – 1991

“Hook” (EUA) – 1991

AVENTURA – COMÉDIA – FAMÍLIA

DIREÇÃO: Steven Spielberg

IMDb: 6,6 – FICHA DO FILME

1080p – BRRip – RMZ – Tetra Áudio + Versão Reduzida + Trilha Sonora + Livros Ilustrados “Peter & Wendy”

Links Atualizados

Postado por Don Costa

image

VERSÃO MAIOR:

Formato: MKV

Qualidade:

Vídeo: BR-rip – 1080p (1920*800) 2.40:1, AVC, 23976 fps, 3496 Kbps (variável), 62,5 Mbps (máxima).

Áudio:

Português – 24,0 KHz, MP3, 2 canais, 128 kbps.

Português – 44,1 KHz, MP3, 2 canais, 128 kbps.

Português – 44,1 KHz, A_AC3, 2 canais, 192 kbps.

Inglês – 48,0 KHz, A_AAC, 6 canais, kbps variável.

Tamanho: 4.28 GB

Duração: 141 min.

Legendas: Português / Inglês – selecionáveis

Áudio:

Português – Herbert Richers

Português – Cinevideo

Português – Megasom

Inglês.

Servidor: Mega (dividido em 23 partes)

VERSÃO REDUZIDA:

Formato: MKV

Qualidade:

Vídeo: BR-rip – 1080p (1920*800) 2.40:1, AVC, 23976 fps, 1000 Kbps.

Áudio:

Português – 24,0 KHz, MP3, 2 canais, 128 kbps.

Português – 44,1 KHz, MP3, 2 canais, 128 kbps.

Português – 44,1 KHz, A_AC3, 2 canais, 192 kbps.

Inglês – 48,0 KHz, A_AAC, 6 canais, kbps variável.

Tamanho: 1,79 GB

Duração: 141 min.

Legendas: Português / Inglês – selecionáveis

Áudio:

Português – Herbert Richers

Português – Cinevideo

Português – Megasom

Inglês.

Servidor: 4shared (dividido em 10 partes)

Remasterização e postagem: Don Costa

Créditos dos áudios dublados Herbert Richers e Cinevídeo: comunidade “Não à Redublagem” (Orkut)

Crédito do áudio dublado Megasom: rodolfoalbiero

INFORMAÇÕES SOBRE O ARQUIVO:

Foram gerados dois arquivos para esta postagem. Um maior com 4,28 Gb e outro menor com 1,79 Gb. Ambos têm quatro áudios e a única diferença entre eles é a bitragem de vídeo. As qualidades das imagens são muito parecidas, porém ficam evidentes quando assistidas lado a lado em uma tv de alta definição. Para quem tem equipamentos de ponta, recomendo que baixe o arquivo maior. Também envio a trilha sonora do filme e o livro “Peter e Wendy”, no qual o filme foi baseado, em duas versões: português e inglês.

Para aqueles que já baixaram a versão tri áudio estou disponibilizando o link do quarto áudio (Estúdio Megasom) em separado. Ele já está editado e sincronizado, bastando ser anexado ao filme, servindo tanto na sua versão maior, quanto na versão reduzida. Esse procedimento pode ser feito através de programas como MKVmerge ou de sua versão mais completa MKVtoolnix.

image

Links do arquivo maior: Pasta com os arquivos (Mega): Hook – A Volta do Capitão Gancho

Links do arquivo menor (Mega): Hook – A Volta do Capitão Gancho

Link da trilha sonora: Hook – A Volta do Capitão Gancho

Livro Ilustrado Peter & Wendy original em inglês (PDF): Peter & Wendy

Livro Ilustrado Peter e Wendy traduzido em português (PDF): Peter & Wendy

Dublagem da Megasom para quem já baixou o arquivo tri áudio (AC3): Hook: A Volta do Capitão Gancho

image

Amostra de dublagem – Herbert Richers:

Amostra de Dublagem – Cinevídeo:

Amostra de Dublagem – Megasom:

image

Aos quarenta anos Peter Banning (Robin Williams), que um dia já foi Peter Pan, é um homem tão envolvido com o trabalho que deixou de dar atenção à família e esqueceu a sua origem. Mas o Capitão Gancho (Dustin Hoffman) seqüestra seus filhos, obrigando-o a retornar a Terra do Nunca.

IMAGENS DO FILME:






image

Dustin Hoffman … Capt. Hook

Robin Williams … Peter Banning

Julia Roberts … Tinkerbell

Bob Hoskins … Smee

Maggie Smith … Granny Wendy

Caroline Goodall … Moira Banning

Charlie Korsmo … Jack ‘Jackie’ Banning

Amber Scott … Maggie Banning

Laurel Cronin … Liza, Wendy’s Housekeeper

Phil Collins … Inspector Good

image

INFORMAÇÕES SOBRE O FILME:

Sobre o escritor J. M. Barrie e sua obra.

O escritor James Matthew Barrie nasceu em 9 de maio de 1860, em Kirrie-muir, na Escócia. Era o nono filho do tecelão David Barrie e da dona de casa Margaret Ogilvy, que por sua vez era filha de um pedreiro. Barrie passou boa parte da infância brincando com o teatrinho de um amigo e encenando peças numa lavanderia situada em frente à sua casa. Anos depois, revelou que esse pequeno edifício foi “o modelo da casinha que os Meninos Perdidos construíram para Wendy na Terra do Nunca”.

Na infância, Barrie foi um leitor voraz de folhetins populares, histórias sensacionalistas de aventura ou crime produzidas em massa. No entanto, depois de ler na revista Tagarela uma crítica severa a essas histórias, reuniu toda a sua coleção e a manteve escondida. O jovem Barrie também adorava histórias que envolviam ilhas desertas. Sua favorita era A ilha de Coral, de Ballantyne, que sem dúvida lhe serviu de inspiração para criar a Terra do Nunca.

Em 1866 David Barrie, o irmão mais velho de James, morreu num trágico acidente, quando patinava no gelo; tinha apenas treze anos de idade. James e sua mãe se consolavam lembrando-se de David como o menino que nunca haveria de crescer. Nessa época Margaret Ogilvy começou a conversar com o filho sobre sua própria infância. Contou-lhe que, quando sua mãe morreu, ela se tornou “dona de casa e mãe de seu irmãozinho”, embora fosse ainda uma criança. Com isso forneceu material para James criar a maternal Wendy, a irmã mais velha que cuida dos Meninos Perdidos.

Quando terminou os estudos, Barrie descobriu que queria ser escritor. No entanto, concluiu com relutância um curso universitário convencional em Edimburgo e começou a trabalhar como jornalista no Nottingham Journal. Em 1885, quando o jornal já não tinha condições de mantê-lo, mudou-se para Londres com a intenção de tentar a sorte como escritor. Seus artigos, meio ficcionais, sobre a vida em Thrums (“Franjas”, lugar imaginário inspirado em Kirrie-muir) e em Auld Lichts (“Velhas Luzes”, comunidade fictícia semelhante àquela em que sua mãe crescera) alcançaram considerável sucesso. Em 1891 suas obras estavam entre as mais vendidas, e Robert Louis Stevenson lhe escreveu, elogiando-o como “um homem de gênio”.

Em 1894 Barrie se casou com Mary Ansell, uma jovem atriz que ele descobrira e que havia atuado em uma de suas peças. Infelizmente o casamento não deu certo, e o casal não teve filhos. Mary procurou consolar-se criando cachorros, um dos quais era um são-bernardo parecido com a Naná de Peter Pan. Barrie tinha especial afeição por esse animal e sempre o levava para passear no parque Kensington. Durante esses passeios o escritor se tornou amigo dos filhos de Arthur e Sylvia Llewellyn Davies, uma família que teria profundo impacto em sua vida e em sua obra. Barrie escreveu sobre sua amizade com George, um dos meninos, em O Pequeno Pássaro Branco (1902), livro em que Peter Pan aparece pela primeira vez. A personagem surgiu das imagens inspiradas pelo caçula dos Llewellyn Davies, um menino chamado Peter. Eles fantasiavam que Peter, como todos os bebês, havia sido um pássaro e tinha conservado a capacidade de voar durante todo o tempo em que fora um bebê.

Em novembro de 1903 Barrie começou a escrever a peça Peter Pan. Depois de passar por muitas alterações, a obra estreou em Londres no Natal do mesmo ano. Foi um sucesso imediato, elogiada como uma das melhores peças escritas para crianças.

Barrie estava adaptando-a para transformá-la num livro (intitulado Peter Pan & Wendy), quando uma tragédia se abateu sobre a família Llewellyn Davies: em 1909 o pai dos meninos morreu de câncer. Dois anos depois a mãe também faleceu, vítima da mesma doença. Nessa época o casamento de Barrie já havia terminado e ele se tornou guardião dos cinco meninos, aos quais dedicava verdadeira adoração. Mas sua felicidade como pai substituto durou pouco. Em 1915 George Llewellyn Davies, que na infância dera origem à figura de Peter Pan, foi morto na França. Em 1921, Michael, que segundo dizem significou para Barrie mais que qualquer outra pessoa, afogou-se no rio Tâmisa quando estudava em Oxford. “O mundo inteiro ficou diferente para mim”, Barrie escreveu, desolado. Barrie continuou trabalhando até morrer, em 1937, e produziu várias peças para adultos que receberam considerável aclamação. No entanto, era e continua sendo, até hoje, mais conhecido por sua história fascinante do menino que nunca cresceu — uma fantasia que vem encantando sucessivas gerações de crianças.

Spielberg começou a desenvolver o filme no início da década de 1980 com a Disney e a Paramount Pictures, que teria seguido os enredos vistos nos filmes de animação de 1953 e do cinema mudo de 1924 .

O diretor queria, originalmente, fazer o filme em 1983, com Michael Jackson interpretando Peter Pan. O Rei do Pop também iria cantar a maioria das músicas da trilha sonora. Mas Spielberg ainda estava muito ocupado com “Indiana Jones e o Templo da Perdição” (1984) e o projeto foi arquivado.

“Peter Pan” entrou em pré-produção em 1985 sem Spielberg. James V. Hart desenvolveu o roteiro com o diretor Nick Castle e a TriStar Pictures. Em 1989 a TriStar Pictures conseguiu convencer Spielberg a dirigir o filme novamente. O rebatizado “Hook” foi filmado quase inteiramente nos estúdios de som da Sony Pictures, em Culver City, Califórnia. O filme recebeu críticas negativas, principalmente, pela crítica especializada, mas foi um sucesso de público, arrecadando mais de US$ 300 milhões no mundo inteiro, além de ser indicado em várias categorias no Oscar. O filme ganhou um forte culto ao longo dos anos seguintes e também gerou produtos em vários segmentos , incluindo jogos eletrônicos e adaptações para os quadrinhos.

Steven Spielberg admitiu que ficou desapontado com o resultado final do filme. Ele teve muita dificuldade para trabalhar com a equipe rebelde de jovens atores, informando mais tarde, brincando, que a experiência o fez se perguntar se ele queria ter mais filhos. Ele também se sentia culpado por não ser capaz de encontrar um método econômico para filmar as muitas sequências de voo complexas do filme. Outro problema foi o comportamento da atriz Julia Roberts durante as filmagens, sendo de tal forma inadequado que toda a equipe passou a apelida-la de “Tinkerhell” (algo como “Inferninho” ou “diabinho”), em alusão à sua personagem Tinkerbell (Sininho). O que poucos sabiam é que a atriz estava passando por uma conturbada crise passional após seu rompimento com Dylan McDermott, prejudicando tanto a sua performance que ela foi indicada ao Framboesa de Ouro daquele ano. Antes do fim das filmagens, a atriz foi internada com quadro de esgotamento nervoso. Ao visita-la, Spielberg levou o ursinho de pelúcia da cabine do Capitão Gancho para presenteá-la, sem saber que teriam de filmar outra tomada da cabine no dia seguinte. A produção teve de encontrar outro ursinho igual poucas horas antes de filmarem tal tomada. Em uma entrevista em 2010, Spielberg disse que gostaria de ver um novo “Hook” nos cinemas, com a tecnologia atual e que contemplasse a sua real visão do personagem, coisa que não foi possível com as limitações técnicas da época.

Spielberg tinha uma estreita ligação pessoal com o filme. A conturbada relação entre Peter e seu filho ecoou na relação de Spielberg com seu pai. Vários filmes anteriores de Spielberg já tinham explorado essa relação difícil entre pai e filho, incluindo “ET – O Extraterrestre” (1982) e “Indiana Jones e a Última Cruzada” (1989). A gênese de “Hook” começou quando a mãe do diretor leu muitas vezes o livro “Peter e Wendy” como uma história para fazê-lo dormir. Spielberg explicou em 1985: “Quando eu tinha onze anos eu realmente dirigi a história durante uma produção da escola. Eu sempre me senti como Peter Pan. Ainda me sinto como Peter Pan. Tem sido muito difícil para eu crescer, eu sou uma vítima da síndrome do Peter Pan”.

O orçamento inicial da produção foi fixado em US$ 48 milhões, mas acabou ficando entre US$60 e US$80 milhões. Contribuiu para esse aumento o fato do cronograma de filmagens aumentar em 40 dias em relação ao cronograma original de 76 dias. Spielberg explicou: “Foi tudo culpa minha. Comecei a trabalhar em um ritmo mais lento do que eu costumo fazer.”

Spielberg, Williams e Hoffman não receberam salários no filme. Eles teriam dividido 40% da receita bruta recebida pela TriStar Pictures sobre o faturamento total do filme.

“Hook” foi lançado na América do Norte em 11 de dezembro de 1991, arrecadando US$13.520.000 em sua semana de estreia. O filme arrecadou US$119.650.000 na América do Norte e U$181.200.000 no resto do planeta, acumulando um total mundial de US$300.850.000. “Hook” foi declarado um sucesso financeiro, e é a quinta maior bilheteria de filmes com “temática-pirata”, atrás de todos os quatro filmes da série “Piratas do Caribe” (2003-2011).

Reconhecidamente um dos atores mais peludos de Hollywood, Robin Williams teve de passar por dolorosas sessões de depilação no peito e nos braços para interpretar Peter Pan no filme.

Bob Hoskins viria a reprisar seu papel como Smee em “Neverland” (2011).

Os atores Kevin Kline e Tom Hanks foram considerados para o papel de Peter Pan, que naturalmente acabou indo para Robin Williams. A David Bowie foi oferecido o papel de Capitão Gancho, mas ele recuso.

O cantor e músico Phil Collins, assim como as atrizes Glenn Close e Gwyneth Paltrow fazem uma ponta em “Hook”. Collins interpreta o inspetor Good, Close faz um pirata e Paltrow aparece em uma cena como a jovem Wendy.

O diretor Steven Spielberg não ficaria de fora deste filme de jeito nenhum. Ele fez uma ponta liderando a marcha dos piratas no navio, seguindo Smee que levava o gancho em uma almofada.

Os três filhos de Dustin Hoffman fazem aparições no filme. Seu filho mais novo, Max Hoffman interpreta Peter Pan com cinco anos de idade. Sua filha, Rebecca Hoffman, interpreta Jane na peça de teatro que acontece no início do filme, e seu filho mais velho, Jake Hoffman, interpreta um jogador no jogo de beisebol de Jack.

O casal se beijando que começa a flutuar quando Sininho joga pó mágico sobre eles na ponte são, na verdade, George Lucas e Carrie Fisher, em uma participação especial. Carrie Fisher também roteirizou alguns diálogos para Sininho neste filme, mas não aparece nos créditos.

Um dos piratas que tenta roubar os sapatos de Peter quando ele chega pela primeira vez em Neverland é interpretado pelo cantor Jimmy Buffett.

O cantor e guitarrista David Crosby também faz uma ponta no filme.

Maggie Smith, tendo apenas 56 anos na época das filmagens, foi envelhecida por meio de maquiagem para interpretar uma avó Wendy com 92 anos de idade.

Na peça “Peter e Wendy”, assim como em “Peter Pan” de 1924, o gancho do Capitão Gancho fica em sua mão direita. Já na animação da Disney, “Peter Pan” de 1953, o gancho fica em sua mão esquerda. Como o ator Dustin Hoffman é destro optou-se por seguir o Capitão Gancho da Disney, facilitando as suas ações em cena.

O ator Bob Hoskins comprou cerveja para mais de 300 extras após a conclusão da filmagem de uma complicada e trabalhosa cena do filme.

O escritor James Hart credita a inspiração sobre o roteiro de “Hook” a seu filho Jake, que um dia lhe perguntou o que aconteceria se Peter Pan crescesse.

Quando os Bannings voam para a Inglaterra, a voz do piloto é a de Dustin Hoffman – “Este é o seu capitão falando …”.

Devido ao fato do seu personagem viver quase sempre no ar, Julia Roberts tinha um assistente cuja única responsabilidade era limpar os seus pés. Ele entrava em ação cada vez que a atriz era suspensa pela grua.

Os responsáveis pelo guarda-roupa do Capitão Gancho encontraram um problema na hora de vestir Dustin Hoffman. O figurino do ator consistia em um pesado e quente traje do século XVII. Era impossível para o ator atuar devido ao calor gerado pelo vestuário, obrigando-os a incluir, sob o mesmo, uma jaqueta especial projetada para ele. O modelo foi uma variação dos trajes usados pelos astronautas para regularem a temperatura do corpo, como um aparelho de ar condicionado.

Os nomes Jack e Maggie são traduções americanas dos nomes Hansel and Gretel (João e Maria na versão brasileira do conto).

Quando a vovó Wendy está contando às crianças sobre a história de Peter Pan, ela está segurando uma das impressões originais do livro. É uma primeira versão da edição, o que é perceptível pela cor verde-oliva e pelo design dourado na capa. A versão foi publicada em 1911 como a primeira romantização de “Peter e Wendy”, originalmente escrita como uma peça de teatro.

Dustin Hoffman atuou em dois filmes sobre “Peter Pan” – “Hook: A Volta do Capitão Gancho” (1991) e “Em Busca da Terra do Nunca” (2004). Depois de sua aparição em “Hook”, o amigo Gene Hackman começou a chamá-lo de “gancho” como uma brincadeira. O nome pegou e seus amigos o chamam por esse apelido até hoje.

O ator James Madio foi a única criança do filme (excetuando-se a família Hoffman) que continuou atuando até hoje. Sua última aparição foi no filme “Jersey Boys: Em Busca da Música” (2014).

Quando Tootles flutua para fora da janela no fim do filme ele diz: “Seize the Day” (aproveitem a vida). A frase tem significado especial para Robin Williams, que atuou em “Seize the Day” (1986), e em “Sociedade dos Poetas Mortos” (1989), onde a frase era um slogan.

De acordo com uma entrevista concedida à revista People, o ator Raushan Hammond (Thud Butt) revela que a cena em que Peter passa a espada para um dos meninos perdidos foi improvisada . Ninguém do elenco sabia que ele iria passar a espada para um dos meninos, com exceção de Robin Williams e Steven Spielberg. Por isso as reações dos pequenos atores são tão genuínas.

O gancho do Capitão Gancho foi, em grande parte, projetado por Steven Spielberg, ao lado do desenhista de produção Norman Garwood. Foram feitas várias versões. Inclusive alguns deles eram de borracha para as cenas de luta de Dustin Hoffman.

O ato de Peter bater palmas para reanimar Sininho era uma referência aos tempos em que “Peter Pan” era encenado nos palcos. No teatro, Peter pedia ao público para bater palmas para curar Sininho. No filme de animação da Disney, o aplauso foi deixado de fora porque Peter não podia interagir com o público, pedindo palmas para a fada.

O Quinteto Principal:

Dustin Hoffman:

Reconhecidamente um dos maiores atores da história do cinema, Dustin Lee Hoffman nasceu em 08 de Agosto de 1937 em Los Angeles, Califórnia. Iniciou sua carreira no teatro, onde passou longos anos antes de sua estreia no cinema, em 1967. Neste ano ele conseguiu um pequeno papel em “Um Tigre de Alcova”, contracenando com Eli Wallach e Anne Jackson. Mas a virada na carreira viria poucos meses depois. Ainda em 1967, Hoffman foi escalado para protagonizar “A Primeira Noite de um Homem”. O filme foi um enorme sucesso e alçou o ator ao status de “astro” de um dia para o outro. Talentoso e versátil, Hoffman soube escolher muito bem os papéis que interpretaria. Vieram um sucesso atrás do outro. “Perdidos na Noite” (1969), “Papillon” (1973), “Kramer vs. Kramer” (1979) – que lhe valeu o primeiro Oscar de melhor ator principal, interpretando Ted Kramer– e “Tootsie” (1982), em que o personagem Michael Dorsey passava quase todo o filme travestido na personagem Dorothy Michaels. Em 1988 protagonizou, ao lado de Tom Cruise, o filme “Rain Man” pelo qual receberia o segundo Oscar de melhor ator principal. Foi o segundo ator a conseguir tal façanha (o primeiro foi Marlon Brando). O ator continua em atividade. Seu mais recente trabalho é na dublagem do personagem Shifu, na animação “Kung Fu Panda 3”, previsto para estrear em 2015.

Robin Williams:

Robin Williams McLaurin nasceu em 21 de julho de 1951 em Chicago, Illinois. Robin estudou ciências políticas brevemente, antes de se matricular na escola Juilliard para estudar teatro. Depois de sair de Juilliard, ele se apresentou em casas noturnas, onde foi descoberto para o papel de Mork em um episódio de “Happy Days” (1974) e subsequentemente protagonizou o seriado spin-off “Mork & Mindy” (1978 – 1982). Neste período foi escalado para protagonizar o longa “Popeye” (1980), seu primeiro protagonista no cinema. Williams também provou ser um ator dramático eficaz, atuando em filmes como “Bom Dia Vietnã” (1987) e “Sociedade dos poetas Mortos” (1989), interpretando o rebelde professor John Keating . Seu talento foi agraciado com um Oscar de Melhor Ator Coadjuvante em “Gênio Indomável” (1997). Infelizmente, o ator conviveu a vida toda com problemas de depressão e alcoolismo. Em 11 de agosto de 2014, Robin Williams foi encontrado morto em sua casa em Tiburon, Califórnia, EUA, vítima de um aparente suicídio, de acordo com o Departamento do Xerife do Condado de Marin. A ligação para o 911 foi recebido às 11:55 am. Os bombeiros e paramédicos chegaram a sua casa em 12:00, e ele foi declarado morto às 12:02 Seu último trabalho foi no filme “Absolutely Anything”, fazendo a voz do cão Dennis. O longa está previsto para estrear no primeiro semestre de 2015.

Julia Roberts:

Julia Fiona Roberts jamais sonhou que um dia viria a ser a atriz mais popular dos EUA. Ela nasceu em 28 de Outubro de 1967 em Smyrna, Georgia. Quando criança, devido ao seu amor pelos animais, Julia originalmente queria ser veterinária, mas depois estudou jornalismo. Quando seu irmão, Eric Roberts, alcançou algum sucesso em Hollywood, Julia decidiu tentar atuar. Seu primeiro sucesso veio em 1988, quando ela apareceu em dois filmes dirigidos aos adolescentes: “Três Mulheres, Três Amores” (1988) e “Satisfação” (1988). O maior sucesso de Julia foi no papel de Vivian Ward em “Uma Linda Mulher” (1990), pelo qual Julia conseguiu uma indicação ao Oscar, e também ganhou o People’s Choice Award for Favorite Actress. Mesmo que depois disso a atriz viesse a estrelar filmes mais sérios como “Dormindo com o inimigo” (1991), ou desempenhando papéis de fantasia, como A Rainha de “Espelho, Espelho Meu” (2012), o público sempre amaria Julia pelas comédias românticas. Com “O Casamento do Meu Melhor Amigo” (1997) Julia deu nova vida ao gênero que estava em baixa em Hollywood há algum tempo. Julia também se envolveu com instituições de caridade da UNICEF e fez visitas a diversos países, incluindo o Haiti e a Índia, a fim de promover a boa vontade. Julia é um dos talentos mais populares e procurados em Hollywood. A atriz continua em atividade e seu último trabalho foi em “The Secret in Their Eyes”, programado para estrear no segundo semestre de 2015.

Maggie Smith:

Uma das atrizes mais famosas e ilustres do mundo, Dame Maggie Smith nasceu Margaret Natalie Smith, em Ilford, Essex, Inglaterra, no dia 28 de Dezembro de 1934. Smith foi casada duas vezes: com o ator Robert Stephens (1967-1974) e com o dramaturgo Beverley Cross de 1975 até sua morte, em 1999. Ela teve dois filhos com Stephens: Chris Larkin e Toby Stephens, que também são atores. A carreira de Maggie Smith começou no Oxford Playhouse em 1950. Ela fez sua estreia no cinema em 1956, como uma das convidadas da festa em “Child in the House” (1956). Ela atuou em mais de sessenta filmes e séries de televisão com alguns dos mais proeminentes atores e atrizes do mundo. Estes incluem: “Othello” (1965), com Laurence Olivier, “A Primavera de Uma Solteirona” (1969), que lhe rendeu o Oscar de melhor atriz principal, “California Suite” (1978) – pelo qual recebeu o Oscar de melhor atriz coadjuvante – com Michael Caine e Jane Fonda, “Fúria de Titãs” (1981), interpretando a deusa Thetis, “Uma Janela Para o Amor” (1985), “Ricardo III” (1995), com Ian McKellen e Jim Broadbent, “Chá com Mussolini” de Franco Zeffirelli (1999), com Judi Dench, Joan Plowright e Cher e “Assassinato em Gosford Park” (2001), com Kristin Scott Thomas e Clive Owen, dirigido por Robert Altman. Maggie Smith também foi indicado ao Oscar seis vezes, vencendo duas. Mais recentemente, Smith apareceu na muito bem sucedida franquia ‘Harry Potter’ como a formidável professora McGonagall. Maggie também possui uma extensa filmografia na tv, incluindo comédias tais como “Assassinato por Morte” (1976), interpretando Dora Charleston. Em 1970, Maggie foi agraciada com a Comenda do Império Britânico, e em 1990 recebeu o título de “Dame”. Foi premiada com o Hamburg Shakespeare Prize em 1991, é membro do British Film Institute, foi premiada com um BAFTA em 1993 e tem diplomas honorários de literatura da Universidade de Cambridge, além de ser patrona da Jane Austen Society. A atriz continua em atividade e seu mais novo trabalho ainda está em plena produção. Trata-se do filme “The Lady in the Van”, com previsão de lançamento para o final de 2015.

Bob Hoskins:

Robert William Hoskins Jr. nasceu em 26 de outubro de 1942, em Bury St. Edmund, Suffolk, Inglaterra, onde sua mãe morava após terem sido evacuados como resultado dos bombardeios pesados durante a segunda guerra. Hoskins recebeu apenas a educação básica já que deixou a escola aos 15 anos, mas com uma paixão pela língua e literatura incutido por seu ex-professor de Inglês. Frequentador regular de teatro, Hoskins sonhou estrelar nos palcos, mas antes que ele pudesse fazer isso ele teve que trabalhar fazendo biscates por um longo tempo para fazer face às despesas. Sua carreira de ator começou por acidente. Quando acompanhou um amigo para assistir à algumas audições, foi confundido como um dos candidatos, recebendo uma placa em suas mãos com a mensagem “Você é o próximo”. Ele conseguiu o papel e adquiriu um agente. Depois de algum sucesso nos palcos, ele partiu para a televisão, com papéis em séries como “Villains” (1972) e “Thick as Thieves” (1974). Em meados dos anos 70, começou a sua carreira no cinema, destacando-se quando se apresentou ao lado de Richard Dreyfuss em “Inserts” de John Byrum (1974) e em um papel menor em “O Heroico Covarde” de Richard Lester (1975). Pelo filme “Mona Lisa” (1986), interpretando o personagem George, foi premiado em Cannes, além de indicado ao Oscar de melhor ator e faturou um Globo de Ouro e o Bafta, considerado o Oscar britânico. Talvez um de seus trabalhos mais conhecidos tenha sido na pele do detetive Eddie Valiant, no longa “Uma Cilada Para Roger Rabbit” (1988). Bob Hoskins faleceu no dia 29 de Abril de 2014, depois de ter sido hospitalizado devido á uma pneumonia. Em 2011, ele foi diagnosticado com mal de Parkinson, se aposentando no ano seguinte. Seu último trabalho foi como o anão Muir de “Branca de Neve e o Caçador” (2012).

O diretor:

Steven Allan Spielberg nasceu em 18 de dezembro de 1946 na cidade de Cincinnati, Ohio, EUA e começou a carreira bem cedo. Com menos de 20 anos de idade ele já tinha alguns filmes independentes no currículo. No início de 1970, Spielberg estava trabalhando na TV, dirigindo séries como “Galeria do Terror” de Rod Serling (1969 – 1971), e “Columbo” (1971), quando chamou a atenção dos grandes estúdios de Hollywood. Depois de dirigir “Louca Escapada” (1974) foi chamado para um projeto que ninguém queria assumir. “Tubarão” (1975) era um filme de terror de baixo orçamento, considerado de segunda categoria até pelos produtores. Mas sob a direção de Spielberg, “Tubarão” transformou-se num suspense de altíssima qualidade e num gigantesco sucesso, tornando-se o primeiro “BlockBuster” do cinema. E vieram outros. O diretor tem cinco filmes entre as cem maiores bilheterias de todos os tempos, e isso sem levar em conta a inflação. Dois destes filmes, “ET – O Extraterrestre” (1982) e “Jurassick Park” (1993) ficaram, em sequência, na liderança das maiores bilheterias do cinema por 15 anos. Spielberg também tem o talento reconhecido pela crítica, recebendo vários prêmios, incluindo dois Oscars de melhor diretor por “A Lista de Schindler” (1993) e “O Resgate do Soldado Ryan” (1998). No momento o diretor está trabalhando em três filmes, entre eles o quinto filme da franquia “Indiana Jones”, previsto para 2017.

Prêmios:

OSCAR

Indicações:

Melhor Direção de Arte

Melhor Figurino

Melhor Maquiagem

Melhor Canção Original – “When You’re Alone”

Melhores Efeitos Especiais

GLOBO DE OURO

Indicação:

Melhor Ator – Comédia/Musical – Dustin Hoffman

FRAMBOESA DE OURO

Indicação:

Pior Atriz Coadjuvante – Julia Roberts

Fontes: cineclick.com.br, neverpedia.com, imdb.com, aveleyman.com, moviestillsdb.com, digboston.com, fanpop.com, disney.com, sonypictures.com, moviefanatic.com, news.moviefone.com, movieboozer.com, digitaltrends.com e biography.com.

image

52 comentários para HOOK – A VOLTA DO CAPITÃO GANCHO (1080p/Tetra Áudio) – 1991

  • BRUNOH  Disse:

    Parabéns pelo trabalho!

    • Don Costa  Disse:

      Bom dia Brunoh.
      Hook não é uma unanimidade no mundo cinematográfico, mas não poderia deixar de estar no acervo do Tela de Cinema.
      Apesar dos problemas enfrentados na produção, ele ainda é um legítimo Spielberg, com sua peculiar maneira de contar uma história. Ação, diversão e muuuuuuiiiiitttaa emoção, características que nos cativam há quase quatro décadas.
      Obrigado pela mensagem.
      Abraços.

  • Leandro  Disse:

    Eu jurava que nunca mais ouviria Newton da Matta (meu dublador preferido de todos os tempos), dublando Dustin Hoffman neste filme… Don, cara, muito obrigado véi. Muito obrigado mesmo. Há anos que venho procurando essa dublagem, muito obrigado.

    • Don Costa  Disse:

      Olá Leandro.
      Que bom que gostou do arquivo.
      Hoje, com o acesso cada vez maior à internet, mais e mais pessoas interagem em todas as áreas. Todos os dias surgem coisas novas na rede e isso inclui arquivos raros. São imagens, documentos, vídeos e áudios. O que não existe na rede hoje pode aparecer nela amanhã. Aqui mesmo no Tela surgem constantemente arquivos raríssimos que todos juravam que jamais reapareceriam.
      São 7 bilhões de pessoas no planeta. 200 milhões só no Brasil. É muito improvável que um determinado arquivo esteja realmente perdido para sempre. Uma das minhas postagens aqui foi de uma versão do filme “Metropolis” (1927) restaurado e complementado com uma cópia quase completa encontrada na Argentina em 2008. Ninguém mais esperava encontrar uma cópia tão completa desse filme depois de tantos anos. Estava esquecido em um sótão.
      Então nunca perca as esperanças de rever um filme raro ou encontrar um áudio mais raro ainda.
      Uma hora ele aparece.
      Ainda mais com o empenho de todos os membros (você inclusive) desta grande família que é o Tela de Cinema.
      O simples fato de pedir determinado filme já é um passo importante para ajudar à encontrá-lo.
      Grato pela mensagem e tenha uma boa sessão.
      Abraços.

  • rodolfoalbiero  Disse:

    Eu tenho o áudio com a dublagem de SP, do VHS, com o Nelson Machado (estúdio Megassom). Se tiver interesse, posso passar para você fazer um com as três dublagens.

    • xandy_jpv  Disse:

      Nossa amigo!! Seria magnífico se você pudesse passar este áudio com o Nelson Machado! Gosto muito das dublagens feitas por ele!!! Caso ninguém se prontifique a fazer a RMZ, eu posso me arriscar!

    • Don Costa  Disse:

      Oi Rodolfoalbiero.
      Tenho todo o interesse do mundo.
      Eu nem sabia da existência desta dublagem. Acredito que quanto mais informações um arquivo tiver e mais completa for a postagem, melhor será a divulgação e distribuição destes itens tornando-os cada vez menos raros.
      Acho que não deveriam existir arquivos raros em obras de arte. Todos deveriam ter acesso àquele filme que assistiu na infância ou àquela dublagem que marcou um determinado momento da vida.
      Embora entenda e agradeça aos colecionadores, pois muitos desses arquivos só chegaram até nós devido ao trabalho meticuloso e até pelo investimento financeiro desses amantes da sétima arte, é das produtoras e distribuidoras que cobro uma atitude mais correta em relação aos filmes raros. Elas têm (ou tinham) os originais e deveriam se esforçar ao máximo para que todos tivessem acesso à eles, por um preço justo, por mais complexas que sejam as negociações e legislações relacionadas à direitos autorais. Sei que quando isso envolve dublagens e redublagens a questão é bem complicada, mas acredito que um acordo apenas razoável é bem melhor que uma boa briga.
      Vou agradecer muito se você me mandar este áudio e terei enorme prazer em fazer um tetra áudio desse filme.
      Pode enviar aqui mesmo na parte de comentários ou mandar para meu e-mail – doncosta10@gmail.com.
      Mande, também, o nome com o qual você gostaria de ser creditado, ou indique se pode ser rodolfoalbiero mesmo.
      Obrigado pela mensagem e pela contribuição.
      Abraços.

  • antonio8808  Disse:

    muito obrigado.

    • Don Costa  Disse:

      Grato pela mensagem, Antonio.
      Espero que se divirta ao assisti-lo tanto quanto eu me diverti ao postá-lo. É impressionante a quantidade de coisas que aprendemos sobre a produção de um filme ao procurarmos informações sobre ele. Algumas surpreendem. As pesquisas para obter essas informações são bastante trabalhosas, mas incrivelmente prazerosas.
      Remasterizações e postagens são uma terapia que recomendo à todos.
      Abraços.

  • Alainstair  Disse:

    Cara, que megapostagem é essa? Maravilhoso, não só o filme mas a página ficou show com todas as informações! Parabéns!

    • Don Costa  Disse:

      Oi amigo Alainstair.
      Dê só uma olhada lá no alto e veja o nome do responsável pela editoração.
      Outro trabalho de mestre do grande Wagner S.
      Não importa a quantidade de informações enviadas. Não interessa a forma como essas informações são enviadas. Esse quarteto mágico do Tela (Sparrow, Ed, Marcos e Wagner) sempre monta páginas super agradáveis de serem lidas e facil de serem entendidas.
      A página fica tão boa que aumenta a vontade de se assistir ao filme.
      Novamente nossos agradecimentos aos amigos Capitão Sparrow, Ed, Marcos F. e Wagner S. (em ordem alfabética), principais responsáveis pelo fato de o Tela de Cinema ser o melhor lugar para compartilhamentos na internet.
      Um grande abraço à você, Alainstair, e boa sessão.

      • Alainstair  Disse:

        Eu serei eternamente grato à eles, e a todos que nos proporcionam alegrias como essa. Agora vou esperar pela sua versão quadri/tetra audio, he he …. valeu Don, mais uma vez receba nossos parabéns e obrigado tb, já de antemão ao rodolfo albiero por estar cedendo mais um audio! Valeu!!

  • rodolfoalbiero  Disse:

    Aqui tem um trecho da dublagem que gravei há alguns anos.

    Vou te passar depois por e-mail o áudio todo.
    Abraço!

  • FX  Disse:

    Que maravilha! a primeira vez que esse filme passou,foi ao ar em um domingo em cinema especial,noite de natal de 1994 a quase 20 anos segue ai http://www.youtube.com/watch?v=uZiNtsuZZ4k inesquecível e emocionante,grande trabalho por esse RMZ FULL HD muito obrigado de coração marujo Don Costa!!!

    • Don Costa  Disse:

      Boa tarde, FX.
      Se cada postagem minha trouxer boas lembranças para pelo menos um dos amigos do Tela, então todo o meu trabalho valerá a pena. Filmes e músicas antigas costumam causar um turbilhão de emoções, nostalgias e saudades de uma época que não volta mais. Que bom que esta remasterização conseguiu, 20 anos depois, te transportar de volta ao Natal de 1994, já que essa data parece ter um significado especial para você.
      Grato pelo depoimento e um Feliz Natal (1994).
      Abraços.

  • xokan  Disse:

    Ótimo trabalho Don. Rodolfo, você poderia postar o áudio da megasom né, para os que já baixaram esse release do Don.

    • Don Costa  Disse:

      Oi xokan.
      Assim que filtrar, normalizar e sincronizar esse áudio do Rodolfo, eu o postarei também em separado para os amigos que já baixaram o filme. Assim não será necessário que baixem todo o filme novamente.
      Abraços.

  • hinotojr  Disse:

    Parabéns pela postagem.
    Só uma dúvida, foi você mesmo quem ripou o áudio?
    Obrigado novamente.

    • Don Costa  Disse:

      Olá amigo, hinotojr.
      Os áudios não foram ripados por mim. Eu os encontrei em um dos tópicos da comunidade “Não à Redublagem” no Orkut. Eles não estavam creditados, então, quando enviei os dados para o Tela montar a postagem, creditei os áudios para a comunidade inteira. Por não ser um crédito dado diretamente à alguém, e sim à um grupo, o pessoal do Tela pode tê-lo omitido, já que existem regras específicas sobre citar outros sites que não sejam parceiros do Tela nas postagens.
      Ao verificar isso, tentei voltar ao Orkut para uma pesquisa mais detalhada, mas ele já tinha saído do ar.
      Sei que você é ativo nos fóruns e comunidades dedicados à dublagens e talvez tenha conhecimento de quem ripou esse áudio originalmente na extinta comunidade “Não à Redublagem”. Se souber, por favor informe-nos.
      O amigo Rodolfo já me mandou uma terceira dublagem e eu estou preparando um tetra áudio para atualizar essa postagem.
      Caso você tenha a informação, eu creditarei devidamente todos os áudios na atualização. Acho que consigo atualizar ainda esta semana.
      Grato pela mensagem e um grande abraço.

      • Wagner S.  Disse:

        Nossa Don me perdoe, essa informação passou batida no momento em que montei o post. Acabei de adicionar.

        • Don Costa  Disse:

          Tudo bem, Grande Wagner!
          Não precisa se desculpar. É tanta informação que a gente acaba deixando passar um ou outro item. Quantas vezes eu já mandei postagens com erros ou com itens faltando? Isso aconteceu em praticamente todas elas e vocês gentilmente sempre fizeram as correções, mesmo tendo trabalho extra. Então não se preocupe com esse caso.Eu só não avisei antes porque achei que a divulgação da comunidade iria contra as regras indicadas no CHAT. Mas obrigado pela correção.
          Seja como for, semana que vem a postagem será atualizada para um tetra áudio e teremos mais colaboradores para serem creditados.
          Grande Abraço.

          • hinotojr  Disse:

            Oi Don.
            Pois é, eu também ia oferecer a dublagem do VHS, pois adquiri este faz alguns dias. Ainda não assisti, pelo começo que verifiquei está ótimo. Se por acaso tiver alguma parte faltando ou com defeito, favor informar que capturo pra você.
            Obrigado novamente!

    • Don Costa  Disse:

      Grato pela oferta, hinotojr.
      O arquivo enviado pelo Rodolfo estava em muito bom estado. Existiam poucos problemas no início, no fim e nos cortes, além da questão da diferença de fps que é um padrão no VHS. Mas, no contexto geral, a qualidade está muito boa. Já o editei e remasterizei o tetra áudio. Estou começando à upar os arquivos e eles estarão disponíveis ainda essa semana.
      Obrigado pela disponibilidade.
      Abraços.

  • xokan  Disse:

    Pra variar Don e suas postagens perfeitas.

    • Don Costa  Disse:

      Boa tarde, xokan.
      A postagem só atinge essa excelência devido á colaboração de vários marujos. Eu só junto tudo num pacote e mando o conteúdo para os editores criarem a página. Esses sim são os responsáveis diretos por aquilo que você vê na postagem. Com tanta gente participando, não tem como a postagem ficar ruim.
      Grato pela mensagem.
      Abraços.

  • andrecosta  Disse:

    Valeu pela postagem. Esse clássico será sempre lembrado e com essa dublagem ficou perfeito. São pessoas como vocês que tornam
    o prazer de ver um filme algo inesquecível.

  • Don Costa  Disse:

    Olá André.
    É função primária do Tela de Cinema disponibilizar os mais diversos tipos de arquivos para os fãs de cinema e tv. Dentre eles estão os filmes clássicos. Pra mim, quanto mais antigo e mais difícil de se conseguir determinado arquivo, maior será a minha satisfação em compartilhá-lo. E esse pensamento é padrão entre os marujos colaboradores do site.
    Obrigado pela mensagem.
    Um abraço.

  • Camilapic  Disse:

    Valeu, preciso ver este! Postagem caprichada, amigo!

    • Don Costa  Disse:

      Olá Camila.
      De fato, “Hook” é uma obra imperdível.
      É curioso como alguns filmes vão sendo cada vez mais valorizados com o passar do tempo, contrastando com as impressões iniciais. “Guerra nas Estrelas” (1977) era uma aposta tão fraca que os próprios produtores lançaram o filme em apenas algumas salas na semana de estréia. Depois de algumas semanas tiveram de produzir e distribuir cópias de emergência para outros cinemas, já que as filas dobravam quarteirões. “Titanic” (1997) parecia que ia ser um fracasso de bilheteria, até que adolescentes apaixonadas por DiCaprio aumentaram significativamente as vendas de ingressos quando voltavam aos cinemas para rever o filme, várias e várias vezes, chamando a atenção de outros espectadores e críticos que começaram a ver a obra com mais atenção. Transformou-se na maior bilheteria da história até a estréia de “Avatar” (2009). Um dos exemplos mais emblemáticos talvez seja o de “A Fantástica Fábrica de Chocolate” (1971), que obteve uma bilheteria que mal cobriu os custos de produção, mas que obteve um estrondoso sucesso com vendas para a tv, VHS, DVD e Bluray. Hoje é um dos filmes mais carismáticos e lembrados do cinema mundial.
      “Hook” também não foi bem recebido pela crítica em sua estréia. Hoje ele caminha para ser um dos filmes mais celebrados do cinema, com um crescente fã clube mundial, incluindo fãs que nem haviam nascido na época de seu lançamento.
      Interessante como esses acontecimentos são totalmente imprevisíveis.
      Acredito que vá gostar desse. É um legítimo Spielberg, tão bom quanto um Spielberg pode ser.
      Grato pela mensagem.
      Abraços.

      • Camilapic  Disse:

        É verdade Don Costa!! Eu por exemplo me interesso sempre mais por produções antigas que pelos lançamentos. Vai entender né!!

  • Celo Silva  Disse:

    Gente como eu faço pra sincronizar o áudio pelo programa MKVmerge?? Me ajudem por favor!!!! 🙁

    • MARCOS F.  Disse:

      Celo Silva: VEJA ESTE PRINT ABAIXO:

      T

      NESTE EXEMPLO ADIANTAMOS A TRILHA DE ÁUDIO, EM RELAÇÃO AO VÍDEO, EM 125ms, POR ISSO O SINAL DE MENOS ANTES DO NÚMERO. O CONTRÁRIO BASTA COLOCAR APENAS O NÚMERO SEM SINAL ALGUM.
      ESPERO TER AJUDADO,
      ABRAÇÃO!

  • Celo Silva  Disse:

    Obrigado Marcos F, mas o que eu quero saber mesmo é como sincronizar o áudio do Megasom no filme Hook, disponibilizado para os que baixou o filme na versão Tri-áudio. Eu baixei o programa MKVmerge mas não estou conseguindo ANEXAR o áudio no filme.

    • MARCOS F.  Disse:

      Celo Silva
      VOU PREPARAR UM PASSO A PASSO AQUI E HJ A TARDE POSTO NOS COMENTÁRIOS PRA LHE AJUDAR. AGUARDE,
      ABRAÇO!

      • MARCOS F.  Disse:

        ENTÃO CELO, VEJA E SIGA ESTES PASSOS NO MKVMERGE, QUE CONSEGUIRÁS FACILMENTE ANEXAR O ÁUDIO MEGASOM NO TRI ÁUDIO QUE TENS AÍ:

        1o – ADD – ADICIONE/ABRA/CARREGUE SEU TRI ÁUDIO PRO PROGRAMA

        1

        2o – ADD – NOVAMENTE PRA ADICIONAR O ÁUDIO MEGASOM
        2

        3o – ELE APARECERÁ NO FINAL DA LISTA E SE DEIXARES ELE MARCADO NO E NO SERÁ O 4o ÁUDIO)

        3

        4o – UP – PRECIONANDO ESTE BOTÃO SOBE O ÁUDIO PRA OUTRA POSIÇÃO (3o OU 2o OU 1o)

        4

        5o – EX: SE QUISERES QUE O ÁUDIO MEGASOM SEJA O PRIMEIRO A ENTRAR QUANDO FORES ASSISTIR O FILME – MARQUE YES E YES

        5

        6o – AGORA START MUXING

        6

        7o – O MKVMERGE ABRIRÁ A CAIXA DE TRABALHO MOSTRANDO UMA BARRA VERDE DE STATUS DO MUXING

        7

        QUANDO ESTIVER PRONTO ELE DIRÁ QUE FINALIZOU E PRONTO. SEU TETRA ÁUDIO ESTÁ PRONTO (OBS – NÃO PRECISA SINCRONIZAR ÁUDIO).

        ESTOU NA TORCIDA AQUI E QUALQUER DÚVIDA PERGUNTE,
        ABRAÇÃO!

  • MARCOS F.  Disse:

    GRANDE AMIGO DON COSTA!

    AGORA, QUE BAIXEI A VERSÃO REDUZIDA PRA AJUDAR O CELO A ANEXAR O ÁUDIO MEGASOM, ASSISTIREI PELA PRIMA VEZ ESTE CLÁSSICO DOS ANOS 90…
    E COM DUBLAGENS PRA TODOS OS GOSTOS!! PARABÉNS POR MAIS ESTE TRABALHO SENSACIONAL E MUITO OBRIGADO PELO PRESENTE,
    GRANDE E FORTE ABRAÇO MARUJO IRMÃO!!

    • Don Costa  Disse:

      Opa!!!! Oficial no convés!! Melhor bater continência!
      Grande amigo Marcos!
      Eu é que tenho de te agradecer pela ajuda na brilhante explicação passo a passo de como se anexar um áudio utilizando o MKVMerge. Uma coisa é saber como se faz, como eu. Outra completamente diferente é explicar para quem não sabe de maneira clara e coerente. Confesso que não sou o mais adequado para isso. Minha explicação de como se anexar o áudio teria pelo menos umas duzentas linhas e ainda assim deixaria dúvidas.
      Quanto ao filme, é para matar a saudade de Robin Williams e Bob Honskins. Esse filme já tem 23 anos e parece que foi ontem que o assisti pela primeira vez. A partida desses astros, ano após ano, é um sussurro ensurdecedor de que estamos envelhecendo. Às vezes me dou conta de que em vários filmes desses atores, aos quais assisti no cinema, eles eram mais jovens do que eu sou hoje.
      É. Como diria um radialista locutor de futebol daqui de São Paulo, nas décadas de 70 /80, sempre lembrando que a partida estava chegando ao seu final: _”O Teeeeeeeeeeeempo Passaaaaaaa!”.
      Grato pela ajuda e pela mensagem, amigo.
      E um grande abraço.

  • Celo Silva  Disse:

    Marcos F, como agradecer a vc?!!! FUNCIONOU PERFEITAMENTE!!! Só não postei um agradecimento antes pq estava viajando e só hj pude anexar o áudio da Megasom que é muito bom. Obrigado pela atenção e, como disse o amigo Don Costa acima, pela sua explicação clara para os leigos da área (eu kk). Valeu mesmoo!!!

    • MARCOS F.  Disse:

      FICO FELIZ COM A NOTÍCIA CELO! É SEMPRE GRATIFICANTE AJUDAR OS AMIGOS,
      ABRAÇÃO!

  • D3SIGN3R  Disse:

    Clássico absoluto!!!! Marcou minha infância!!!!
    Muito obrigado!!!

  • MichDoug  Disse:

    Prezado amigo.

    É a primeira vez que acesso seu site, e já informo antecipadamente que achei muito rico em informações, Parabéns! Porém, fico triste com uma informação, o motivo de eu ter achado esse site foi porque me deu vontade de ver esse filme, pois “eu” fiz a RMZ dele em 2013 com esses áudios e essas legendas e postei na Comunidade “Não à Redublagem”, queria ver se minha RMZ circulava na net. Porém foi creditada à outra pessoa pelo que vi acima, está exatamente como eu deixei, apenas que baixaram e colocaram em um novo link do 4Shared (10 partes como eu dividi), talvez seja uma grande coincidência, e se for, peço desculpas pelo meu pronunciamento, e para provar o que digo, segue o link da parte 01 do arquivo e poderá a ver a data de postagem “15/05/2013” http://www.4shared.com/rar/deVPhXbC/hook_-_1991part01.html? . Veja que o arquivo está na mesma situação, com o mesmo tamanho e com a mesma quantidade de partes, isso para o arquivo menor, não fiz o de mais de 4Gb, Gostaria que se fosse a minha RMZ, fizessem o devido creditamento por gentileza. Aproveito também para agradecer a postagem de mais um áudio, isso enriquece mais ainda o Filme, baixei e já embuti. Desculpem o trastorno, Não ligo muito para crédito e guardar raridades, acho que todos merecem ver grandes trabalhos, afinal, pode ver que no meu link o filme está com o nome descrito de uma forma que se entrassem no “busca do 4shared” encontrariam “Hook – 1991”. Agradeço a atenção.

    • Don Costa  Disse:

      Bom dia MichDoug.
      Seja muito bem vindo ao site.
      Não precisa ficar triste, pois eu garanto à você que esta remasterização não é a sua. Eu me lembro bem do trabalho que tive na época para fazê-la. Eu busquei um vídeo maior na rede em um torrent internacional, reencodei em dois tamanhos e trabalhei nos áudios e legendas para postar aqui, como sempre faço. E sempre que as fontes podem ser identificadas elas recebem os créditos. No caso dos áudios está ali: comunidade “Não À Redublagem” (Orkut) e rodolfoalbiero.
      Talvez a maior pista para confirmar que são remasterizações diferentes seja a própria descrição que você fez da sua. Ela têm duas dublagens e 1.79Gb de tamanho. Bem, para atingir este exato tamanho o arquivo menor da minha precisou ter três dublagens. Isso sem contar que a postagem apresenta duas remasterizações com um arquivo maior com 4,28Gb e um menor, derivado dele, com 1,79GB.
      Espero ter esclarecido a dúvida.
      Como você é um remasterizador, convido-o a fazer parte do Tela de Cinema e compartilhar conosco as suas criações. O Tela está sempre de portas abertas para novos colaboradores.
      Muito obrigado pelo comentário.
      Um grande abraço pra você.

      • MichDoug  Disse:

        Boa tarde Don!

        Desculpe a demora em responder, fiquei um tempo ausente da internet.

        Referente ao filme, na verdade o meu tem esse tamanho de 1,79 sendo trial áudio (2 dublagens + original), provavelmente pegamos o mesmo release (também peguei um torrent internacional que vinha com legendas em inglês e espanhol, mantive no meu projeto), bom, de certa forma é uma pena, pois foram feitos 2 RMZ do mesmo filme, um certo desperdício de tempo rsrs, no momento não estou em casa pra checar as minhas RMZ, mas não são muitas. Mas que lembro de cabeça agora fiz dois filmes do Bruce Lee, sendo “A Fúria do Dragão” com 5 faixas de áudio (Cantonês, Mandarim, Herbert Richers e 2 dublagens da CLONE), fiz também “O Vôo do Dragão”, pois o DVD nacional saiu com muitos cortes, inseri o áudio original nos trechos deletados e fiz a legenda texto, fiz a RMZ dos “The Blues Brothers” (Os irmãos Cara de Pau) 1 e 2, o primeiro filme saiu uma versão do diretor com alguns minutos a mais, portanto fiz 2 rmz, a normal e a estendida, sendo a estendida com inserções de áudio original e legenda texto, rmz alguns episódios de “As Novas Aventuras do Ursinho Puff” pois achei alguns no youtube com péssima qualidade de imagem do SBT e chiado, limpei o áudio e sincronizei com vídeos de boa qualidade que achei num site russo na época (2012), enfim, tenho mais alguns lá que não me lembro agora, todos esses eu postei no “Não a Redublagem” na época, mas se forem uteis aqui no Tela de Cinema compartilho com prazer. Só me orientarem de como proceder.

        Grande Abraço!

        • Don Costa  Disse:

          Muito boa tarde, MichDoug.
          Há uma chance enorme de termos pego o mesmo release sim, Eu sempre pego os vídeos em torrent com a melhor imagem possível para poder reencodar e não eram muitas as opções para este filme. Já os áudios são os mesmos com certeza, pois também peguei na comunidade “Não à redublagem” (exceto o da Megasom, enviado pelo Rodolfo Albiero). Mas não chega a ser um desperdício de tempo, pois quanto mais opções tivermos, melhor. Lembremo-nos do que aconteceu com a queda do Megaupload. Praticamente todos os links de filmes, jogos e músicas estavam hospedados nele ou em servidores semelhantes. Quando estes servidores caíram, muito material que estava espalhado na rede simplesmente desapareceu, pois os sites apenas copiavam e disponibilizavam os mesmos links, sem se darem ao trabalho de reupá=los em outros servidores ou fazerem suas próprias ripagens e remasterizações. Em tempos de ameaças constantes de quedas de links nos servidores (4shared), descontinuação de serviço (Orkut, Copy) ou mesmo golpes (minhateca), só a disseminação dos arquivos em vários links e sites garantirá o acesso de todos à eles.
          O material que você tem é, simplesmente, sensacional, o que demostra a paixão que você tem pelo cinema e será um prazer enorme recebê-lo como parte da família Tela de Cinema. Você notará que, em muitos aspectos, o Tela se assemelha à comunidade “Não à Redublagem”, pois os marujos que postam aqui mantém uma grande amizade entre eles, com colaborações constantes, e até os visitantes do site são do mais alto nível. Você é um grande exemplo disso.
          O site possui uma estrutura descentralizada – ele não hospeda os arquivos e apenas serve como um divulgador dos links e do material de cada colaborador. Mas a administração é centralizada e quatro moderadores cuidam do site em si e da confecção das postagens. Basta enviar os links com alguns dados adicionais e eles criarão a página e cuidarão do resto. Você só precisará manter os links ativos e responder aos comentários ao seu critério.
          Para postar seus arquivos no site, após hospedá-los em um servidor de sua preferência, entre em contato com os administradores através do formulário de contato disponível alí em cima na barra verde, dentro do tópico “Contato”. Dentro do mesmo tópico existe o ítem “Colabore Conosco”, que lista os ítens necessários em cada postagem, além das regras gerais do site.
          Agradeço imensamente a sua disposição em compartilhar os seus arquivos conosco.
          Seja muito bem vindo á comunidade Tela de Cinema.
          Forte abraço.

          • MichDoug  Disse:

            Bom dia caro Don!
            Concordo plenamente, manter tudo em um único servidor é um erro que não se pode mais repetir.
            No momento já tenho parte desse material upado no 4Shared e posso disponibilizar de imediato, gosto muito do Abelhas pelo seu desempenho, tive receio um certo tempo devido ao Minhateca, mas acredito que por hora se manterá “free”. O Material que tenho de imediato é: “Operação Dragão – 5 faixas de áudio”, “Os irmãos Cara de Pau 2000” e o Episodio 01 de “O Besouro Verde 1966 – Dual audio RMZ”. Pelo que verifiquei esses arquivos já tem aqui, porém não da mesma forma. Li o formulário, compreendi e gostei muito da padronização dos arquivos, facilita muito nas buscas. Só não sei fazer a parte dos screenshots, mas nada que uma busca no Google não ensine. Assim que possível posto o resto do material que tenho e futuras RMZ.

            Agradeço os elogios!
            E obrigado por abrir as portas para mais um Marujo!

            Grande abraço!

            • MARCOS F.  Disse:

              OLÁ AMIGOS, É MUITO LEGAL VER ESTE PAPO DE VOCÊS!
              PRA AJUDAR NA QUESTÃO DAS SCREENSHOTS, SUGIRO O MPC (MEDIA PLAYER CLASSIC).

              EX, COM COLUNAS E LINHAS:
              1o – RODA O VÍDEO E PAUSA EM QQ LUGAR
              2o – BOTÃO DIREITO OU MENU > ARQUIVO > SALVAR MINIATURAS
              3o – ESCOLHER A QUANTIDADE DE COLUNAS E LINHAS > SALVAR

              1

              2

              3

              AGORA EX. ESCOLHENDO UM FRAME DE MANEIRA PONTUAL.
              1o – PAUSA NA IMAGEM QUE QUER > BOTÃO DIREITO OU MENU > SALVAR IMAGEM
              2o – ESCOLHER DIRETÓRIO > SALVAR

              4

              5

              MichDoug, ESPERO CONTATO VIA FORMULÁRIO E QUALQUER DÚVIDA PERGUNTE QUE AJUDO. É SEMPRE UM PRAZER VER A FAMÍLIA “TELA DE CINEMA” CRESCER!!

              UM ÓTIMO FIM DE SEMANA E GRANDE ABRAÇO AOS AMIGOS!

            • Don Costa  Disse:

              Boa noite, amigo MichDoug.
              É comum que filmes e seriados tenham várias versões aqui no Tela. Você pode encontrar o mesmo título nos formatos de tv-rips, DVd-rips, Hd-rips, versões estendidas, do cinema, do diretor, ou mesmo versões exatamente iguais, mas que foram reupadas por outro marujo com um áudio melhorado, ou mesmo pelo fato dos links antigos terem ficado indisponíveis. E não há nenhum problema nisso. O importante é que todos possam ter acesso à todas estas versões e escolher baixar aquela que desejar. Por isso você pode postar o que quiser aqui no Tela tendo a certeza de que tal postagem será muito importante para alguém. Há marujos, inclusive, que não abrem mão de um bom TV-rip, preferencialmente com intervalos comerciais e tudo. A postagem neste caso funciona quase como uma cápsula do tempo e traz recordações incríveis da infância..
              A dúvida sobre os screens já foi respondida pelo Marcos F., que é um dos administradores do site. A presteza em ajudar na resolução da sua dúvida já dá uma idéia de como as coisas funcionam aqui no site. Todos muito eficientes e prestativos. É normal você receber ajuda até de quem não é moderador. Por isso chamamos o Tela de “família”. Vou sugerir mais um player que uso muito e gosto bastante. É o VLC Player. Ele é gratuito, leve e compatível com praticamente todos os tipos de vídeos. Nele, para se capturar uma imagem do vídeo, basta ir na aba “vídeo” e, na caixa de opções que abrir, vá em “Capturar a imagem”. Ele captura as imagens tanto no modo “play” (com o vídeo rodando), quanto no modo “pause” (com o vídeo parado). Acredito que a maioria dos players tenha uma forma de capturar imagens dos filmes, embora nunca tenha encontrado uma no Windows Média Player. Acho que com estas duas opções você não terá nenhuma dificuldade em capturar os screens.
              No aguardo das suas postagens, pois já estou reservando espaço no HD para as preciosidades que você postar.
              Um grande abraço, MichDoug.
              Um forte abraço, Marcos.

              • MichDoug  Disse:

                Bom dia Don / Marcos

                Obrigado pela ajuda com às imagens, realmente, percebo a vontade em ajudar e já me sinto
                muito bem recebido no Tela, com a ajuda de vocês fiz a postagens no formulário, acredito que preenchi todos os requisitos, caso tenha faltado algo, me desculpo antecipadamente e ficarei feliz em acrescentar às informações.

                Postei o “Operação Dragão, que verificando com calma não são 5 áudios, são 6. tudo especificado lá. No decorrer da semana farei outras postagens.

                Espero que os marujos gostem!

                Abraços Don e Marcos!

                • MARCOS F.  Disse:

                  MICHDOUG, JÁ RECEBI AS INFORMAÇÕES E PROVAVELMENTE PUBLIQUE DURANTE A TARDE. NUMA PRIMEIRA OLHADA ME PARECEU ESTAR TUDO CORRETO.
                  OBRIGADO PELO COMPARTILHAMENTO, UM ÓTIMO FIM DE SEMANA E FORTE ABRAÇO AMIGÃO!!

  • DouglasFlaRio  Disse:

    Olá! Partes 4 e 5 da versão reduzida estão off. Desde já, obrigado!

    • Don Costa  Disse:

      Oi Douglas.
      Verifiquei, aqui, e esses dois links foram deletados pelo 4shared. Esse servidor está me dando dor de cabeça desde o início deste ano. Por isso eu estou deixando de utilizá-lo e transferindo todos os meus arquivos menores para o pcloud. Só que eu não tenho mais os arquivos compactados deste filme. Então terei de reencodar, compactar e upar ele novamente. Esse procedimento levará alguns dias e, infelizmente, as novas partes serão incompatíveis com as que você já baixou, obrigando-o a baixar todas elas novamente. Caso não queira esperar, ainda tem a opção de baixar o arquivo maior pelo Mega, que está funcionando normalmente.
      Tentarei substituir a versão reduzida ainda este mês.
      Muito obrigado pelo aviso.
      Abraços.

Deixe uma resposta