FRANKENSTEIN ENCONTRA O LOBISOMEM (Tri Áudio 1080p) – 1943

FRANKENSTEIN MEETS THE WOLF MAN – 1943
FANTASIA – HORROR – SCI-FI
DIREÇÃO: Roy William Neill
ROTEIRO: Curt Siodmak
IMDb: 6,5
http://www.imdb.com/title/tt0035899/

RMZ (TRI ÁUDIO /1080p) – D. CLÁSSICA (AIC SP) + VERSÃO REDUZIDA + HQs

Postado por Don Costa & Johnahex

VERSÃO MAIOR
Formato: MKV
Qualidade: WEB-DL – 1080p (1424*1072) 4:3, AVC, 23976 FPS, 5000 Kbps.
Tamanho: 2,78 GB
Duração: 73 min.
Legendas (SELECIONÁVEL): Português / Inglês
Áudios (SELECIONÁVEL):
Português RMZ (Dublagem Clássica AIC SP) – 48,0 KHz, AC3, 2 canais, 192kbps.
Português RMZ (Dublagem Herbert Richers) – 48,0 KHz, AC3, 2 canais, 96kbps
Inglês – 48,0KHz, AC3, 2 canais, 448kbps.
Servidor: Mega (dividido em 12 partes)
Crédito Áudio D. Clássica AIC SP: Johnahex
Remasterização e postagem: Don Costa

VERSÃO REDUZIDA
Formato: MKV
Qualidade: WEB-DL – 1080p (1424*1072) 4:3, AVC, 23976 FPS, 1500 Kbps.
Tamanho: 1,00 GB
Duração: 73 min.
Legendas (SELECIONÁVEL): Português / Inglês
Áudios (SELECIONÁVEL):
Português RMZ (Dublagem Clássica AIC SP) – 48,0 KHz, AC3, 2 canais, 192kbps.
Português RMZ (Dublagem Herbert Richers) – 48,0 KHz, AC3, 2 canais, 96kbps
Inglês – 48,0KHz, AC3, 2 canais, 448kbps.
Servidor: Copy (dividido em 05 partes).
Crédito Áudio D. Clássica AIC SP: Johnahex
Remasterização e postagem: Don Costa

NOTA (Don Costa):

Agradecimentos especiais ao marujo Jonhahex que forneceu a rara dublagem da AIC – SP para esta remasterização.

PASTA VERSÃO MAIOR (MEGA – 12 PARTES): FRANKENSTEIN ENCONTRA O LOBISOMEM (VERSÃO MAIOR)

PASTA VERSÃO REDUZIDA (COPY – 5 PARTES): FRANKENSTEIN ENCONTRA O LOBISOMEM (VERSÃO REDUZIDA)

*LINK – HQ Frankenstein 1977 – 1978 (JPG) (122,6MB)

*LINK – AMOSTRA DUBLAGEM AIC

*LINK – AMOSTRA DUBLAGEM HERBERT RICHERS

EM CASO DE ARQUIVO CORROMPIDO:

Atualmente eu envio meus arquivos com dados para recuperação embutidos nos mesmos, para poderem ser recuperados em caso de erros durante o download. Esse sistema de recuperação repara pequenos erros em arquivos corrompidos, deixando-os em condições de serem descompactados.
Para executar essa recuperação faça o seguinte:
Abra somente a parte corrompida no winrar. Digamos que seja, por exemplo, a parte 02 do arquivo menor.
Clique na aba “Ferramentas” e depois em “Recuperar arquivos”.
Selecione o local para salvar o arquivo e clique em “Ok”.
Aguarde o final do processo. O programa criará um arquivo recuperado com um nome semelhante à esse: “fixed. FEoL1943BR1080TÁRMZDC&JVR.part2.rar”.
Exclua a parte 02 original com problemas, renomeie esse arquivo recuperado para “FEoL1943BR1080TÁRMZDC&JVR.part2.rar” e coloque-o na mesma pasta com as demais partes.
Descompacte normalmente. Geralmente essa ação resolve o problema..
Quando tiver algum problema com arquivos compactados no futuro, tente recuperá-los dessa forma. Lembrando que esse método de correção só funciona se o arquivo for criado com esses dados de recuperação embutidos e se os problemas com os arquivos forem pequenos.
Caso o problema persista, faça novamente o download dessa parte, evitando utilizar a internet para qualquer outra coisa durante o download. Se mesmo assim o erro persistir, avise-nos que eu upo a parte problemática novamente.
Abraços.

NOTA – Informações sobre os arquivos:

Foram gerados dois arquivos para esta postagem. Um maior com 2,78 Gb e outro menor com 1,00 Gb. Ambos têm três áudios e a única diferença entre eles é a bitragem de vídeo. As qualidades das imagens são muito parecidas, porém as diferenças ficam evidentes quando assistidas lado a lado em uma tv de alta definição. Para quem tem equipamentos de ponta, recomendo que baixe o arquivo maior. Também envio uma série de HQs tendo o personagem como tema.

HQs Frankenstein:


Essa série foi lançada entre os anos de 1977 e 1978 dentro do seguimento “Capitão Mistério” e mostra histórias e reportagens sobre o personagem. Está em português e no formato JPG, podendo ser aberta em qualquer visualizador de imagens. Seu tamanho é de 122,6 MB.

Este clássico tem início quando o terrível Lobisomem é despertado por alguns ladrões de túmulos. Vivendo um dilema devido a maldição que o acompanha e sentindo muita culpa por matar várias pessoas, Larry Talbot, o Lobisomem pare em busca de uma possível cura e para conseguir seu objetivo ele procura o Dr. Frankenstein, mas ao saber do falecimento do mesmo, acaba recrutando um cientista louco que traz de volta à vida o corpo congelado da criatura do Dr. Frankenstein. Destaque do filme fica por conta dos já consagrados Bela Lugosi e Lon Chaney Jr., além do roteiro que dá um clima pessoal de clássico. Indispensável aos amantes do gênero.

Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem

Informações sobre o filme:

A Universal tinha grandes esperanças de que “Frankenstein Encontra o Lobisomem” seria um sucesso de público, e não se decepcionou. O filme estreou no Cinema Rialto, na Broadway, em 05 de março de 1943 e era popular o suficiente para iniciar as projeções a partir das 08:30 da manhã, mantendo várias sessões até as 04:00 da manhã do dia seguinte, durante semanas. O filme marcou fortemente as bilheterias em outros cinemas de todo o país e foi a principal atração no tema “horror” da Universal em 1943. Este filme marca a primeira vez em que dois dos monstros clássicos da Universal Studio aparecem na tela juntos.


Cinema Rialto, na Broadway. Lotação de quase 20 horas por dia durante semanas. Reflexo do sucesso dos monstros da Universal.

Muitos consideraram essa fusão de dois ícones do terror em um único filme – algo muito incomum na época – o início de sua decadência, pois descaracterizava os universos originais de cada um deles. Isso, apesar do excelente roteiro de Curt Siodmak, que cuidou para que a origem de cada um dos monstros fosse preservada.


Uma grande campanha de marketing precedeu o lançamento do filme, explorando o encontro entre os dois ícones do estúdio.

Porém, o sucesso obtido por este filme transformaria as reuniões de personagens de universos diferentes em um mesmo filme num caminho sem volta, afastando cada vez mais os personagens de suas origens. Os sucessos se seguiram. No entanto, depois de “House of Frankenstein” (1944) e “House of Dracula” (1945), a Universal arriscou tudo novamente pondo à prova a popularidade de seus monstros, e em 1948 lançou “Abbott and Costello Meet Frankenstein”. Os monstros se voltaram para a comédia à fim de mantê-los em evidência, mas perderam totalmente o respeito do público, tendo reconquistado esse respeito somente na década de 80. É um triste fim para um poderoso império que a Universal criou e manteve no auge por quase duas décadas.


“Abbott and Costello Meet Frankenstein”. Comédia com personagens de terror clássico põe fim ao domínio da Universal no gênero.

Muitos anos mais tarde, o sucesso financeiro de “Frankenstein Encontra o Lobisomem” se repetiu quando foi lançado em vídeocassete. Em Nova York, no outono de 1986, quase todas as lojas da cidade acabaram com os estoques de suas cópias em poucos dias de vendas.

Várias cenas do filme foram deletadas e existem várias fotos mostrando tais cenas (o bate-papo na lareira entre o monstro e Talbot sob as catacumbas geladas do castelo por exemplo, onde Talbot e o público descobrem que o monstro ainda está cego). Isto foi confirmado por várias fontes, incluindo o roteirista Curt Siodmak. Em meados dos anos 80 foi feita uma busca por todos os depósitos dos estúdios da Universal para que se encontrasse uma cópia ou negativo da versão pré-lançamento sem cortes. Até hoje, tal negativo ainda não foi encontrado. Quando o diálogo do monstro foi suprimido, também foram removidas quaisquer referências à cegueira temporária do monstro – um efeito colateral do implante do cérebro de Ygor no monstro ao final de “A Alma de Frankenstein” (1942). Como resultado, a maneira de andar de Lugosi, com os braços levantados parecendo um sonâmbulo, não se explica e se tornou objeto de chacota por parte do público. Ele também estabeleceu o estereótipo “Frankenstein” de caminhar.


Cena deletada (no alto) com imagem restaurada (acima) continha informação vital para compreensão do roteiro do filme.

O diálogo falado pelo monstro foi editado antes do lançamento do filme por vários motivos. Um deles foi que o texto expressava o seu desejo de controlar o mundo, mas os executivos da Universal temiam que as audiências durante a Segunda Guerra Mundial iriam considerá-lo muito semelhante à própria retórica de Adolf Hitler. Porém nem todas as cenas em que há falas do monstro foram deletadas. Quando Larry Talbot descobre uma foto de Elsa Frankenstein, você pode ver a boca em movimento do monstro, mas não sai nenhum som. A maioria das cenas que incluíam o diálogo do monstro foram cortadas completamente ou reduzidas drasticamente. Mas aqui, a voz de Bela Lugosi foi simplesmente apagada.


Na cena acima, os lábios do monstro se mexem, mas não há som. Todas as falas do monstro foram cortadas do filme.

Quando o monstro está sendo recarregado no laboratório do Dr. Frankenstein pelo Dr. Mannering, ele está balbuciando as palavras: “Obrigado, Dr. Mannering!”, na única frase visualmente identificável que restou, mesmo sem som, de todo o diálogo original do monstro.


“Thanks, Dr. Mannering!”é a única frase identificável de todo o texto deletado de Bela Lugosi.

O monstro Frankenstein, interpretado por Bela Lugosi, é mudo no filme, embora o monstro de Boris Karloff tenha falado no início de “A Noiva de Frankenstein” (1935). Curiosamente, Lugosi tinha recusado o papel no “Frankenstein” original (1931), porque ele não teria quaisquer falas. Quando Lugosi aceitou interpretá-lo neste filme, o script original continha os diálogos para o monstro, que mais tarde foram retirados na montagem final.


Lugosi e seu filho nos sets do filme. O ator finalmente encarna o papel que recusara mais de uma década antes.

O filme foi rodado durante a Segunda Guerra Mundial, em meio à uma notória campanha pública anti-alemã criada pelo governo dos Estados Unidos. O roteirista Curt Siodmak, um judeu alemão que tinha fugido de seu país depois de ouvir discursos anti-semitas em 1937, deliberadamente alterou a localização do castelo de Frankenstein da Alemanha para a fictício “Vasaria.” “Vasaria” é traduzido livremente do alemão como “lugar de água”, obviamente, correlacionando a represa, a cachoeira e uma turbina hidrelétrica que são essenciais para o filme.


O castelo de Frankenstein se muda da Alemanha para a fictícia “Vasaria”, cuja represa (acima) é o local mais importante.

Com as cenas de diálogos de Bela Lugosi cortadas, ele aparece no filme por apenas cinco minutos e 6 segundos, com os dublês o substituindo por quase dois minutos adicionais.

O cão (Bruno) no filme é um pastor alemão chamado Moose, de propriedade do ator Lon Chaney Jr., e já tinha aparecido em cena anteriormente como o lobisomem que atacou Lawrence em “O Lobisomem” (1941).


O cão Moose novamente faz uma pequena ponta em um filme da Universal.

O dublê Gil Perkins substituiu Bela Lugosi nas cenas de ação, bem como na cena em que o monstro está sendo libertado do gelo. Na cena da luta final, Eddie Parker substituiu Lon Chaney Jr. como o lobisomem, enquanto Gil Perkins assumiu como o monstro. Com base em entrevistas concedidas anos mais tarde, Perkins pode ter também substituído o lobisomem de Chaney na cena de perseguição pela floresta para as ruínas do castelo. Alguns estudiosos de cinema insistem que Eddie Parker aparece como o monstro em várias tomadas do filme.


Gil Perkins e Eddie Parker . Os dublês estavam em boa parte das cenas de ação.

Fontes: Imdb.com, aveleyman.com, myweb.wvnet.edu, aintitcool.com, dialbforblog.com e listal.com.

Ilona Massey … Baroness Elsa Frankenstein
Patric Knowles … Dr. Mannering
Lionel Atwill … Mayor
Bela Lugosi … The Frankenstein Monster
Maria Ouspenskaya … Maleva
Dennis Hoey … Inspector Owen
Don Barclay … Franzec
Rex Evans … Vazec
Dwight Frye … Rudi
Harry Stubbs … Guno
Lon Chaney Jr. … The Wolf Man (as Lon Chaney)

# país: EUA
# duração original: 74 min.
# produção: Universal Pictures
# distribuidora: Universal Pictures…

22 comentários para FRANKENSTEIN ENCONTRA O LOBISOMEM (Tri Áudio 1080p) – 1943

  • victormetal  Disse:

    agradeço de mais aos responsaveis por essa postagem , pois eu estava e processo de rmz pra esse filme , e quando vi que vcs postaram , parei imediatamente e vou baixar essa maravilha, muito obrigado mesmo, já me economizou tempo então vou partir pra rmz outra coisa
    obrigado a todos

    • Don Costa  Disse:

      Boa noite, Victor!
      Tomara que o seu trabalho ainda estivesse no início. assim você não perderia toda a remasterização.
      Mas que bom que economizamos o seu tempo, liberando-o para outra rmz, que, alíás, estamos ansiosos para ver de qual filme se trata.
      Espero que goste do resultado do nosso trabalho apresentado nesta postagem.
      Obrigado pelo comentário. Grande abraço.

  • carlosm42  Disse:

    Mais um post arrasador !
    Muuiito Obrigadoo !

    • Don Costa  Disse:

      Como vai, Carlos!
      O filme é arrasador, então tentamos apresentar uma postagem à altura dele. Clássicos como este não pedem menos do que isso. Aqui, é um tri áudio em alta definição, onde podemos captar todo o esplendor da obra original, a partir da magnífica restauração feita pela Universal.
      Nós agradecemos muito o seu comentário.
      Forte abraço.

  • cidadaok  Disse:

    Don Costa e Johnahex,
    muito obrigado por mais este grande clássico com ótima qualidade.
    Grande abraço.

    • Don Costa  Disse:

      Olá cidadaok!
      Todos os agradecimentos ao Johnahex que nos presenteou com mais uma preciosidade do seu baú de tesouros secreto.
      Quase toda semana ele aparece com uma dublagem rara, que não ouvíamos há anos. Unindo a dublagem ao vídeo em alta definição, temos um arquivo perfeito.
      Muito obrigado por prestigiar nossa postagem.
      Abraços.

  • allexbizzu  Disse:

    muito bom! esse encontro,com essa dublagem ,show!

    • Don Costa  Disse:

      Oi Allexbizzu!
      Talvez um dos primeiros crossovers do cinema, o filme pode ter conseguido muito de sua popularidade justamente desse encontro entre dois personagens muito populares, mas de universos diferentes, em uma mesma produção. Hoje isso é comum, mas era uma novidade na época.
      É lógico que a simples presença dos personagens juntos não garantem o sucesso da empreitada, mas um bom roteiro e uma história cativante, como a que se apresenta aqui, formam uma base sólida para se alcançar esse objetivo.
      E tudo isso, para nós, tem de vir acompanhado da velha e boa dublagem clássica. Daquelas que nos habituamos à ouvir nas velhas tvs em perto e branco, com válvulas e transformadores, cheias de chiados e falhas.
      Isso sim é que é vida!
      Agradeço pelo seu comentário.
      Um grande abraço.

  • Jet Jaguar  Disse:

    Obrigado Don Costa e Johnahex esta perfeita a remasterização do áudio da A.I.C ou Arte Industrial Cinematográfica São Paulo
    que é uma verdadeira pérola do famigerado e histórico casarão de dublagens nacional e tmb tem um gibi do lobisomem que se
    chama Werewolf by Night e o Frankensteins Monster que é citado na postagem assim sendo ambos são da editora Marvel
    e foram publicados aqui no Brasil pela saudosa editora Bloch nos anos 70 e 80.

    • Don Costa  Disse:

      Obrigado por complementar as informações, Jet Jaguar!
      Lembro-me de algumas coisas publicadas pela antiga editora Bloch. Mas não apenas as publicações de super-heróis e monstros. Tinha, inclusive, um gibi dos Trapalhões que era simplesmente hilário, mandando às favas o politicamente correto e tirando sarro de todo mundo. Acho que hoje aquelas publicações seriam censuradas. Bons tempos aqueles!
      Muito obrigado por comentar na postagem e pelas informações.
      Um forte abraço.

  • C,TaxiDriver  Disse:

    Don e Joel, mais uma vez nos presenteando com uma bela postagem, Obrigadão 🙂

    • Don Costa  Disse:

      Pode colocar tudo na conta do Joel, amigo Cláudio!
      Ele não pára de mandar áudios para a gente. Um mais raro do que o outro.
      É incrível o trabalho que ele faz no resgate destas obras primas da dublagem.
      Colaboradores como ele nos dão esperanças de que acabemos conseguindo todos os áudios que ainda insistem em permanecerem perdidos em uma fita embolorada e esquecida em alguma estante por aí.
      Os que o Grande Joel for enviando pra mim, eu vou postando aqui.
      Remasterizar é fácil. Mas encontrar estas dublagens raras é dificílimo.
      Então os méritos pela postagem são, principalmente, dele.
      Grato pela mensagem e um forte abraço para você.

  • THIAGOVINICIUS  Disse:

    Parabéns por este post maravilhoso,principalmente com essa dublagem classica.
    Aos poucos o TELA está conseguindo postar todos os monstros da UNIVERSAL
    com seus audios classicos da AIC.Ainda tenho esperanças que um dia MUMIA E
    O HOMEM INVISIVEL apareça por aqui com seus audios clássicos.
    Vale salientar que realmente é uma raridade estes audios classicos destes monstros
    da Universal.Há muito são considerados perdidos e a propria Universal acabou
    usando a redublagem em seus lançamentos em dvd há uns 12 anos atrás e agora
    nem mais a redublagem colocou nos lançamentos destes filmes em Bluray.
    Sendo assim que venham estas dublagens clássicas.Já tivemos DRÁCULA,FRANKENSTEIN,
    MONSTRO DA LAGOA NEGRA,LOBISOMEN e agora este Crossover.
    Que venham MUMIA e HOMEM INVISVEL.
    Obrigado por tal resgate…

    • Don Costa  Disse:

      Boa tarde Thiago!
      Esse é um dos objetivos do Tela de Cinema. Resgatar clássicos raros e disponibilizá-los ao acesso de todos, tornando-os cada vez menos raros.
      As próprias produtoras parecem ter percebido um filão para o lançamento desses clássicos, e as restaurações feitas pela Universal indicam uma tendência a ser seguida. Mas a questão das dublagens é um pouco mais complicada. Não é só a parte técnica que é levada em conta, até porque mesmo nós aqui, num trabalho totalmente amador, conseguimos recuperar estes áudios e os deixamos em condições razoáveis de serem anexados aos vídeos. Empresas profissionais fariam um trabalho muito melhor. É a questão dos direitos autorais das dublagens que complicam tudo. Lembremos que cada país tem suas próprias empresas de dublagens, com seus próprios contratos entre as produtoras e dubladores, além de uma legislação específica. Nem sempre compensa para a produtora negociar estes pontos com cada país em que o produto for lançado, optando por lançá-lo mundialmente apenas com o áudio original.
      Aí entra o outro grande trabalho do Tela de Cinema. Restaurar e anexar estas dublagens perdidas aos vídeos disponibilizados, gerando arquivos únicos.
      E o trabalho de pesquisa nunca pára. Quem sabe num futuro próximo nós não encontremos os dois áudios que requisitou?
      Uma dica. Para aumentar as suas chances, faça esse pedido, também, na área de pedidos do site. Pode ser que alguém que tenha estes áudios veja a solicitação e mande estas preciosidades para nós.
      Muito obrigado pelo seu comentário.
      Grande e forte abraço.

  • farra4ever  Disse:

    Obrigado.

    • Don Costa  Disse:

      Sou eu quem te agradeço por, mais uma vez, prestigiar a nossa postagem, Farra.
      Abraços.

  • Thiago  Disse:

    É simplesmente incrível ver aqui no Tela esse clássico do horror com a sua saudosa dublagem da AIC. Meus parabéns ao grande Don Costa, pela sempre competente remasterização, e a Johnahex por mais uma vez ceder uma rara dublagem que há anos (ou seria décadas?) está sumida da TV. Grande abraço, marujos!

    Ps.: Lembro que este filme passou no TCM com uma redublagem da Doublesound.

    • Don Costa  Disse:

      Boa noite, Thiago.
      Nós consideramos as dublagens tão importantes quanto os próprios filmes. Assim, uma redublagem é quase tão danosa quanto os remakes que as produtoras teimam em lançar anualmente, sendo que pouquíssimos exemplares atingem uma qualidade próxima ao do original. Logo, o resgate dessas dublagens tem o objetivo de restaurar todos os aspectos originais da obra e disponibilizá-la, tanto para os saudosos fãs da produção, quanto para aqueles que ainda não tiveram a chance de assisti-la em sua plenitude.
      E todos os agradecimentos ao amigo Johnahex, que conseguiu, mais uma vez, encontrar outro raríssimo áudio e presenteá-lo ao Tela de Cinema.
      Agradecimentos, também, à você pela sua mensagem.
      Forte abraço.

  • Celo Silva  Disse:

    Amigos qual a senha para descompactar?

    • Don Costa  Disse:

      Boa tarde, Celo.
      A senha é “teladecinema.net”.
      Abraços.

      • MARCOS F.  Disse:

        DON, ATUALIZEI AS IMAGENS.
        ABRAÇÃO E ÓTIMO FIM DE SEMANA “MANO VÉIO”!! 😀

        • Don Costa  Disse:

          “Mano Véio” é uma expressão que eu não ouço há muito tempo, amigo Marcos!
          Na verdade, acredito que hoje somos “manos” e estamos ficando “véios”!
          Obrigado pela atualização da postagem e também pela “viagem no tempo”.
          Bom fim de semana.
          Grande abraço.

Deixe uma resposta