DE VOLTA PARA O FUTURO (1080p/Tri Áudio) – 1985

“Back to the Future” (EUA) – 1985
Aventura – Comédia – FC
DIREÇÃO: Robert Zemeckis
IMDB: 8,5 http://www.imdb.com/title/tt0088763/

Image

1080p – BRrip – Tri Áudio – RMZ Dublagem Clássica BKS 5.1 + Versão Reduzida + Trilha Sonora (Soundtrack) + Trilha Sonora Especial Instrumental (Score Limited Edition) + Game Back to the Future (portable) + Making Of Legendado + Documentários “Bastidores – Histórias do futuro Parte 1” e “Nos Bastidores da Trilogia parte 1”.

Adicionada a primeira temporada da animação “De Volta Para O Futuro” 

Postado por Don Costa

DADOS DO ARQUIVO:

VERSÃO MAIOR:

Formato: MKV

Qualidade: Vídeo: BR-rip – 1080p (1920*1080) 16:9, AVC, 23976 FPS, 6000 Kbps.
Áudio: Português – 48,0 KHz, AC3, 6 canais, 384 kbps.
Português – 48,0 KHz, AC3, 6 canais, 384 kbps.
Inglês – 48,0 KHz, AC3, 6 canais, 384 kbps.

Tamanho: 5,70 GB

Duração: 116 min.

Legendas: Português / Inglês – selecionáveis

Áudio: Português – Dublagem Clássica BKS – RMZ.
Português – Double Sound.
Inglês.

Servidor:Mega (dividido em 25 partes)

VERSÃO REDUZIDA:

Formato: MKV

Qualidade: Vídeo: BR-rip – 1080p (1920*1080) 16:9, AVC, 23976 FPS, 1500 Kbps.
Áudio: Português – 48,0 KHz, AC3, 6 canais, 384 kbps.
Português – 48,0 KHz, AC3, 6 canais, 384 kbps.
Inglês – 48,0 KHz, AC3, 6 canais, 384 kbps.

Tamanho: 2,13 GB

Duração: 116 min.

Legendas: Português / Inglês – selecionáveis

Áudio: Português – Dublagem Clássica BKS – RMZ.
Português – Double Sound.
Inglês.

Servidores: Pcloud, GDrive (dividido em 10 partes)

Remasterização, legendas e postagem: Don Costa.

A SÉRIE ANIMADA – PRIMEIRA TEMPORADA (13 episódios):

Formato: MKV

Qualidade: Vídeo: DVD-rip – 480p (704*478) 4:3, AVC, 23976 FPS, 768 Kbps.
Áudio: Português – 48,0 KHz, AC3, 2 canais, 192kbps.
Inglês – 48,0 KHz, AC3, 2 canais, 192kbps.

Tamanho: 200 MB aproximadamente por episódio

Duração: 24 Min. aproximadamente por episódio.

Legendas: Português automático (nas parte sem dublagem) / Inglês – selecionáveis

Áudio: Português – RMZ.
Inglês.

Servidor: Userscloud / Filefactory

Remasterização e postagem: Don Costa.

Créditos dos vídeos e áudios: Shenryu e RicardOwner .

LINKS:

Arquivo maior: Pasta com os arquivos (Mega): Download

Arquivo menor – versão reduzida: Pasta com os arquivos: Pcloud – GDrive

Trilha Sonora 1 (Motion Picture Soundtrack) (MP3) (36MB): Download

Trilha Sonora 2 (Intrada Special Collection) (FLAC) (499MB): Parte 1 – Parte 2 – Parte 3

Game Back To The Future (.Exe – Portable) (2,2GB): Download

Making of – parte 1 (MKV/MP4) (146MB): Download

Bastidores- Histórias do Futuro Parte 1(MKV) (553MB) : Userscloud  Filefactory

 Nos Bastidores da Trilogia Parte 1 (MKV) (509MB): Userscloud   Filefactory

A Série Animada – Primeira Temporada – Pasta com os Arquivos: Userscloud   Filefactory

Senha para tudo: teladecinema.net

Amostra da dublagem BKS – utilizada como base da remasterização:

Amostra da dublagem BKS – remasterizada e anexada ao filme:

Amostra de dublagem Double Sound:

EM CASO DE ARQUIVO CORROMPIDO:

Atualmente eu envio meus arquivos com dados para recuperação embutidos nos mesmos, para poderem ser recuperados em caso de erros durante o download. Esse sistema de recuperação repara pequenos erros em arquivos corrompidos, deixando-os em condições de serem descompactados.

Para executar essa recuperação faça o seguinte:

Abra somente a parte corrompida no winrar. Digamos que seja, por exemplo, a parte 02 do arquivo menor.

Clique na aba “Ferramentas” e depois em “Recuperar arquivos”.

Selecione o local para salvar o arquivo e clique em “Ok”.

Aguarde o final do processo. O programa criará um arquivo recuperado com um nome semelhante à esse: “fixed. DVPoF1985BR1080TÁRMZDUCL6CDC.part02.rar”.

Exclua a parte 02 original com problemas, renomeie esse arquivo recuperado para “DVPoF1985BR1080TÁRMZDUCL6CDC.part02.rar” e coloque-o na mesma pasta com as demais partes.

Descompacte normalmente. Geralmente essa ação resolve o problema.

Quando tiver algum problema com arquivos compactados no futuro, tente recuperá-los dessa forma. Lembrando que esse método de correção só funciona se o arquivo for criado com esses dados de recuperação embutidos e se os problemas com os arquivos forem pequenos.

Caso o problema persista, faça novamente o download dessa parte, evitando utilizar a internet para qualquer outra coisa durante o download. Se mesmo assim o erro persistir, avise-nos que eu upo a parte com problemas novamente.

Abraços.

SINOPSE:

Marty McFly é o típico adolescente norte-americano dos anos 80, que é enviado de volta no tempo, para 1955, por uma invenção (o DeLorean) do excêntrico Dr. Brown. Enquanto estiver no passado, Marty deve tomar cuidado para não interferir em nada, para que o futuro não seja alterado. Porém, sua futura mãe acaba se apaixonando por ele, e as coisas começam a dar errado.

SCREENS:

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

SCREENS DA ANIMAÇÃO:

ELENCO:

Michael J. Fox … Marty McFly
Christopher Lloyd … Dr. Emmett Brown
Lea Thompson … Lorraine Baines
Crispin Glover … George McFly
Thomas F. Wilson … Biff Tannen
Claudia Wells … Jennifer Parker
Marc McClure … Dave McFly
Wendie Jo Sperber … Linda McFly
George DiCenzo … Sam Baines
Frances Lee McCain … Stella Baines
James Tolkan … Sr. Strickland
J.J. Cohen … Skinhead
Casey Siemaszko … 3-D
Billy Zane … Match
Harry Waters Jr. … Marvin Berry
Donald Fullilove … Goldie Wilson
Lisa Freeman … Babs
Cristen Kauffman … Betty

INFORMAÇÕES DO ARQUIVO:

Foram gerados dois arquivos para esta postagem. Um maior com 5,70 Gb e outro menor com 2,13 Gb. Ambos têm três áudios e a única diferença entre eles é a bitragem de vídeo. As qualidades das imagens são muito parecidas, porém as diferenças ficam evidentes quando assistidas lado a lado em uma tv de alta definição. Para quem tem equipamentos de ponta, recomendo que baixe o arquivo maior. Também envio as duas trilhas sonoras do filme, o game Back To The Future, a primeira parte do Making of do filme, documentários e a primeira temporada da animação “De Volta Para o Futuro – 1991”. São arquivos dual áudio com imagem de DVD. Eles só tem legendas em inglês, porém criei legendas em português para as partes em que não há dublagem. E há vários episódios com vários trechos sem dublagem. Mas não é uma falha do áudio. Estes trechos simplesmente foram cortados nas exibições no Brasil e não foram dublados.

A REMASTERIZAÇÃO

Para realizar esta remasterização utilizei, como base de vídeo, um bluray-rip francês, que reencodei até chegar aos dois tamanhos adequados para disponibilizar na postagem. Isso me garantiu a melhor imagem possível para o arquivo maior. Já os áudios foram retirados de um VHS-rip (BKS) e do bluray nacional (double sound). Não houve a necessidade de nenhuma modificação na redublagem Double Sound, mas a dublagem BKS passou por uma forte restauração sem, no entanto, perder o essencial do áudio. Inicialmente esse áudio passou por um processo de limpeza através de diversos filtros, onde foram retirados os chiados, os ruídos de fundo, os estalos e cliques. Durante esse processo, muitos dos sons originais de fundo (trilha sonora, sons ambientes, diálogos em segundo plano, etc) ficaram inaudíveis ou foram completamente apagados. A solução foi transformar este áudio, anteriormente stéreo, em um áudio mono a fim de introduzi-lo como o canal central do áudio original inglês de seis canais. A opção pela utilização do áudio em inglês como base, e não o da redublagem Double Sound que também tem seis canais, foi devido à melhor qualidade do surround do áudio inglês, onde o som ambiente era mais vívido e cristalino, e a sensação de imersão nas cenas era levemente superior. Assim, em alguns aspectos, a remasterização do áudio BKS ficou até melhor que o áudio original Double Sound em alguns pontos.

Antes da inserção propriamente dita, todo esse áudio mono foi consertado nos pontos falhos, nos cortes e nas partes que continham sons estranhos, frutos do envelhecimento da fita. Todos estes trechos foram preenchidos pelo áudio do canal central inglês e, nos pontos em que o erro acontecia em cima da dublagem eu preenchi com sons da própria dublagem, mantendo-a intacta. Isso só foi possível devido ao fato dessas falhas apresentarem uma duração máxima de 0,048 segundos, embora a média ficasse em 0,027 segundos.

Depois, ao inserir este canal mono em substituição ao canal central do áudio em inglês, foi necessária uma sincronização constante ao longo de todo o áudio já que, embora tivessem o mesmo FPS, ainda existiam pequenos cortes não identificáveis no processo anterior, o que fazia a sincronia variar levemente ao longo do filme. Esta variação poderia até passar despercebida em uma inserção direta do áudio stéreo no vídeo, mas não é tolerada em uma mesclagem de canais, onde uma diferença de poucos milésimos de segundo entre eles causaria reverberação, eco ou saturação indesejada do áudio.

Depois da sincronização dos canais passei para a última fase, que foi a edição dos demais canais que ainda continham diálogos em inglês em alguns pontos. Em todos estes pontos os diálogos em inglès foram substituídos pela dublagem do canal central, porém deixando intactas as suas características, como amplificação, delay, fade e outros efeitos diversos, que tive de reproduzir exatamente como eram.

Apesar de não ter ficado perfeito, pois não foi possível resolver todos os problemas do áudio original, acredito que o resultado final venha a agradar aos exigentes fãs da franquia, no ano em que a estréia do primeiro filme completa seu trigésimo aniversário.

ImageO gráfico acima deixa clara a diferença entre o canal dublado introduzido e os demais canais originais do áudio inglês.

A TRILHA SONORA 1:

Image

Faixas:

1. “The Power of Love – Huey Lewis and the News
2. “Time Bomb Town” – Lindsey Buckingham
3. “Back to the Future” – The Outatime Orchestra
4. “Heaven Is One Step Away” – Eric Clapton
5. “Back in Time” – Huey Lewis and the News
6. “Back to the Future Overture” – The Outatime Orchestra
7. “The Wallflower (Dance with Me Henry)” – Etta James
8. “Night Train” – Marvin Berry and the Starlighters
9. “Earth Angel (Will You Be Mine)” – Marvin Berry and the Starlighters
10. “Johnny B. Goode” – Marty McFly with the Starlighters

Lançada em maio de 1985, a trilha sonora de “De Volta Para o Futuro” (Motion Picture Soundtrack) fez um sucesso tão grande quanto o próprio filme, com sua icônica música tema, em dois momentos, e as canções que marcaram toda uma geração. O disco obteve excelentes vendas nos anos posteriores, mantendo o mesmo ritmo com o lançamento do cd em 1990. O arquivo que envio na postagem está em MP3, possui boa qualidade e um tamanho bem reduzido (36 MB).

A TRILHA SONORA 2:

Image

Faixas:

Image

“Back to the Future: Intrada Special Collection” é uma edição oficial limitada de CD duplo, incluindo a composição total de Alan Silvestri para “De Volta Para o Futuro” (1985). Foi lançado pela gravadora Intrada em 24 de novembro de 2009. O primeiro disco contém a partitura completa orquestral como registrado na edição final do filme, juntamente com duas faixas de origem que Silvestri escreveu. O segundo disco é composto por abordagens alternativas que Silvestri criou com uma grande parte da composição em um tom mais sombrio, mais grave. Nenhuma das canções do álbum Motion Picture Soundtrack estão incluídas neste álbum, que contém apenas músicas instrumentais gerais , e os trechos compostos para momentos no filme em que a composição de Silvestri foi substituída, ou editada com canções ou músicas originais. O lançamento foi uma edição limitada de 10.000 unidades e vendeu cerca de 6.000 até o final de janeiro de 2010. Em 19 de julho, 2014, a Intrada anunciou que estava negociando um novo acordo para lançar uma versão do CD Box da trilha sonora, que deverá incluir as mesmas faixas do primeiro CD, desta edição limitada de disco duplo e das trilhas da segunda e terceira partes da trilogia. O lançamento deste Box deveria coincidir com o 30º aniversário do filme, mas até agora não há nenhuma notícia oficial sobre isso. O arquivo que envio na postagem está no formato FLAC, portanto sem perdas ou compressões, o que garante a melhor qualidade possível, embora seu tamanho fique grande para os padrões de áudio (499MB).

O GAME BACK TO THE FUTURE:

Image

Este game, criado pela Telltale Games inicialmente para PC, é dividido em cinco capítulos, lançados entre 2010 e 2014, e tem como base a história de uma aventura original que se passa sete meses após os eventos dos filmes, com Marty saindo em busca do desaparecido Dr. Brown. O enredo foi escrito pelo coescritor e produtor da trilogia, Bob Gale, e utiliza o mesmo sistema de escolhas de outros títulos da Telltale Games, no qual é possível tomar decisões que alteram o rumo do enredo. A dublagem conta com a participação especial de vários atores do filme, como Christopher Lloyd (Dr. Brown), Tom Wilson (Biff Tannen) e Claudia Wells (Jennifer Parker). Michael J. Fox, que interpretava Marty McFly originalmente, apenas fez participações especiais no jogo e deixou o personagem para o ator A.J. LoCascio. O jogo segue os moldes clássicos das aventuras de apontar e clicar, onde o jogador deve escolher um objeto com o qual vai interagir, e clicar nele, abrindo diversas formas de interação. Entretanto, como na maioria dos jogos da TellTale, há severas críticas com relação aos controles. Não basta apertar para esquerda ou para direita para controlar o personagem. Às vezes, ao apertar a tecla para a direção que se deseja ir, Marty vai para o lado oposto. Isso confunde e irrita, pois a cada mudança de câmera, os controles se embaralham outra vez e é necessário aprendê-los novamente. Por sorte isso pode ser resolvido apenas clicando no objeto que se deseja interagir e o computador se encarrega de ir até ele. Os quebra-cabeças são simples, mas ainda assim engenhosos. Dificilmente o jogador vai se sentir perdido. E mesmo para esses casos, existe um sistema de dicas que não entrega o que se deve fazer, mas dá pistas mais explícitas para não acabar com a graça nem frustrar o jogador. O Jogo irá ganhar uma versão comemorativa de 30 anos para o PlayStation 4, Xbox One e Xbox 360. A confirmação veio da loja Amazon que colocou o jogo à venda após rumores nas últimas semanas sobre sua existência. O lançamento estava planejado para 13 de outubro por US$ 20 (em torno de R$ 70). O arquivo que estou enviando na postagem possui todos os cinco episódios juntos, totalizando 2,2 GB, além de já estarem legendados e no formato exe-portable, rodando direto da pasta em que for salvo, dispensando a instalação. Porém o jogo é bastante pesado e necessita de uma máquina razoável para rodar bem, especialmente uma boa placa de vídeo.

Os requisitos mínimos do sistema são os seguintes:

Processador: Pentium IV 2.7 GHz ou Athlon equivalente
Velocidade do processador: 2.7 GHz
Memória RAM: 3 GB
Memória de vídeo: 512 MB
Direct3D: Sim
Versão do DirectX: 9.0c
Sistemas Operacionas: Windows XP, Windows Vista, Windows 7, 8, 8.1 e 10.
Espaço: 500 MB

Aqui ele rodou sem problemas no Windows 10, desde que nenhum outro programa estivesse ativo.

BASTIDORES- HISTÓRIAS DO FUTURO PARTE 1:

image

Documentário dividido em várias partes contendo a história da criação da trilogia, desde a idéia inicial até as propostas recusadas de vários colaboradores. Nesta primeira parte tem os primeiros três capítulos que são os seguintes:

Histórias do Futuro – Iniciando (27:24)

Histórias do Futuro – Mantendo o Tempo (05:43)

Histórias do Futuro – Tempo Remanescente (29:54)

O documentário está legendado e, como não encontrei todas as legendas necessárias, fui obrigado a fazer as minhas próprias legendas em algumas partes e utilizar legendas mais próximas ao idioma de Portugal. Então, as legendas mudarão levemente de formato entre um e outro segmento, mas nada que atrapalhe a compreensão do vídeo. Está no formato MKV e um tamanho total de 553MB.

 

NOS BASTIDORES DA TRILOGIA PARTE 1:

image

Um making of mais completo mostrando histórias dos bastidores da trilogia, entrevistas e um especial apresentando pelo ator Leslie Nielsen. O arquivo contém:

A Noite de De Volta Para o Futuro (especial apresentando pelo ator Leslie Nielsen) (27:10)

Cenas Deletadas (10:44)

Huey Lewis and the News The Power of Love (videoclipe) (6:27)

Entrevista com Michael J. Fox Q&A (somente áudio, em inglês e sem legendas) (10:20)

Nos Bastidoes da Trilogia – Capítulo 1 (15:30)

Sequência do Teste Nuclear (4:12)

O documentário está legendado e, novamente, como não encontrei todas as legendas necessárias, fui obrigado a fazer as minhas próprias legendas em algumas partes e utilizar legendas mais próximas ao português de Portugal. Então, as legendas mudarão levemente de formato entre um e outro segmento, mas nada que atrapalhe a compreensão do vídeo. Está no formato MKV e um tamanho total de 509MB.

INFORMAÇÕES DO FILME:

Ronald Reagan se divertiu com a descrença do Doutor Brown de que um ator como ele poderia se tornar presidente, tanto que ele pediu ao projecionista para parar o filme e repetir a cena. Ele também pareceu gostar tanto do filme que até fez uma referência direta à ele em seu discurso do Estado da União em 1986: “Nunca houve uma época melhor para se viver – um momento de vibrantes maravilhas e feitos heróicos. Como foi dito no filme ‘De Volta Para o Futuro’, para onde nós vamos, não precisamos de estradas”. As partes do roteiro com referências ao presidente Ronald Reagan precisaram ser revistos pela Casa Branca para aprovação, de modo a não ofender o presidente.

Image Em um de seus discursos mais famosos, o presidente Reagan cita frase do filme.

O chefe da Universal Pictures, Sid Sheinberg, não gostou do título “Back to the Future”, insistindo que ninguém iria ver um filme com a palavra “futuro” no título. Em um memorando à Robert Zemeckis, ele disse que o título deveria ser alterado para “Spaceman of Pluto” (Homem Espacial de Plutão), que se justificava com as piadas de Marty confundido como um alien no filme, e também sugeriu novas mudanças como substituir a fala “Eu sou Darth Vader do planeta Vulcano” para “Eu sou o homem do espaço de Plutão!”. Sheinberg foi convencido a mudar de idéia por um memorando de resposta de Steven Spielberg, que lhe agradeceu o envio do maravilhoso “memorando piada”, e que toda a equipe riu bastante com ele, ajudando à todos a relaxar depois de um dia bem trabalhoso. Sheinberg, orgulhoso demais para admitir que estava falando sério, cedeu e deixou o filme manter seu título. Somente anos depois ele confidenciou à Spielberg que aquele memorando não era uma piada para relaxar a equipe. Já outras mudanças sugeridas foram aceitas, como ter “Professor Brown” alterado para “Doc Brown” e seu chimpanzé chamado Shemp alterado para um cachorro chamado Einstein. O nome da mãe de Marty seria anteriormente Meg e, em seguida, Eileen, mas Sheinberg insistiu que ela fosse nomeada Lorraine, homenageando sua esposa Lorraine Gary.

Image Sid Sheinberg. Apresentou sugestões, mas teve bom senso para aceitar que a equipe definisse pontos chaves do filme.

O roteiro foi rejeitado 40 vezes antes de ser, finalmente, aceito.

Os roteiristas/produtores/diretores Bob Gale e Robert Zemeckis, realmente receberam uma carta de John DeLorean após o lançamento do filme, agradecendo-lhes por usar o carro dele na produção. Aliás foram usados 3 DeLoreans durante as filmagens. DeLorean não pagou nenhum valor para que seu carro aparecesse no filme, uma prática de patrocínio comum no cinema, até porque a empresa tinha falido em 1982, tendo conseguido fabricar o último DeLorean ainda no ano seguinte.

O DeLorean usado na trilogia era um DMC-12 modelo 1981, com um motor de 6 cilindros PRV (Peugeot / Renault / Volvo). Na edição especial do DVD da trilogia lançada em 2002, foi declarado, incorretamente, que o DeLorean tinha um motor de 4 cilindros padrão. Após o lançamento do filme, foram vendidos kits de peças para DeLoreans, a fim de torná-los visualmente iguais à máquina do tempo, inclusive com a base para o reator nuclear, feita a partir da calota de um Dodge Polaris. O DeLorean foi deliberadamente escolhido por sua aparência e pelas portas estilo “asa de gaivota”, tornando plausível que as pessoas, em 1955, presumissem que se tratava de uma nave alienígena.

Image Por baixo da maquilagem de um dos carros mais conhecidos do cinema: motor de 6 cilindros e interior enxuto (acima).

O DeLorean DMC-12 foi fabricado pela DeLorean Motor Company (DMC) entre 1981 e 1982. É fácil de ser reconhecido por suas portas “asas de gaivota” e por sua carroceria metálica de aço inoxidável. Durante toda a trilogia foram utilizados sete unidades do DMC-12, além de um modelo em fibra de vidro para simular o carro voando e outro em escala para filmagem em miniatura. Em 1995, um empresário do Texas, Stephen Wynne, criou uma empresa dedicada à restauração destes modelos. Com o tempo, o negócio foi dando dividendos e em julho de 2007, a DMC Texas anunciou a fabricação do DMC-12 com 500 unidades. Neste momento o modelo tinha 80% das peças originais dos carros de 1982 e 20% de peças totalmente novas. Posteriormente, em 2011, Wynne fez outro grande anúncio: a volta do DMC-12, mas como um carro elétrico. Esse modelo teria uma autonomia de 160 kilômetros, com uma velocidade máxima de 200 km/h e uma aceleração de 0 a 100km/h em apenas 5 segundos. O DMC-12 elétrico continua sendo fabricado pela fábrica texana sediada na flórida. Quem quiser comprar um, basta entrar em contato no seguinte endereço: http://www.dmcflorida.com/dmc-texas.htm

Image O DMC-12 de 2007 (no alto e ao centro) e o modelo elétrico no pátio da fábrica. Duas versões de um ícone.

De acordo com Michael J. Fox nas entrevistas do DVD / Blu-Ray em 2010, o interior do DeLorean era tão apertado devido aos adereços adicionados, que cada vez que ele mudava de marcha, batia repetidamente seu antebraço na manopla que aciona os circuitos da máquina do tempo, e ele também batia os dedos com força contra a placa de exposição do tempo. Se você prestar atenção durante a perseguição de carro com os terroristas, você pode ouvir essas batidas cada vez que Marty usa o câmbio (apenas no áudio original inglês). A máquina do tempo DeLorean principal é um veículo registrado e licenciado no estado da Califórnia. Enquanto a placa usada no filme diz “Outatime”, a placa real desse DeLorean é 3CZV657.

Quando Marty está sendo julgado nas audições das novas bandas no início do filme, o juiz que se levanta para dizer que eles “tocam alto demais” é Huey Lewis, cujas canções, “The Power of Love” e “Back in Time” fazem parte da trilha sonora do filme. Ele também escreveu a música da audição de Marty (que é uma versão re-orquestrada de “The Power of Love”). Huey Lewis foi convidado por Robert Zemeckis e Bob Gale para escrever uma canção para o filme. No entanto, os dois Bobs não ficaram encantados com a primeira música que Huey compôs para eles. Depois de explicar o que eles queriam, Huey voltou com “The Power of Love”. Eles, então, disseram que precisavam de mais uma canção. E assim, em cima da visão de um corte do filme, Huey teve a inspiração para “Back in Time”.

Image Huey Lewis no filme e em foto dos anos 90 (direita).

Michael J. Fox tinha sido sempre a primeira escolha para Marty, mas ele não estava disponível devido à conflitos de agenda com seu trabalho em “Caras e Caretas” (Family Ties – 1982 / 1989). Como a co-estrela do seriado, Meredith Baxter, estava grávida na época, Fox estava trabalhando muito mais no show do que o habitual. O produtor do programa Gary David Goldberg simplesmente não podia se dar ao luxo de deixar Fox sair. Zemeckis e Gale, em seguida, lançaram Eric Stoltz como Marty baseando-se em seu desempenho em “Marcas do Destino’ (1985). Após quatro semanas de filmagens, Robert Zemeckis e Bob Gale sentiram que Stoltz não era o ator certo para o papel e Stoltz concordou. Neste momento, Baxter estava totalmente de volta no show e Goldberg concordou em diminuir a participação de Fox no seriado liberando-o diariamente mais cedo para fazer o filme. Fox elaborou um cronograma para cumprir o seu compromisso em ambos os projetos. Todos os dias, durante a produção, ele se dirigia direto para o set de filmagem do filme depois de gravar o seriado, dormindo, em média, cerca de cinco horas diárias. A maior parte da produção foi filmada seis horas a cada dia, com as cenas à luz do dia filmadas nos finais de semana. As refilmagens das cenas de Stoltz adicionaram três milhões de dólares ao orçamento.

Image Meredith Baxter (destaque) em “Caras e Caretas”, e Eric Stoltz em foto de 1987.

Image Muitas cenas foram gravadas com Eric Stoltz (acima). No último quadro, um comparativo de uma mesma cena com os dois atores.

Crispin Glover afirmou ter visto o filme apenas uma vez, logo após seu lançamento. Em contraste, Christopher Lloyd afirmou que, quando ele ocasionalmente se depara com “De Volta Para o Futuro” enquanto surfa entre os canais, muitas vezes ele se senta e o assiste novamente.

Quando Lorraine segue Marty até a casa de Doc, ela e Doc trocam um rápido cumprimento. Isto marca o único diálogo na tela entre Christopher Lloyd e Lea Thompson, embora eles apareçam juntos em todos os filmes da franquia, inclusive os especiais para tv.

O cachorro que vemos dentro do DeLorean, na verdade, é um dublê fantasiado de cachorro! Apenas as cenas em close são do animal de verdade. O uso do dublê foi necessário, não só para garantir a segurança do cão, como por economia mesmo. A tecnologia para se instalar um equipamento que permitisse controlar o carro por controle remoto já existia, mas ficaria demasiadamente cara e não se justificaria seu uso em tão poucas tomadas.

Image Dublê fantasiado assume a condução do DeLorean. Segurança e economia.

Quando este filme foi exibido para um público teste, a Industrial Light and Magic não havia completado a cena final do DeLorean voando, e os últimos minutos do filme foram visualizados em preto e branco. Não importava, já que o público gritou em aprovação após a cena final de qualquer maneira. Mas o início da exibição foi complicado. O público não foi avisado de que o filme seria uma aventura/comédia. Robert Zemeckis e Bob Gale lembraram que a atmosfera no cinema começou a ficar muito tensa durante a cena em que Einstein, o cão, é enviado através do tempo, porque o público achava que algo horrível tinha acontecido com ele.

Um mito persistente é que Michael J. Fox teve que aprender a andar de skate para o filme. Na verdade, ele era um skatista razoavelmente qualificado, tendo praticado o esporte durante todo o colegial. No entanto, era necessário um dublê para as cenas mais perigosas. Em 1985, era muito difícil encontrar especialistas em skate, já que o esporte não era muito popular. Assim, um dos produtores do filme foi até Venice Beach, uma praia freqüentada por pessoas com hobbies inusitados. Lá ele encontrou Per Welinder, um sueco campeão europeu de skate, que se tornou um dos dublês de Michael J. Fox.

Image Per Welinder. Campeão sueco dublou Fox em todas as cenas perigosas com skates.

Thomas F. Wilson quase teve a clavícula quebrada na cena em que Marty e Biff estão prestes a lutar na lanchonete, com Eric Stoltz acertando Tom de verdade, tomada após tomada, apesar de repetidos pedidos de Tom para suavizar o soco ou acertar o tempo correto da coreografia. Tom disse mais tarde que ele estava prestes a devolver o favor durante as filmagens da cena do estacionamento do lado de fora do salão de baile, mas Eric foi demitido antes que o confronto pudesse ocorrer.

Claudia Wells, que interpretou Jennifer Parker em “De Volta para o Futuro” (1985), deu lugar à Elisabeth Shue em “De Volta para o Futuro Parte II” (1989) e “De Volta para o Futuro Parte III” (1990), quando pediu afastamento das filmagens ao saber que sua mãe fora diagnosticada com câncer. A atriz chegou a gravar algumas cenas da sequência de 1989, mas decidiu pausar a carreira para cuidar da mãe.

Enquanto filmava a cena do estacionamento com Marty e a jovem Lorraine no carro, a equipe de produção decidiu fazer uma brincadeira às custas de Michael J. Fox. A cena mostraria Fox bebendo de uma garrafa de licor, supostamente preenchido com água, para depois cuspir quando vê Lorraine com um cigarro. Em uma das tomadas, no entanto, a garrafa que continha água foi trocada por outra que continha álcool real dentro. Fox, sem saber disto, realizou a cena e deu um belo gole na garrafa, só para descobrir, tarde demais, o seu conteúdo. A cena da brincadeira é destaque na seção “Outtakes” do DVD e faz parte do arquivo “Making Of” da postagem. Em todas as tomadas seguintes o ator ficou desconfiado e sempre dava uma experimentada no conteúdo da garrafa antes de tomá-lo. Inclusive na tomada que ficou no filme, essa “paradinha” pode ser notada.

Image Desconfiado, o ator experimenta o conteúdo antes de tomar a água da garrafa, mesmo na tomada que ficou no filme.

O músico Mark Campbell dublou Michael J. Fox durante a música “Johnny B. Goode”. Ele é creditado como “Marty McFly”. O que ocorreu foi que um dos produtores queria que o personagem de Michael J. Fox fosse o mais adorado possível pelas possíveis fãs adolescentes do filme, uma vez que não se previam continuações da obra, e ajudaria muito se achassem que a voz na música fosse a do próprio ator. Porém não poderiam creditar a voz ao próprio Michael J. Fox, o que acarretaria numa mentira que poderia trazer graves problemas à todos, já que autorias em obras de áudio visual possuem uma legislação rigorosa nos EUA (vide o caso Milli Vanilli que acabou nos tribunais). A solução foi creditar a voz para o personagem – o que é uma verdade – e deixar a interpretação dúbia para o público. O produtor também pediu a Mark Campbell que jamais comentasse o caso. Tudo ficaria bem se não fosse o fato de, tanto o filme, quanto a trilha sonora alcançarem grande sucesso. Isso deixou Campbell sem a publicidade que o ajudaria muito na carreira e sem os grandes dividendos das vendas do disco, pois ele não tinha sido creditado. Pressionado pelos demais compositores que participaram do disco, o produtor aceitou, anos depois, revelar o nome da voz por trás daquela música, e hoje Campbell, finalmente, desfruta da sua parte da fama e dos direitos autorais gerados pelo disco.

Image Mark Campbell nos anos 80 e nos dias atuais. Reconhecimento justo por sua participação no filme.

O adesivo na parte traseira do caminhão de Doc é praticamente ilegível, mesmo em alta definição. Mas todo fã-clube que se preza vai em busca dos mínimos detalhes da produção. É uma típica frase de pára-choque de caminhão que, em tradução livre, diz o seguinte: “Uma bomba nuclear pode arruinar seu dia inteiro”.

Image Tanto lá, como aqui, as típicas frases de pára-choque.

A inspiração para o filme deriva, em grande parte, do produtor Bob Gale ter descoberto o anuário do colégio de seu pai, e se perguntando se ele teria sido amigo do seu pai quando era adolescente. Gale também disse que, se ele tivesse a chance de voltar no tempo, ele realmente voltaria àquela época e veria se eles teriam sido amigos.

Na sequência de abertura, todos os relógios de Doc marcavam 07:53 (25 minutos atrasados) com exceção de um relógio. Ele está no chão, aparentemente quebrado, e marca 08:18.

Image Ironias do roteiro. Único relógio com marcação correta está, aparentemente, quebrado.

Quando Thomas F. Wilson é questionado sobre “De Volta para o Futuro” por fãs entusiasmados, muitas vezes ele entregar-lhes um cartão postal com as respostas para as perguntas mais freqüentes, para poupar tempo.

Christopher Lloyd passou a maior parte do filme com as costas arqueadas, como um corcunda, para compensar a diferença de altura com entre ele e Michael J. Fox. Fox tem 1,63 enquanto Lloyd tem 1,85. Para compensar a diferença de altura, o diretor Robert Zemeckis também utilizou técnicas específicas onde os dois muitas vezes eram filmados em diferentes profundidades de câmera. Para close-ups, Lloyd teve de se agachar para aparecer no mesmo quadro com Fox. A mesma abordagem foi utilizada nas duas continuações.

Image Rara cena em que Lloyd fica ereto (no alto) denuncia a diferença de altura que não fica evidente nas demais cenas (acima)

De acordo com uma entrevista que ele fez no “The Tonight Show Starring Johnny Carson” (1962 – 1992), Crispin Glover perdeu a voz devido ao nervosismo durante as filmagens de “De Volta Para o Futuro”. Para algumas cenas, ele teve que dizer suas falas em voz bem baixa, dublando-o ele mesmo, mais tarde, no estúdio de gravação.

Marty McFly imita várias estrelas do rock famosas durante a última parte de sua performance no baile da escola, quando ele começa a tocar heavy metal. Seu chute e o salto nos alto-falantes são de Pete Thousand (The Who), tocar a guitarra enquanto está deitado vem de Angus Young (AC / DC), o andar agachado enquanto chuta o ar é de Chuck Berry, o seu solo com a guitarra próxima ao rosto é de Edward Van Halen (Van Halen) e o estilo de tocar com a guitarra nas costas é de Jimi Hendrix.

Image De cima para baixo, Pete Thousand (em dois momentos), Angus Young , Chuck Berry, Edward Van Halen e Jimi Hendrix. Astros do rock imitados por Marty.

Levava três horas de maquiagem para transformar os 23 anos de Lea Thompson nos 47 anos de Lorraine.

O Screen Actors Guild, sindicato dos atores americanos, não pode ter duas pessoas com o mesmo nome em seus livros. Assim, Michael J. Fox inseriu a letra “J” em seu nome para diferenciar-se de um ator chamado Michael Fox. Em “De Volta para o Futuro” (1985), Marty remonta ao ano de 1955. Seu pai é um grande fã do seriado “Science Fiction Theatre” (1955 – 1957), algo que Marty usa a seu favor. O Michael Fox original estrelou esse mesmo seriado no ano de 1955.

Image Michael Fox teve uma longeva carreira, principalmente na TV.

De acordo com Bob Gale, Johnny Depp fez o teste para o papel de Marty McFly: “Eu olhei através dos arquivos, e eu disse: ‘Nossa, eu nem me lembro que testamos Johnny Depp!’ Então o que ele fez, não foi muito memorável, eu acho!”

Quando Doc Brown envia primeiramente Einstein “um minuto” para o futuro, o tempo decorrido entre o instante em que o DeLorean desaparece e reaparece, na realidade, é de 1 minuto e 21 segundos, assim como o ressurgimento ocorreu às 1h21, e o capacitor de fluxo necessita de 1,21 gigawatts de eletricidade.

Um posto de gasolina Texaco é mostrado em ambos os anos 1955 e 1985. Curiosamente, o avô materno de Christopher Lloyd foi um dos fundadores da companhia petrolífera Texaco.

Quando Marty finge ser Darth Vader do planeta Vulcano, ele toca uma fita rotulada “Van Halen” para acordar George e assustá-lo. É um sem título de Edward Van Halen originalmente escrito para um filme chamado “Vida Selvagem” (1984), que contou com a participação de Lea Thompson.

Image Composição de Van Halen utilizada no filme foi criada para “Vida Selvagem” (direita).

Em toda a trilogia “De Volta para o Futuro”, a data do tempo “presente”, após a apresentação do DeLorean, é 26 de outubro de 1985 (2015 é o futuro enquanto os anos de 1885 e 1955 são o passado). Exatamente 25 anos depois, em 26 de Outubro de 2010, toda trilogia “De Volta Para O Futuro” foi lançada em Blu-ray em um “25th Anniversary Edition”. Em 21 de Outubro de 2015 (dia em que Marty chega no futuro), é lançada a edição de 30º aniversário do lançamento do primeiro filme. Toda ação do filme se passa de 25 à 26 de outubro de 1985 e de 5 à 12 de novembro de 1955.

O carro de Doc Brown em 1955 é um Packard Super Eight conversível 1950.

Quando Marty está andando na rua da praça do relógio ao chegar em 1955, a música que está tocando é ‘Mr Sandman’, cantada por “The Four Aces”. Ele passa em frente a uma loja de discos com um cartaz na vitrine anunciando “A Versão Original cantada pelas Chordettes”. Apesar de aparecer nitidamente no filme, a música não consta em sua trilha sonora.

Image‘Mr Sandman’ by Chordettes. Clássico dos anos 50 fica de fora da trilha sonora.

A versão 1985 da casa de Doc é a garagem em que Marty e Doc escondem o DeLorean em 1955. Na cena de abertura aparece um artigo de jornal dizendo que a mansão foi incendiada anos antes, seja por dinheiro do seguro ou devido a um experimento explosivo. A presença do desenvolvimento comercial na área também implica que Doc vendeu o terreno ao redor da casa para obter mais dinheiro para financiar seu projeto. Afinal, ele concluiu o projeto depois que ele tomou “muitos anos e toda a sua fortuna da família” para construir a máquina do tempo.

O script nunca pediu para Marty bater repetidamente com a cabeça na porta “asa de gaivota” do DeLorean. Este ato foi improvisado durante a filmagem, pois o mecanismo da porta se tornou defeituoso.

Billy Zane faz sua primeira aparição no cinema neste filme como “Match”, um dos comparsas de Biff. Ironicamente, apesar de ter a carreira mais sólida dos quatro membros da turma após “De Volta Para o Futuro”, ele foi o único da turma que não teve absolutamente nenhuma fala enquanto esteve em cena.

Image Estréia de Billy Zane no cinema. Sem falas.

A composição de Alan Silvestri não começa até os 18 minutos do filme, de forma adequada, quando a Máquina do Tempo/DeLorean é revelada.

No roteiro original, Doc Brown e Marty vendem vídeos piratas a fim de financiar a máquina do tempo. Este ponto do roteiro foi removido a pedido da Universal, pois eles não queriam serem vistos promovendo a pirataria de filmes.

A área externa usada como a cidade de Hill Valley também é vista no primeiro episódio de “Além da Imaginação: Onde estão todos?” (1959) e também em “Gremlins” (1984). Ela é recorrentemente utilizada pelos estúdios da Universal em vários filmes e seriados, desde a sua inauguração.

Image “De Volta Para o Futuro” (no alto), “Além da Imaginação” (ao centro) e “Gremlins” (acima). Uso recorrente das mesmas instalações.

Desde o dia do início das filmagens até o dia em que foi lançado foram apenas nove semanas e meia, um prazo curto sem precedentes para um lançamento de um grande filme.

Christopher Lloyd baseou seu desempenho como Doc Brown em uma combinação do físico Albert Einstein, do maestro Leopold Stokowski e do personagem Rotwang, o inventor do filme “Metrópolis” (1927) interpretado pelo ator Rudolf Klein-Rogge.

Image Christopher Lloyd e suas inspirações: Albert Einstein, Leopold Stokowski e Rotwang, interpretado por Rudolf Klein-Rogge.

A máquina do tempo teve diversas variações. No primeiro rascunho do roteiro a máquina do tempo era um dispositivo laser que foi alojado em um quarto. No final da primeira versão o dispositivo foi ligado à uma geladeira e levado para um local de teste de uma bomba atômica. Robert Zemeckis disse em uma entrevista que a idéia foi descartada porque ele e Steven Spielberg não queriam crianças entrando em geladeiras e ficando presas dentro – parte da idéia foi aproveitada em “Indiana Jones E O Reino da Caveira de Cristal” (2008). No terceiro projeto do filme, a máquina do tempo era um DeLorean, mas, para enviar Marty de volta para o futuro, ele teria que dirigir o DeLorean durante um teste de bomba atômica, onde a explosão geraria a energia necessária para acionar o capacitor de fluxo. O trecho do teste da bomba no deserto de Nevada foi deixado de fora, a fim de reduzir o orçamento, sendo introduzida a história do raio em seu lugar.

Ao acordar novamente em 1985, próximo do final do filme, Marty tem nas mãos um envelope pardo, aparentemente sem explicação. Acontece que uma breve cena que ocorreria no início do filme, entre as cenas do jantar em família e Marty sendo acordado pelo telefonema do Doc, foi cortada. Ela mostrava Marty preparando-se para enviar sua fita demo para uma gravadora. Marty decide não fazê-lo, e deixa o envelope vazio em sua mesa. Então, a cena que mostra ele indo para o café da manhã com o envelope pardo lacrado, sugere que ele, animado pelo “pesadelo” que ele achava ter tido na noite anterior, decidira enviá-lo.

Image Cena cortada resolve o mistério do conteúdo do envelope, não informado na montagem final.

Há apenas cerca de apenas trinta e duas tomadas de efeitos especiais em todo o filme.

De acordo com Bob Gale, em um dos primeiros rascunhos do script, o sobrenome original de Marty era McDermott, mas ele foi repensado por ter muitas sílabas. Foi Robert Zemeckis, que, em seguida, veio com o nome McFly.

Steven Spielberg presta uma pequena homenagem para Stanley Kubrick nos primeiros minutos do filme. Quando Marty conecta a sua guitarra nos equipamentos de Doc, a primeira ligação que ele aciona está rotulada como “CRM 114”, código que Kubrick usava como referência ao longo de muitos de seus filmes. Essa era uma marca deixada pelo diretor, mas nunca explicada por ele: o “código CRM 114” e suas variações. Sua primeira aparição foi no filme “Dr. Fantástico” (1964), como “CRM 114”, que era o nome do equipamento decodificador de mensagens. “Em 2001 – Uma Odisséia no Espaço”(1968), 114 era o número de identificação da nave de exploração que ia para Júpiter. E em “Laranja Mecânica” (1971), o mais recente dos três, o código aparece sob a forma do Soro 114, a droga injetada no protagonista Alex.

Image Pequena homenagem à Kubrick, o código “CRM-114” mostrado em “De Volta Para o Futuro” (no alto à esquerda) aparece em várias produções do diretor.

Um tema recorrente em toda a trilogia, o esterco com que Tannen e seus companheiros são cobertos após a perseguição à Marty em torno da praça da cidade é, na verdade, uma mistura de musgo de turfa, cortiça e sujeira, combinado com um agente aglutinador para torná-lo pegajoso.

Se notarmos bem, a carta de advertência que Marty escreve à Doc em 1955 não só tem espaçamento diferente da carta recuperada em 1985 (veja a última linha de cada uma), como a letra também não é a mesma. As diferenças não foram explicadas pelo diretor, mas ele disse que não se trata de um erro de continuidade. No entanto, deixou em aberto a possibilidade de uma realidade paralela alterada pela viagem no tempo, que poderia ser aproveitada no mesmo roteiro ou em uma seqüência, caso o filme tivesse um grande sucesso, coisa que nem mesmo o diretor acreditava seriamente naquele momento.

Image A mesma carta com escritas diferentes. Distorção do espaço-tempo que seria aproveitada no filme seguinte?

O produtor Neil Canton ofereceu o papel de Doc Brown à Christopher Lloyd, depois de terem trabalhado juntos em “As Aventuras de Buckaroo Banzai” (1984). Lloyd, originalmente, recusou o convite, mas mudou de idéia depois que sua esposa o convenceu a assumir o papel. Ele improvisou algumas de suas falas.

Quando Robert Zemeckis estava tentando vender a idéia deste filme, uma das empresas que ele abordou foi a Disney, que recusou o projeto, porque eles achavam que a história de uma mãe que flerta com seu filho (embora por uma torção da viagem do tempo) era muito ousada para um filme sob sua bandeira. Na verdade, a Disney foi a única empresa a pensar que o filme era ousado. Todas as outras empresas, disseram que o filme não era ousado o suficiente, em comparação com outras comédias adolescentes daquela época, como “Picardias Estudantis” (1982), “A Vingança dos Nerds” (1984), etc.

Em 1955, Doc Brown vê a fita de vídeo de si mesmo explicando a necessidade de 1,21 GW de energia, quando ele volta para a casa e é visto conversando com um porta-retrato à que ele se refere como “Tom”. Ao mostrar a foto, podemos ver que é o retrato de Thomas A. Edison, com quem ele estava falando. Ao colocar o retrato sobre a prateleira, podemos ver outros cientistas ilustres. À esquerda de Edison estão Sir Isaac Newton e Benjamin Franklin, e à sua direita está Albert Einstein, a inspiração de Doc para criar a máquina do tempo.

Image Da esquerda para direita, os retratos mostram Sir Isaac Newton, Benjamin Franklin, Thomas A. Edison e Albert Einstein.

Quando Marty diz à Doc que Ronald Reagan era presidente em 1985, Doc zomba perguntando se Jane Wyman era a Primeira Dama. Wyman, na verdade, tinha sido casada com Ronald Reagan entre 1940-1948. Em 1955, Reagan já estava casado com Nancy.

O produtor executivo Steven Spielberg inicialmente tinha algumas reservas sobre a contratação de compositor Alan Silvestri, mesmo tendo ficado impressionado com a composição de Silvestri para “Tudo Por Uma Esmeralda” (1984). Durante uma exibição-teste em que o filme foi acompanhado por uma trilha temporária que só usou parte da composição, Spielberg comentou com Robert Zemeckis que aquela era “o tipo de música de que o filme precisava”, sem saber que ela era, de fato, uma das músicas de Silvestri.

O homem dirigindo o jipe em que Marty pega carona na traseira no início do filme é o coordenador de dublês Walter Scott. Já a apresentadora do telejornal é a atriz Deborah Harmon, em uma pequena ponta.

Image Walter Scott e Deborah Harmon, fazendo pequenas participações no filme.

O dono do café em 1955 zomba da idéia de um prefeito negro, mas o primeiro prefeito negro de uma cidade da Califórnia já tinha sido eleito décadas antes. Foi Edward Duplex, prefeito eleito de Wheatland em 1888.

O filme foi classificado como nº 10 na lista dos 10 melhores filmes do gênero “Sci-Fi” do American Film Institute, em Junho de 2008. Em dezembro de 2007, ele foi selecionado pela Biblioteca do Congresso para preservação no National Film Registry.

Quando Doc sai do DeLorean em uma roupa de proteção contra radiação, Marty perguntou-lhe: “Isso é um Devo?” “Devo” era um grupo musical americano pós-punk, cujo maior período de sucesso comercial foi, principalmente, no final de 1970 e início de 1980. O macacão anti-radiação que Doc estava usando era semelhante aos que os integrantes do “Devo” eram conhecidos por usarem em seus vídeo-clipes e performances ao vivo.

Image Doc (no alto) vestido ao estilo “Devo” (acima). Referências pop/rock/punk permeiam todo o filme.

Em 2010, durante uma reunião do elenco para comemorar os 25 anos do filme, Michael J. Fox disse que estranhos ainda o chamam de “McFly!” constantemente. Fox disse que o exemplo mais notável foi quando ele estava em uma selva remota no Butão, país do sul da Ásia, localizado entre a China e a Índia, no Himalaia oriental. Um grupo de monges budistas passou por ele e um deles olhou para Fox e disse: “Marty McFly!”

O livro em quadrinhos “Tales from Space”, mostrado pelo filho do fazendeiro quando Marty invade o celeiro com o DeLorean, presta homenagem à EC Comics, uma linha controversa e influente de HQs dos anos 1950. Se você olhar cuidadosamente para a capa da história em quadrinhos, você pode ver o logotipo EC no canto superior esquerdo. Embora não houvesse nenhum “Tales from Space” pela EC (Seus títulos de ficção científica eram “Weird Science” e “Weird Fantasy”), houve uma história em quadrinhos intitulada “Tales from the Crypt”. Robert Zemeckis é um fã da, agora extinta, EC Comics e serviu como produtor executivo de “Tales from the Crypt” (1989) – no Brasil, Contos da Cripta.

Image HQ mostrada no filme faz referência à título real produzido pela editora nos anos 50.

O filme apresenta uma grande quantidade de ações de Marketing por várias empresas, mas nenhuma delas tão presente quanto a da Pepsi, cuja marca é visível através de todo o tempo de exibição do filme. As cenas em que a marca aparece são as seguintes:

Image 1985: Durante a sequência de abertura, quando todos os relógios tocam às 8:00 (25 minutos atrasados) há uma placa da Pepsi visível no canto superior direito do quadro;

Image 1985: Uma lata de Pepsi Cola é visível quando a banda de Marty se prepara para tocar em frente ao júri da escola;

Image 1985: Uma lata de Diet Pepsi é visível durante o jantar da família McFly;

Image 1985: Outra lata de Diet Pepsi aparece ao lado do relógio acima da cama de Marty , quando ele dorme, antes da chamada de Doc. O relógio mostra 00:28;

Image 1955: Quando Marty entra na lanchonete do Lou, um termômetro da Pepsi está no canto superior direito da parede.

Image 1955: Quando George encontra Marty no posto de gasolina Texaco, uma máquina de Pepsi é visível;

Image 1955: Marty leva uma garrafa da máquina de Pepsi e bebe no lado de fora da lanchonete;

Image 1955: Quando Marvin Berry & The Starlighters estão tocando no baile, uma caixa de Pepsi Cola está apoiando uma caixa de som;

Image 1955: Uma garrafa de Pepsi está no carro dos músicos, quando Marty é colocado no porta-malas.

As guitarras que Marty usa durante o filme são: Erlewine Chiquita (seqüência de abertura), Ibanez Roadstar Black II (cenas da banda de Marty durante a audição no colégio em 1985) e Gibson ES-345TD 1963 (Marty tocando no baile em 1955) – detalhe que, em 1955, essa guitarra ainda não existia.

O nome “D. Jones” aparece no lado do caminhão de esterco. Esta é uma referência ao gerente de produção Dennis E. Jones. Já a placa de um carro estacionado na saída da audição das bandas (que diz “PARA MARY”) é uma homenagem à Mary T. Radford, assistente pessoal do diretor da segunda unidade Frank Marshall. Em outra participação especial dos integrantes da produção, a imagem do Prefeito Red Thomas no carro de propaganda eleitoral em 1955 é do decorador de set Hal Gausman.

Image Dennis E. Jones, Mary T. Radford e Hal Gausman. Integrantes da produção participam, discretamente, do filme.

Quando Lorraine está no quarto com Marty em 1955, ela diz à Marty “Bem, esse é o seu nome não é? Calvin Klein?”. No entanto, na versão em francês, a fala foi alterada para Pierre Cardin, e na versão dublada em espanhol, para Levi Strauss.

No London Comic Con em 2015, Michael J. Fox admitiu que seus quatro filhos (um garoto e três garotas, todos adolescentes) nunca viram “De Volta para o Futuro”.

Quando Marty está tocando” Johhny B. Goode” e Marvin telefona para seu primo, Chuck Berry, para dizer-lhe sobre o novo som que ele estava procurando, isso ocorre em 12 de Novembro de 1955. Nessa data, na realidade, Chuck Berry foi nomeado o mais promissor dos novos artistas de R&B pela Billboard.

Os direitos de “Back To The Future” e de suas seqüências são de propriedade de Robert Zemeckis e Bob Gale. Em uma entrevista no início de 2015, Zemeckis sustentou que nenhum reboot ou remake da trilogia seria autorizado durante a sua vida ou a de Gale. Levando-se em conta a qualidade (ou a falta dela) dos remakes e reboots produzidos nas últimas três décadas, essa era a melhor notícia que um fã da trilogia poderia receber.

Fontes: Imdb.com, aveleyman.com, thingsinmovies.com, walknridela.com, filmmunch.com, store.intrada.com, backtothefuture.wikia.com, spbrasil-2009.net, techtudo.com.br, underhoodservice.com, forum.donanimhaber.com, taringa.net, dmcflorida.com/dmc-texas.htm, fanpix.famousfix.com, sitcomsonline.com, mpora.com, super.abril.com.br, blogs.indiewire.com, mark-campbell.net, fanpop.com, rollingstone.com, gettyimages.com, alamy.com e classicmoviereel.com.

125 comentários para DE VOLTA PARA O FUTURO (1080p/Tri Áudio) – 1985

  • MarcelloQuintela  Disse:

    Muito obrigado!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! 🙂 Vai ter a parte 2 e 3 ?

    • Don Costa  Disse:

      Olá Marcello!
      Vai ter sim. Ambas estão em processo de remasterização para atingirem o mesmo grau de qualidade deste primeiro filme, e serão postadas nas próximas semanas. Não pude lançar toda a trilogia de uma só vez pois uma remasterização como essa leva muito tempo e os arquivos gerados são muito grandes. Então, achei melhor mandar os filmes separadamente, ganhando tempo para terminar os trabalhos em cada um dos outros dois filmes, além de poder ir upando os grandes arquivos aos poucos.
      Assim que for terminando as remasterizações eu vou postando.
      Fique de olho na página inicial do Tela.
      Grato pelo cometário.
      Grande abraço.

  • victormetal  Disse:

    otimo post amigo, só tire uma duvida , essa segunda faixa de audio em portugues seria a redublagem ???

    • Don Costa  Disse:

      Boa tarde Victor!
      São três faixas de áudio. A primeira é a dublagem original da BKS (Cinema, TV Globo, TV Paga – TNT/Space – e VHS), originalmente em stéreo e remasterizada em 5.1 canais, tomando por base um áudio inglês. A segunda é a redublagem da Double Sound (TV Record, TV Paga, DVD, Bluray, Netflix, NOW, Clarovídeo) retirada do bluray nacional. A terceira é o áudio original inglês.
      Nas amostras cujos links estão no início da postagem você pode conferir o áudio BKS stéreo utilizado como base, esse mesmo áudio BKS já trabalhado em seis canais – é ele que está no filme como primeira opção – e o áudio Double Sound que é a segunda opção de áudio do filme.
      Espero ter esclarecido suas dúvidas.
      Muito obrigado pela mensagem.
      Abraços.

  • djrickjk  Disse:

    Nossa, SAMBOU feat. HUMILHOU com este post!
    Com certeza está melhor que o áudio que eu tenho aqui em 2.0.
    Espero que consiga tirar o zunido na dublagem do 3º filme (se é a mesma fonte que eu tenho).
    Vou baixar só pelo áudio, porque a imagem vou pegar um REMUX, esse filme mereço ter a melhor qualidade!
    Muito obrigado!

    • Don Costa  Disse:

      Boa noite, djrickjk!
      Deu e está dando um trabalho gigantesco, mas vou conseguir tirar esse zunido sim. Eu sempre sou bastante crítico com relação à meu próprio trabalho, mas gostei muito do resultado deste. Espero conseguir o mesmo resultado nas partes 2 e 3, por isso essas remasterizações levam tanto tempo. Esse filme aqui eu já deveria ter postado em Junho, mas enquanto não estiver de um jeito que eu considere aceitável, eu não posto. Os outros dois já estão em estágio avançado de remasterização e não levarão tanto tempo para pintarem por aqui.
      Concordo plenamente com você. Esse filme merece ser apreciado com a melhor imagem possível. Eu até pensei em mandar o Remux original remasterizado, já que a data é especial para este filme. mas ele tinha quase 30GB. Como a minha internet tem só 1 Mega e a velocidade de upload fica limitada à um máximo de 35 kbps, eu desisti da idéia. Mesmo porquê, eu tenho várias remasterizações na fila e estou baixando e upando arquivos quase que 24 horas sem parar para dar conta. Não poderia ficar dias travado apenas em um único arquivo.
      Te agradeço muito pelo seu comentário.
      Forte abraço.

  • Paulitas  Disse:

    Esse e mais um dos up aki do tela que valem mais de qualquer Blu ray que tem por ai pela qualidade, extras, informações, curiosidades etc. Nem imagino o tempo que vc gastou para fazer tudo isso. Misericordia.
    Parabens é o minimo que podemos dar a voçes.
    Obrigado e tambem hoje saiu um documentario em ingles por enquanto de uma hora e meia com kilos de extras tambem. E hoje que nao durmo kkkkkkkk.

    • Don Costa  Disse:

      Como vai, Paulitas?
      Na verdade estou trabalhando neste projeto há alguns meses, mas não só nele. Uma maneira que encontrei para aumentar a minha produtividade nas postagens foi trabalhar em várias delas ao mesmo tempo, pulando de uma para outra a fim de evitar que o trabalho fique maçante. No seriado do Batman, por exemplo, estou trabalhando deste o ano passado, e boa parte desse tempo foi gasto em fazer o download dos 120 episódios em alta definição, das dublagens e confeccionar as legendas. Mas sempre intercalando esses trabalhos entre uma postagem e outra. Então, não sei te dizer, exatamente, quanto tempo levou para fazer o download dos arquivos, trabalhar neles, pesquisar os ítens extras, upar tudo isso e montar a postagem. Mas levou um bom tempo.
      Quanto ao bluray, eu já desisti de esperar por um lançamento no Brasil igual aos do exterior de qualquer título nesta mídia. Não adianta. Eles não colocam a dublagem original, não vem com os mesmos extras e, neste caso aqui, nem com o box que emula o capacitor de fluxo, item com que ele foi lançado o exterior.
      O Tela não consegue preencher esta lacuna física dos lançamentos nacionais. Mas, pelo menos neste filme, os amigos terão acesso à qualidade de som e imagem, inclusive com a dublagem clássica.
      Obrigado por prestigiar nossas postagens.
      Forte abraço.

  • Atchiman  Disse:

    Valeu Don Costa! Sensacional essa postagem. Nada como comemorar os 30 anos da trilogia assistindo nessa qualidade e ainda com a dublagem clássica, muito legal, valeu mesmo!

    Eu estou com problemas de baixar a 22ª parte, mostra a mensagem no mega.nz “Erro temporário, tente outra vez”. Já tentei baixar em outro navegador, até em outro PC, mas não deu certo. Alguém tem idéia por que?

    Obrigado mais uma vez Don Costa.

    • Don Costa  Disse:

      Oi Atchiman.
      São 30 anos do lançamento do primeiro filme e dia exato da chegada de Marty no ano de 2015 em “De Volta Para o Futuro – Parte 2” (ele chegou em 21 de Outubro de 2015). Só mesmo o pessoal do Tela, e o Wagner S., para se ater à esses detalhes.
      Valeu Wagner!!
      Esse ´problema na parte 22 é um bug recorrente do Mega, mas geralmente dura pouco tempo, às vezes somente algumas horas.
      Faça o seguinte:copie este link da parte 22 em um gerenciador de downloads como o JDownloader2. Ele ficará tentando baixar esta parte a cada 5 minutos até que ela seja liberada. Depois que baixar é só colocar esta parte na mesma pasta com as outras e descompactar normalmente.
      Vou ficar monitorando e, caso ela não volte ao normal em dois dias, eu upo essa parte novamente.
      E não se preocupe. Mesmo que eu tenha que upar esta parte 22 novamente, ela será plenamente compatível com as partes que você baixou, já que eu ainda tenho os arquivos originais aqui.
      Por favor, avise-nos quando conseguir baixar esta parte.
      Muito obrigado pela mensagem.
      Abraços.

      • Atchiman  Disse:

        Opa, hoje consegui baixar, era bug do Mega mesmo.

        Valeu Don Costa.

        • Don Costa  Disse:

          Muito obrigado pelo aviso, Atchiman.
          Essa informação é muito importante para ajudar a monitorar a qualidade dos servidores em que os arquivos estão hospedados, servindo como um guia para as futuras postagens.
          Abraços.

  • C,TaxiDriver  Disse:

    Postagem mais que espetacular ! Gosto muito desse filme, está no meu top 15 melhores filmes de todos os tempos, e a trilogia é minha terceira favorita de todos os tempos, serás um prazer ver esse filme com tamanha qualidade, Muito obrigado Don !!! 🙂

    • Don Costa  Disse:

      Como vai, Cláudio?
      Este filme foi concebido como um simples entretenimento, sem nenhuma ambição de ser mais do que isso, e acabou se tornando um marco de toda uma geração. Hoje, 30 anos após o seu lançamento, a história continua sendo atual o suficiente para ser relançada nos cinemas e obter uma excelente bilheteria (a trilogia inteira está sendo reprisada em vários cinemas pelo mundo, inclusive no Brasil, em sessões de maratonas poucas vezes vistas na história).
      A história é simples, mas muito interessante e muito bem produzida, apesar do baixo orçamento. É possível, até, fazer um estudo antropológico dos últimos 60 anos na cultura ocidental (especialmente americana) apenas assistindo ao filme. Vemos as mudanças nas artes (música, dança), na indústria (automóveis, imóveis) e nas tecnologias em geral. Partimos do R&B dos anos 50, passamos pelo heavy metal dos anos 80 e chegamos à música eletrõnica dos anos 2015. Saímos dos enormes e beberrões automóveis dos anos 50, passamos pelos menores e econômicos carros dos anos 80 e desembarcamos nos, altamente tecnológicos, veículos dos anos 2015, que até falam com a gente e nos mostra o caminho a ser seguido (só faltam mesmo voar).
      Mesmo com todas estas mudanças, algumas coisas seguem, absolutamente, iguais. O namoro no carro, o flerte no baile, o conturbado relacionamento entre as gerações das famílias (principalmente entre pais e filhos) e o comportamento complexo dos jovens em busca de aceitação social (especialmente a formação dos grupos e os conflitos entre eles, sejam elas turmas como as de Biff, ou as atuais redes sociais).
      Mesmo os fenômenos considerados amplamente atuais, como os bailes funks, que parecem escandalizar os brasileiros da terceira idade, têm seu paralelo nos festivais de rock dos anos 50-60. Hoje é comum ver sexo e drogas em plena rua nestes bailes, mas se voltarmos para o festival de Woodstock, por exemplo, sexo e drogas também era a tônica dos jovens daquela época, que são exatamente, os membros da terceira idade de hoje. A imagem de Joe Cocker, absolutamente bêbado (para alguns biógrafos, também totalmente chapado), cantando e tocando uma guitarra imaginária na sua apresentação, parecendo que estava à ponto de despencar do palco a qualquer momento, dava a idéia do que era o tripé “sexo, drogas e rock and roll”. Hoje temos, quase nos mesmo moldes, o “sexo, drogas e funk”.
      O comportamento humano no tocante ao seu relacionamento social parece não mudar com o passar das décadas, talvez dos séculos, mesmo com o avanço tecnológico permeando nossas vidas, ou com as mudanças ideológicas sobre como vemos o mundo, cada vez mais globalizado – veja o politicamente correto que policia tudo hoje em dia.
      Assistindo ao filme à partir deste ponto de vista da antropologia o deixa ainda mais interessante e nostálgico, apesar de ser agradavelmente atual. Mudamos, talvez, o nosso ponto de vista com relação aos personagens. Os quarentões de hoje (eu, inclusive) se viam como Marty McFly na época de seu lançamento. Hoje, nos vemos na pele dos pais dele, inclusive na parte em que voltamos aos tempos de escola. Mas também podemos nos ver como o excêntrico Doc Brown, tanto naquela época, como na atualidade, tornando o filme, absolutamente, atemporal.
      Um filme simples que se transformou em uma verdadeira obra de arte, coisa cada vez mais rara hoje em dia.
      Muito obrigado pela sua mensagem.
      Forte abraço.

  • battousai´s  Disse:

    obrigado por disponibilizar esse magnifico trabalho , so tendo problemas para baixar a parte 20 e 22.

    • Don Costa  Disse:

      Olá battousai’s.
      Esse problema nas partes 20 e 22 é um bug recorrente do Mega, mas geralmente dura pouco tempo, às vezes somente algumas horas. Também desconfio que ele aconteça mais quando há um grande fluxo de downloads de um mesmo arquivo. Como a postagem acabou de sair no Tela, muitos podem estar baixando estes arquivos neste exato momento. O fato de minha conta ser gratuita e, portanto, sem direito à banda de tráfego adicional, pode estar contribuindo para este gargalo de downloads.
      Peço que faça o seguinte: copie estes links das partes 20 e 22 em um gerenciador de downloads como o JDownloader2. Ele ficará tentando baixar estas partes a cada 5 minutos até que elas sejam liberadas. Depois de baixá-las é só colocar estas partes na mesma pasta com as outras e descompactar normalmente.
      Vou ficar monitorando e, se for necessário, eu upo estas partes novamente.
      E não se preocupe. Caso eu tenha de substituir estas partes, elas serão compatíveis com as partes que você já baixou.
      Por favor, avise-nos quando conseguir baixar todas as partes.
      Grato pelo aviso.
      Abraços.

  • marcelo1927  Disse:

    Adoro esse filme. Excelente postagem. Parabéns por essa postagem, ou melhor, por esta matéria de entretenimento e curiosidades e curiosidades sobre o filme.

    • Don Costa  Disse:

      Também é um dos meus filmes favoritos, Marcelo.
      Aliás, tem uma quantidade de fã-clubes tão grande que foi possível obter todos estes detalhes sobre a produção. E eu tive de filtrar muita coisa, caso contrário não conseguiria criar a postagem. Isso demonstra o grau de adoração que a trilogia gerou desde o seu lançamento. E não é sem motivo. Ela é, simplesmente, sensacional.
      Obrigado pela sua mensagem.
      Um grande abraço pra você.

  • CignusRJ  Disse:

    Um simples obrigado é muito pouco por tudo o que fez.
    Quero te agradecer pela postagem, pelo esforço, pelo suor, pelas lágrimas e pelo resultado magnífico.
    Don Costa, do fundo do coração, como amante de cinema que sou, agradeço por tudo 🙂
    Vou apreciar este filme hoje dia 21 de outubro de 2015. 🙂
    abraços
    CignusRJ

    • Don Costa  Disse:

      Sou eu quem te agradeço pelas palavras de apoio, que me incentivam a caprichar ainda mais a cada postagem.
      É um trabalho feito com muita dedicação por um fã da trilogia, e dedicado à todos aqueles que, como eu, são apaixonados pela sétima arte.
      E é um prazer imenso compartilhar o resultado deste trabalho com todos os amigos do Tela, principalmente neste dia tão especial para os fãs da franquia.
      Muito obrigado por prestigiar o site e a postagem.
      Grande abraço.

  • Zachary Foxx  Disse:

    Isso não é um post….. é uma aula de qualidade, de paixão por filmes, de como poderiamos querer um lançamento oficial entupido de extras e informações!!

    Don, estou sem palavras….. Poderia encher a resposta de obrigados e não seria suficiente!

    Apenas um, mas acredite, um GIGANTES, ENORME, INFINITO: OBRIGADO!

    • Don Costa  Disse:

      Grande Zachary Foxx!
      De fato, o mercado doméstico de blurays se mostra um tanto indeciso sobre o futuro do formato. As empresas ficam entre fazer lançamentos simples, sem discos extras e nenhum item adicional – quase que, simplesmente, substituindo o DVD – e fazer lançamentos mais encorpados, porém ainda aquém dos lançamentos internacionais, como quem experimenta a reação do consumidor à estes lançamentos. Falta ousadia e determinação para criar um público cativo do formato, que jamais compraria um bluray pirata, oferecendo produtos únicos e diferenciados, recheados de extras e ítens adicionais, mesmo que, inicialmente, para um público seleto e, portanto, mais reduzido. Esse público é pequeno, mas fiel. Eu mesmo pagaria, sem problemas, em torno de R$200,00 por um box caprichado desta trilogia com a dublagem clássica. Não é um preço muito distante dos lançamentos internacionais e, embora um pouco salgado para os padrões nacionais, acredito que teria uma venda interessante devido ao grande apelo popular da trilogia. Posso estar errado, mas só saberemos se as distribuidoras, pelo menos, tentarem.
      Te agradeço muito pela mensagem dedicada à esta postagem.
      Grande e forte abraço.

  • farra4ever  Disse:

    Obrigado.

    • Don Costa  Disse:

      É muito bom te ver novamente comentando em minhas postagens, Farra!
      Obrigado por mais esta mensagem.
      Abraços.

  • victormetal  Disse:

    muito bom mesmo obrigado
    me diz uma coisa que programa voce usa pra remasterização, não é o sony vegas né?
    voce usa qual programa???

    • Don Costa  Disse:

      Oi Victor!
      Eu uso vários, dependendo da tarefa a ser realizada.
      Para os vídeos, cuja única tarefa que realizo é alterar a bitragem, eu uso o MediaCoder.
      Quando necessito saber de todas as informações dos arquivos de mídia eu utilizo o MediaInfo.
      Com relação às legendas, tanto para criar as novas, quanto para editar e sincronizar as já existentes, eu recorro ao SubtitleWorkshop4.
      Um programa muito bom para extrair vídeos, áudios e legendas de um disco, bluray ou DVD, inclusive virtual, é o MakeMKV.
      O melhor programa que eu encontrei até hoje para anexar ou desanexar áudio, vídeo e legendas (desde que sejam softsub) foi o MKVMerge.
      Agora, para trabalhar em todo o áudio e sincronizá-lo com o vídeo eu utilizo o Audacity. Ele nem de longe é tão completo como o Sony Vegas e também possui várias limitações, mas, com um pouco mais de mão de obra, podemos obter bons resultados como o desta postagem.
      Note que todos os programas que listei acima são gratuitos e podem ser facilmente encontrados na internet. Como sou absolutamente amador, eu não invisto financeiramente em programas, equipamentos ou arquivos para criar minhas remasterizações, utilizando o que encontro disponível na rede.
      Mas se quer uma sugestão de um bom programa para remasterizar, recomendo o Sony Vegas que é muito mais completo, embora eu não tenha tido a paciência de aprender à usá-lo corretamente.
      Na verdade, eu só tive essa paciência com o Audacity porque fui aprendendo aos poucos, conforme ia fazendo as minhas remasterizações mais simples.
      Espero que estas informações te ajudem na escolha dos programas.
      Abraços.

      • Alainstair  Disse:

        Olá Don, parabéns! Excelente postagem! Estou no aguardo dos outros dois tb, hehe …. e o Grito de horror é tri audio? Então vc conseguiu? Graaaande! Me esclarece uma coisa…. vc disse que sincroniza com audacity, entao ele suporta arquivos de video tb?

        • Don Costa  Disse:

          Oi Alainstair!
          Talvez eu consiga enviar a segundo “De Volta Para o Futuro” já na semana que vem. Será a próxima postagem depois de “Grito de Horror”, cujo áudio Herbert Richers foi encontrado pelo caçador de áudios perdidos Injohnahexana Jones. Tenho certeza de que, se o Johnahex procurar mais à fundo em seus arquivos, vai encontrar até a dublagem e redublagem de “Os Brutos Também Amam”. E não importa se nunca foi feita uma redublagem desse filme. Ele encontra assim mesmo.
          Quanto ao Audacity, com todos os plugins carregados, ele trabalha com todos os áudios de filmes, inclusive DTS, e, embora não consiga salvar o áudio com esta extensão, ele os salva como AC3 ou AAC, mantendo uma qualidade bem próxima ao original.
          O grande problema com o Audacity é que ele não carrega o vídeo junto com o áudio, à fim de se trabalhar com ele em tempo real, como faz o Sony Vegas. Então, para verificar se a sincronia está, realmente, correta, você tem de editar um trecho do áudio, exportar esse áudio já modificado para a Área de Trabalho (ou qualquer outra pasta), juntar este áudio com o vídeo em que será anexado como resultado final e só então verificar a sincronia. Depois edita um outro trecho desse áudio e repete a operação.
          Dá muito mais trabalho que no Sony Vegas, mas eu não tive a paciência para aprender a mexer no Sony Vegas até chegar ao estágio que já atingi no Audacity.
          Mas vou fazendo aos pouquinhos e me divertindo durante o processo.
          Muito obrigado pela mensagem, amigo!
          Grande abraço.

  • Claudiomar J.S.  Disse:

    Definição para este post: ” épico ”

    • Don Costa  Disse:

      Tentei fazer algo que fizesse justiça à esta obra prima do cinema, Claudiomar. O filme é um dos símbolos dos anos 80 tendo uma importância muito grande para todos aqueles apaixonados pela sétima arte e que viveram a adolescência naquela época.
      Assisti-lo é, literalmente, uma viagem no tempo.
      Muito obrigado por comentar em minha postagem.
      Forte abraço.

  • jcp  Disse:

    Oi, sensacional essa postagem! Adoro esse filme.
    Só que eu baixei as 3 primeiras partes da versão reduzida ontem (21/10) e quando fui baixar o restante hoje (22-10) aparece o seguinte: “Bandwidth Exceeded. Sorry, this content has run out of bandwidth.”
    Até me cadastrei nesse Copy, mas não adiantou. É a mesma mensagem. Para testar tentei baixar os links do Copy da sua postagem versão reduzida do BATMAN (Dual Áudio) – 1966 e acontece a mesma coisa (antes eu conseguia e hoje nada feito).
    Desliguei o computador completamente, inclusive na tomada. Liguei de novo, desconectei a internet, entrei pelo discador outra vez e fica na mesma situação.
    Você pode ajudar por favor? Muito obrigada pela atenção e parabéns pelo árduo trabalho.

    • Don Costa  Disse:

      Bom dia Jcp.
      Eu estou testando o Copy porque os demais servidores de hospedagem (4shared, Pcloud e Mega) começaram a apresentar limitações nos downloads, como, por exemplo, um limite de banda, que o Copy, aparentemente, não tinha. Infelizmente vim a descobrir, agora, que ele, de fato, tem essa limitação. Neste caso, é possível baixar uma determinada quantidade de Megabytes de minha conta em um determinado período. Quando esta quantidade de Megabytes é atingida, o arquivo fica indisponível até que comece um novo período de abertura de banda. Para piorar a situação, cometi o erro de colocar estes links de “De Volta Para o Futuro” na mesma conta de “Batman”, que foram duas postagens muito populares e, consequentemente, com muitos downloads num curto período de tempo. E o site do Copy não informa qual é esta largura de banda disponível, nem o período em que ela é disponibilizada. Portanto, não sei por quanto tempo os arquivos ficarão indisponíveis, tanto os desta postagem, quanto os de Batman.
      Neste momento, eu estou upando estes arquivos em outro servidor (Pcloud), em uma conta nova, com banda de transmissão de dados ainda intacta, para deixar como uma opção a mais de download. Vou deixar upando hoje o dia inteiro e durante toda a madrugada, mas como minha internet é lenta, estes novos links estarão disponíveis somente amanhã pela manhã. E não se preocupe com as três primeiras partes que você já baixou. Você não precisará baixá-las novamente, pois os arquivos que estou upando são exatamente os mesmos que estão no Copy. Você pode até baixar intercalando entre um servidor e outro que eles serão plenamente compatíveis. Basta que estejam dentro da mesma pasta para serem descompactados.
      Peço desculpas pelos transtornos causados pela minha decisão de testar novos servidores. Eu tento sempre facilitar ao máximo o acesso aos arquivos de minhas postagens e, na busca constante por servidores melhores,acabo, às vezes, cometendo erros.
      Amanhã eu informo os novos links para baixar o arquivo menor. Só espero que não ocorra nenhum problema como quedas no fornecimento de energia, cortes constantes da conexão, etc.
      Muito obrigado pelo aviso e um grande abraço pra você.

      • jcp  Disse:

        Não tem o que desculpar. Essas coisas acontecem. Agradeço o seu pronto retorno e aguardo ansiosamente os novos links. Até lá. Abraços.

        • Don Costa  Disse:

          Jcp, acho que consegui transferir estes arquivos para o Google Drive, sem precisar reupá-los.
          Por favor, tente acessar a seguinte pasta e veja se consegue baixá-los:
          https://drive.google.com/folderview?id=0B3SiPagpYXekMzNBNmtDSWUtd1U&usp=sharing
          Ele vai dar um aviso de “problemas na visualização” e, ao cliquar em “download” ele vai dizer que não pode verificar a existência de vírus devido ao tamanho de cada arquivo. Aceite baixar assim mesmo e coloque-os na mesma pasta em que baixou as demais partes.
          Aqui funcionou, mas, como eu estava com minha conta do Google ativa (eu não posso desconectar agora, pois estou upando os arquivos no Pcloud), eu não sei te dizer se todos que acessarem esta pasta conseguirão baixá-la.
          Por favor, avise-nos se conseguir.
          Abraços.

          • jcp  Disse:

            Don, já estou baixando o restante dos arquivos normalmente. Obrigada mais uma vez pela sua atenção e parabéns pelo trabalho.

            • Don Costa  Disse:

              Muito obrigado pela informação, JCP!
              Agora sei que este método de transferência de arquivos na própria nuvem poderá ser usado no futuro.
              Abraços.

  • Johnahex  Disse:

    Simplesmente espetacular!!! Esse merecia sim uma postagem grandiosa a altura! Um filme que marcou a geração ’80s,como não tenho $$$ pra comprar um DeLorean,me contento com o meu diecast 1:24 de metal,he,he,he…valeu Don!

    • Don Costa  Disse:

      Pois é, Joel.
      Até o começo do ano tinha um DeLorean sendo vendido no Mercado Livre, importado por um colecionador. O carro em si não é dos melhores, mas o que ele representa fez o preço subir nas alturas.
      Também vou ficar com o modelo em escala.
      Mas quando eu acertar na mega-sena vou comprar um direto da fábrica, além de encomendar um Lincoln Futura já personalizado como o Bat-Móvel e vou atrás de uma das réplicas do Mach 5 em tamanho real lançadas no Japão anos atrás.
      A garagem vai ficar uma beleza.
      Obrigado pelo cometário.
      Forte abraço.

  • battousai´s  Disse:

    consegui baixar os links 20 e 22 e mais uma vez muito obrigado e parabéns por esse grande trabalho de remasterização bks agora em bluray 5.1 grande abraço.

    • Don Costa  Disse:

      Muito obrigado por nos avisar, battousai´s!
      Essa informação é importante para o aprimoramento das nossas postagens.
      Abraços.

  • jefspfc  Disse:

    se alguem puder upar em outro serv a versao REDUZIDA… o COPY nao esta aguentando o limite de banda acusa desde 6h da manha e ja sao 16h rsrs

    • Don Costa  Disse:

      Boa tarde jefspfc!
      Eu já estou reupando o arquivo menor no Pcloud. Devo terminar até amanhã.
      Por enquanto, acho que consegui copiar estes arquivos no Google Drive à partir do Copy, sem a necessidade de novo upload, mas não sei se todos os que acessarem a pasta poderão baixar os arquivos sem problemas.
      Por favor acesse a seguinte pasta:https://drive.google.com/folderview?id=0B3SiPagpYXekMzNBNmtDSWUtd1U&usp=sharing
      e tente baixar os arquivos a partir de lá.
      Se der certo, você não precisará esperar até amanhã para baixar o arquivo menor.
      Muito obrigado pelo aviso.
      Abraços.

      • djrickjk  Disse:

        Confirmo que os links do Google Drive estão baixando normalmente.
        Obrigado!

        • Don Costa  Disse:

          Muito obrigado pelo aviso, djrickjk!
          Com essa confirmação eu, agora, posso utilizar mais uma opção de transferência em caso de necessidade.
          Abraços.

      • jefspfc  Disse:

        muito obrigado pela opção. está ok e ja baixei 😀 se precisar mais tarde eu terei no 1fichier backup

        • Don Costa  Disse:

          Bom dia, jefspfc!
          Grande notícia essa dos arquivos estarem upados em mais servidores por garantia.
          Se você quiser, fique à vontade para enviar este link do 1fichier ao Wagner S. para adicioná-lo á postagem, criando mais uma opção de download para os marujos. Mas mesmo se preferir deixá-lo somente como reserva, já é uma garantia de que os arquivos estarão seguros e poderão ser resgatados em caso de necessidade.
          Muito obrigado pela ajuda.
          Forte abraço.

  • alemanha  Disse:

    Desculpe, mais esse lançamento é um dos maiores lançamentos que já vi em minha vida, é uma aula sobre cinema, uma aula sobre De Volta para o Futuro, simplesmente sensacional, com certeza deu um baita trabalho pra lançar e humildemente agradeço e reverencio sua paixão e ofereço o meu profundo respeito, você ganhou um fã, parabéns e muito, muito obrigado.

    • Don Costa  Disse:

      Boa tarde, Alemanha! (E não. Eu não vou fazer nenhuma piada ou referência aos 7×1 – ops, já fiz…)
      Desde a sua criação, o cinema exerce um fascínio enorme sobre as pessoas. No início, foram as imagens em movimento. Depois foi o áudio que saía daquelas imagens, seguido, anos depois, pela explosão de cores na tela. Com o passar dos anos e o aprimoramento dos efeitos especiais, a fábrica de sonhos adentrava cada vez mais no imaginário de seu público, encantado com o que seus olhos e ouvidos experimentavam em cada sessão. Mas uma coisa não mudou desde suas primeiras exibições com os irmãos Lumiére. A qualidade de um filme está diretamente relacionada com a qualidade da história contada por ele. De nada adiantam uma excelente qualidade de imagem, som e efeitos se a história mostrada não cativa, não envolve, não emociona. Filmes que conseguem unir todos estes elementos, como é o caso desta trilogia, ficam para sempre na memória e no coração do público, pois mais importante do que o que vemos e ouvimos, é o que sentimos ao assisti-los. Alguns filmes marcam, emocionam e se tornam eternos. Para uma obra como esta, que marcou toda uma geração, qualquer trabalho criado em referência à ela deve ter o cuidado de respeitar sua importância na mente e no coração dos fãs.
      E meu trabalho é apenas isso. Uma contribuição de um grande fã do filme para todos os outros fãs que gostariam de ter todos os elementos que os fizeram se apaixonar pela obra, inclusive a dublagem clássica com boa qualidade, mas que até agora não tinham acesso. Uma pequeníssima colaboração, frente ao excepcional trabalho feito por aqueles talentosíssimos artistas que criaram esta fantástica obra, que cativa, envolve, emociona!
      Muito obrigado pela mensagem enviada e pelas palavras carinhosas dedicadas à minha postagem.
      Um forte abraço pra você.

      • alemanha  Disse:

        Como disse, você ganhou um fã e junto meu profundo respeito, muito obrigado novamente.

  • bonito  Disse:

    ola amigo don costa boa postagem quando vc vai postar o grito de horror

    • Don Costa  Disse:

      Bom dia, Bonito!
      Atendendo á pedidos, passei o “Grito de Horror” na frente de outro filme na fila de remasterizações. Só não o lancei antes de “De Volta Para o Futuro”, porque este já estava com os uploads bem adiantados. Mas ele já foi remasterizado e está em fase final de montagem da postagem. Neste momento estou upando o arquivo maior.
      Durante a semana que vem o filme será postado aqui.
      Fique de olho na página inicial do Tela.
      Grande abraço.

  • rodolfoalbiero  Disse:

    Tenho um áudio melhorado do 3o filme, se quiser posso passar.

    • Don Costa  Disse:

      Boa tarde, Rodolfo.
      Por favor, passe-me sim. Isso vai facilitar o meu trabalho. Quanto mais opções eu tiver para trabalhar, melhor.
      A remasterização do segundo já está bem adiantada, mas os trabalhos com o terceiro ainda estão no início. Qualquer ajuda é muito bem vinda. Fique à vontade para enviar o link do áudio para meu e-mail.
      Muito obrigado pela colaboração.
      Grande e forte abraço.

  • mauro  Disse:

    olha a homenagem que fizeram a eles dia 21 de outubro que show

    • Don Costa  Disse:

      Cara, que coisa fantástica esta homenagem.
      É muito bom ver atores que não desprezam os próprios personagens, que são tão queridos pelos fãs. Muitos atores não suportam serem chamados pelos nomes dos personagens que os alçaram á fama (vide casos como os de Sean Connery – James Bond e de Matt LeBlanc -Joey de “Friends”, que quase agrediram pessoas que os chamaram pelos nomes dos personagens que interpretavam na época). Já outros adoram ser reconhecidos pelo público, justamente por estes personagens (como Barbara Éden, que até hoje responde gentilmente à todos os fãs que a abordam como Jeannie – do seriado Jeannie é um gênio).
      É incrível observar como eles se lembram dos trejeitos e da forma de atuação para interpretar os personagens, provando o enorme talento dos atores. Até a participação de Huey Lewis foi uma sacada muito legal, com direito à música ao vivo e tudo. Também chama a atenção os rostos reais dos atores, hoje mais velhos, se comparados com as maquilagens feitas nos filmes da trilogia para envelhecê-los. As imagens deles nos filmes ficaram muito parecidas com as imagens reais deles hoje, demonstrando o enorme talento dos profissionais maquiadores que trabalharam na produção.
      Ao mesmo tempo, é de cortar o coração ver Michael J. Fox sofrendo com o Mal de Parkinson. O esforço que o ator faz para minimizar os efeitos da doença no palco, tentando manter-se firme, deixando as mãos constantemente nos bolsos e evitando movimentos mais bruscos com a cabeça, me deixa muito triste.
      Resta torcer para que a medicina avance rápido o suficiente para curar esse mal em todas as pessoas que sofrem terrivelmente com a doença, inclusive no próprio ator, para que possamos vê-lo em plena atividade novamente, totalmente saudável e feliz. Ainda me vem à mente a imagem de Christopher Reeve preso á cadeira de rodas até a data de sua morte, não tendo a chance de cura à tempo de viver plenamente os seus últimos dias.
      Muito obrigado pela colaboração e pela mensagem, Mauro.
      Um grande abraço.

  • Uzumake Naruto  Disse:

    vai ter filme 2 e 3 em 1080p Dublagem Vesão Classica tambem ?

    • Don Costa  Disse:

      Como vai, Uzumake Naruto?
      Vai ter sim. Ambas estão em processo de remasterização para atingirem o mesmo grau de qualidade deste primeiro filme, e serão postadas nas próximas semanas. Não pude lançar toda a trilogia de uma só vez pois uma remasterização como essa leva muito tempo e os arquivos gerados são muito grandes. Então, achei melhor mandar os filmes separadamente, ganhando tempo para terminar os trabalhos em cada um dos outros dois filmes, além de poder ir upando os grandes arquivos aos poucos.
      Assim que for terminando as remasterizações eu vou postando.
      Fique de olho na página inicial do Tela.
      Muito obrigado seu pelo cometário.
      Abraços.

    • mauro  Disse:

      quero q pensem e facam de volta para futuro parte 4 e 5 seria bacana né se fizerem continuar a historia nao pode parar

      • Don Costa  Disse:

        Mauro, Me dá um calafrio sempre que alguém fala em fazer uma sequência de algum filme que eu considere favorito. Remake, então, é uma palavra que eu amaldiçoei desde que refizeram “Fúria de Titãs”. As sequências das trilogias de “Indiana Jones” e “Starwars”, duas das minhas favoritas, não chegaram nem perto de corresponder às minhas expectativas. Acredito que exista um período máximo de 5 anos entre o lançamento de um filme e o de sua sequência, sem que o tempo cause danos irreparáveis à produção. Há todo um contexto de tecnologia, linguagem, história e ambiente em que o filme original está inserido. Tudo isso muda muito com o passar dos anos. Inclusive o público muda. A franquia 007 sobrevive há mais de 50 anos porque nunca teve um grande período de tempo entre um lançamento e outro, mantendo o mesmo padrão de história e fazendo pequenas adaptações a cada filme produzido. Antes, o James Bond de Sean Connery fumava como uma chaminé, bebia feito um pau d’água, matava a sangue frio e tratava as mulheres como lixo (inclusive com violência física). Hoje, o Bond de Daniel Craig não fuma, bebe moderadamente, mata somente quando necessário e trata as mulheres com muito mais respeito. Mesmo mantendo o padrão de, costumeiramente, ficar com todas as mulheres que aparecem pela frente, ser absolutamente perito em tudo e sempre acabar com o vilão no final, duvido que, se as mudanças citadas acima fossem implantadas de uma só vez, o personagem seria aceito pelo público inicial.
        No caso dos remakes a coisa é ainda pior. Ou a produção pega o caminho de fazer exatamente o mesmo filme, mas com outros atores, diretores e mais tecnologia (que é o mesmo que pegarem aquela sua música favorita e gravarem com outro cantor e outros músicos), ou tenta fazer uma releitura, que, na prática, significa fazer um filme totalmente diferente utilizando o mesmo nome (que é o mesmo que pegar a sua música favorita e gravar com outro cantor, outro músico e num ritmo completamente diferente, além de mudarem a letra). Não tem como dar certo. Quando o resultado não é tenebroso ele é, no mínimo, esquecível. Procure “Robocop” no Google e você verá que o filme de 2014 aparece, praticamente, na mesma quantidade de vezes que o de 1987 nas páginas iniciais. E a tendência é que vá desaparecendo de vez até sumir. O filme sequer chegou perto do sucesso do original e, daqui há 30 anos, ninguém se lembrará mais dele, ao contrário do original que sempre é relançado em todas as mídias que que são criadas, e assim será nas próximas décadas, à exemplo de outras obras como “O Poderoso Chefão”, “Ben-Hur” ou “O Mágico de Oz”.
        Pela estrondosa repercussão do 30º aniversário de “De Volta Para o Futuro” em todas as mídias e nas redes sociais, essa trilogia também já atingiu este status de ícone do cinema” e, na minha opinião, deve permanecer intocada.
        A história, ainda na minha opinião, está perfeita. É como um único filme dividido em 3 partes que diverte, emociona e encanta. Seus personagens são marcantes, a direção é primorosa, a música é maravilhosa e tudo isso pode ficar manchado por uma continuação que não fique à altura da trilogia inicial. Pergunte à qualquer fanático pela trilogia inicial de “Guerra nas Estrelas” (eles se recusam à chamá-la de StarWars), daqueles que assistem aos filmes pelo menos duas vezes por ano, quantas vezes eles reviram os filmes da segunda trilogia iniciada em 1999. Alguns deles viram apenas uma vez e só.
        Deixemos Doc e Marty em paz no ano 1985 e os visitemos vez ou outra através desses maravilhosos filmes da trilogia, tendo a garantia de que, nem nós nem eles, ficaremos decepcionados com tais visitas.
        Mas esta é apenas a minha opinião, Mauro. É que, na minha idade, eu já não aceito novidades e mudanças com a mesma facilidade dos mais jovens. Preciso de um pouco de estabilidade para me manter mais confortável com o passar dos anos. Isso inclui manter os meus ícones intocados.
        Grande abraço.

  • Paulitas  Disse:

    Ja agradeci a vc mas lembrei de algumas curiosidades. Quando tinha um play 1, estava jogando Duke nuken e numa fase, qdo destrui uma parece aparece o Delorean e o meu personagem grita bem alto “Macflyyyyyyy”, cara ri demais nessa hora.
    Outra coisa que lembrei foi na serie Fringe(gosto tanto dela como Arquivo X) e num episodio tem uns caras chamados observadores que alem de algumas outras coisas viajam pelo tempo, nesse episodio eles tao em um universo alternativo, outra Terra, e eles tao assistindo um filme no cinema que é De Volta Para o Futuro onde o Macfly era o ator Eric Stoltz que começou as primeiras gravações mas no final quem fez o Mac fly foi o Michael J. Fox, muito legal afinal so os fans entenderam.
    Outra homenagem nessa serie foi ao ator Peter Weller, que fez o filme ROBOCOP, para ele atuar em um episodio onde um cara volta no tempo pra salvar a amada. Mas para nao morrer na viagem ele usa um dispositivo que faz ele voltar no tempo, que parece uma armadura, quase como se ele fosse um robô…assim como o ROBOCOP. Maravilhoso.

    • Don Costa  Disse:

      Pois é, Paulitas!
      A trilogia é tão icônica e seus personagens são tão marcantes que lhes permitem saltar entre as mídias e fazer participações totalmente fora de seu universo sem correrem o risco de alguém não entender a piada. Afinal, todo mundo já ouviu falar de “De Volta Para o Futuro” e seu DeLorean – máquina do tempo, tenham ou não assistido à trilogia. O mesmo vale para o “Robocop” de 1987. Já não posso dizer o mesmo do “Robocop” de 2014.
      Abraços.

  • Nanico  Disse:

    Don este era o post seu que eu mais aguardava ! Portanto não tenho nem o que agradecer .

    Já que voce vai upar toda a trilogia , uma duvida voce pretende upar o 3 com uma dublagem rara Delart fora a clássica BKS?

    • Don Costa  Disse:

      Muito boa tarde Nanico.
      Sinto muito pela demora nesta postagem, anteriormente prevista para Junho, mas as remasterizações se mostraram muito mais difíceis e trabalhosas do que eu julguei no início. E eu queria muito que o áudio ficasse, se não perfeito, pelo menos com uma excelente qualidade, para fazer jus ao aniversário da trilogia. Foram semanas e semanas de trabalho apenas no áudio BKS, que eu intercalava com trabalhos em outras remasterizações. Mas valeu à pena. Acredito que o resultado tenha ficado muito bom, levando-se em conta, claro, o estado inicial da fonte do áudio. Mas quero lembrar que sou um remasterizador amador, utilizando programas e equipamentos amadores. Portanto, comparado com o perfeito áudio original inglês, o resultando desta remasterização BKS é, no máximo, aceitável, mas agradará à maioria.
      Com relação á parte 3, confirmo que será um tetra-áudio com as três dublagens, BKS (clássica), Double Sound (redublagem) e Delart (avião), além do áudio original inglês. Estou trabalhando para deixar as dublagens BKS e Delart com uma qualidade semelhante à da Double Sound. Trabalho dobrado na parte 3.
      Agradeço por comentar.
      Forte abraço.

  • Uzumake Naruto  Disse:

    Don Costa :

    Poderia trazer A Trilogia em Qualidade Suprema.
    Arquvios Impecaveisde 14 GB cada Filmes…

    Aqui tem eles em qualiddae suprema :

    http://compartilhando.net/trilogia-de-volta-para-o-futuro-back-to-the-future-trilogy-blu-ray-1080p-dual-audio-legenda-link-unico/

    vc tem como fazer o RMZ em Cima destes arquivos são 32 Gb total

    essa Reliquia merec qualiddae Maxima

    OBS : seu RMZS está Incrivél Cara vc se garante demais parabens.

    porfavor traz na qualidade Maxima.

    • Don Costa  Disse:

      Uzumake, eu pretendia postar este filme com o remux que eu tenho aqui, com quase 30GB e uma bitragem variável que atinge 40.000kbps. Seriam 3 opções de arquivos para baixar: 2,13GB, 12GB e 30GB em cada filme, mas, após fazer algumas contas, fui obrigado a desistir.
      Infelizmente eu tenho um enorme gargalo aqui, chamado “Speedy Lerdo Dukassêti”, que me impede de fazer isso. Minha internet tem só 1MB, o que limita a velocidade de meus uploads à 35kbps. Upar os arquivos que eu pretendia levaria semanas e, atualmente, eu tenho mais de vinte remasterizações na fila para upar (recebo novos áudios raros toda semana), sem contar quase trezentos episódios de duas séries em que estou trabalhando (“Batman” e “Além da Imaginação”). Meu computador já fica, praticamente, 24 horas por dia ligado, upando e baixando esses arquivos gigantes, já que, com raras exceções, eu só trabalho com vídeos em alta definição como base. Portanto, eu simplesmente não tenho condições técnicas de upar esses arquivos gigantes, pois atrasaria todas as outras remasterizações por meses, num efeito cascata.
      Mas há uma saída simples para isso, nesta trilogia em particular. Em todos os releases que encontrei destes filmes na internet, sejam eles DVDs ou Blurays, eles pareciam ter a mesma estrutura de exibição, ou seja, sem vinhetas ou trailers além do da própria Universal. Isso quer dizer que o sincronismo entre o áudio e vídeo desta remasterização, provavelmente, vale para todos os outros releases. Portanto, você mesmo pode criar o seu próprio bluray anexando os áudios desta postagem em um remux com uma qualidade de vídeo bem superior. Basta baixar este vídeo de 14Gb você mesmo, pegar o arquivo menor daqui (os áudios tem a mesmíssima qualidade dos áudios do arquivo maior) e utilizar um programa bem simples chamado MKVMerge, que anexará esses áudios daqui com o vídeo de lá. O programa até permite correções de sincronia, desde que não variem ao longo do filme.
      Depois você pode, até, compartilhar o resultado aqui com a gente. Isso vale para qualquer um que tenha internet rápida e que queira colaborar com uma opção de qualidade máxima desta obra prima do cinema. Fiquem totalmente à vontade para utilizarem as remasterizações daqui em futuras postagens. Ficaria muito feliz em ver mais esta opção aqui no Tela, onde todos poderiam apreciar este filme com a mesma qualidade que eu vejo aqui com meu remux, e que minha única opção de conexão me impede de compartilhar.
      Muito obrigado pelo comentário e pela sugestão.
      Uma grande abraço pra você.

  • MARCOS F.  Disse:

    AMIGÃO DON, FINALMENTE DEI O START AQUI NO DOWN DA VERSÃO MAIOR E PROVAVELMENTE ASSISTO HOJE ESTE MAGNÍFICO TRABALHO, MAS JÁ DEI UMA CONFERIDA NA AMOSTRA E SEI O QUE LOGO TEREI NAS MÃOS!!! hehehehe
    PARABÉNS PELA REMASTER, OBRIGADAÇO PELO PRESENTE E GRANDE ABRAÇO CARO AMIGO!!!

    • Don Costa  Disse:

      Grande Marcos!!!
      Este é um daqueles projetos que levam muito tempo e que são feitos bem devagar, pois são muito trabalhosos. Antes de tentar criar este BKS 5,1 aqui, eu me aventurei em um mais simples que foi o “1492 – A Conquista do Paraíso”, onde o áudio base 5.1 alemão praticamente não tinha diálogos fora do canal central. Então me concentrei em aprender como colocar a dublagem brasileira naquele áudio e aplicar este aprendizado ao longo daquela remasterização. Também tinha o fato do áudio enviado pelo Johnahex estar em muito boas condições. Aqui a coisa foi mais complicada, Havia muito mais trechos em inglês para editar e muito mais trechos em português para consertar, deixando o projeto bem mais trabalhoso.
      Porém, todo este trabalho serviu para aprimorar o meu conhecimento sobre os programas utilizados e sobre os próprios arquivos que servem de base. É aquela história do aprendizado na prática.
      Teoricamente, enquanto aprendo, as remasterizações vão ficando menos trabalhosas e tendo uma melhor qualidade.
      Espero que esta aqui corresponda às expectativas de todos.
      Muito obrigado por prestigiar mais este meu trabalho.
      Forte abraço, amigo.

  • Uzumake Naruto  Disse:

    eu sei faze isso no Mkv merge……então vou baixar os arquivos de 14 gb…1080p colocar os audios Classicos seu..

    pensei que a sincronia não podesse dar certo….poderia ter muitos cortes pequenos no audio…como vc diz que da certo voutentar…

    pensava que vc tinha NET rapida..de 35 mb ou 20 oou 15 ……mais 1 mb pensava que nem existia mais net de 1 mg.um cara como vc merecia net GVT de 35 MB.

    abraços grande amigo

    • jefspfc  Disse:

      1 de up né. net dele deve ser de 15

      eh chato isso o bom seria caras desse naipe ter 100 mega de up.
      ou se unirmos e pagar uma rdp de 1gbps e adiem dele outros que fazem edit poderiam usar. upar só os audio editados, com digamos 300mb e não 3gb ou 1gb

      eu sei de um ótimo por 20 dólares pode até fazer encode (10 dólar não pode encode somente pode download e upload )

      • Don Costa  Disse:

        Amigo jefspfc!
        Eu sei que pode parecer absurdo nos dias de hoje, mas o meu speedy é de, realmente, 1 mega, o que me garante uma velocidade máxima de download de 125kbps e uma velocidade máxima de upload de 35kbps.
        Para exemplificar: O tempo que eu gasto para upar uma única parte de um único episódio do “Batman” tamanho maior (cada episódio é dividido em 3 partes de, aproximadamente, 300MB) eu levo 2h30m. Neste mesmo tempo, eu consigo baixar as 3 partes deste episódio. Em outro exemplo, apenas para upar todo o arquivo maior de “De Volta Para o Futuro” eu levei quase 50 horas (mais de 2 dias), com o computador ligado 24 horas por dia. Isso sem contar as quedas de energia e as falhas constantes de conexão, pois foram várias as vezes em que deixei o computador baixando ou upando durante a madrugada, apenas para acordar pela manhã e verificar que nenhum arquivo foi baixado ou upado, devido à uma queda de energia ou conexão durante a noite (muito comuns nas chuvas de verão com rajadas de vento).
        Muitos estranham quando eu digo que levei meses para concluir esta postagem, quando digo que estou trabalhando em “Batman” desde o começo do ano e só comecei a postar agora, ou quando informo que estou remasterizando “Além da Imaginação”, mas até agora não postei um único episódio. Acontece que somente os dois seriados juntos consumirão mais de 400GB de downloads e outros 300GB de uploads. Literalmente, meses transferindo dados 24 horas por dia.
        Essa internet lenta tem um outro problema. Se eu tentar baixar e upar ao mesmo tempo, os dados ficarão corrompidos. Então eu baixo os arquivos durante o dia, período em que eu também fico trabalhando nas pesquisas sobre as obras, procurando os melhores releases para usar como base e remasterizando os arquivos, e deixo o computador ligado durante a madrugada fazendo os uploads. Trabalhando desta forma eu consigo, no máximo, enviar uma postagem por semana.
        O que acontece aqui na região onde moro, é que a antiga Telefônica (hoje, VIvo S.A.) tinha um monopólio que impedia a chegada de outras empresas concorrentes, e ela não tinha motivos para melhorar o seu péssimo serviço. Mesmo com a recente abertura da concorrência, toda a briga das operadoras pela clientela ficou restrita, neste primeiro momento, às regiões centrais de São paulo, densamente povoadas e mais lucrativas, relegando as regiões mais afastadas do centro, especialmente na grande São Paulo, para um segundo plano. Na região onde moro não está disponível nenhuma opção de velocidade acima de 1Mega, pois os antigos cabos ainda utilizados pela Vivo não comportam velocidades superiores e devem ser trocados por fibra óptica, coisa que não tem prazo para acontecer, e não acontecerá antes que toda a área central da capital tenha todo o seu cabeamento substituído, com cada operadora brigando pelo seu filão. Só depois disso eles começarão a trabalhar nas áreas periféricas do Grande ABC. Eu ainda tenho sorte. Há áreas nas cidades de São Bernardo, Santo André e Diadema que sequer tem internet fixa, pois o péssimo estado do cabeamento mal consegue suportar as ligações telefônicas comuns.
        Mas não se preocupem comigo. Já me adaptei á este sistema e utilizo o tempo em que o arquivo está upando para aprimorar ainda mais a postagem como um todo, colocando mais extras e informações. Nesta postagem aqui, por exemplo, enquanto eu baixava os grandes remuxes da trilogia eu encontrei o game do filme, já legendado, com os cinco capítulos e, ainda por cima, portable. E enquanto eu upava os arquivos, dei uma última pesquisada e achei a Trilha Sonora lançada pela gravadora Intrada. Assim, a demora em baixar e upar os arquivos, indiretamente, deixou a postagem ainda mais completa.
        Hoje, como adaptei toda a rotina desse meu hobby em função das limitações técnicas, uma internet mais rápida faria, apenas, com que eu não deixasse mais o computador ligado 24 horas, mas não, necessariamente, aumentaria a minha produtividade enviando mais postagens, pois aí o gargalo ficaria na parte de remasterizações e montagem das postagens em si, uma vez que criei um padrão onde cada nova postagem é como um bluray virtual, com muitos extras e algumas curiosidades na forma de encarte.
        No fim das contas, se pensarmos bem, minhas postagens são tão completas, justamente porque a minha internet é lenta. Se ela fosse rápida desde o início das minhas colaborações com o Tela, talvez o meu padrão seria o de enviar somente os filmes e nada mais.
        Agradeço ao amigo pela atenção e pelas palavras de apoio.
        Grande e forte abraço.

        • Edfilmes  Disse:

          Poxa Don… lendo todo esse relato que escreveste aqui, me sinto até que meio envergonhado diante desses fatos. Digo isso pois mesmo eu tendo atualmente 25 MB, o que dá em torno de 2600-2800 kbps de down e 280-300 kbps de up (no caso em relação aos picos que dá essa variação), então fico naquela de querer mais e mais (50 MB, 60 MB e por diante…). Por outro lado entendo perfeitamente suas dificuldades, já tive internet de 1 MB e lembro que sofria bastante também. Enfim, tudo começou por volta de 2005 quando eu comprei meu primeiro PC e tive que procurar algum meio para discolar internet para o mesmo, nessa época como você mesmo deve lembrar, era bastante comum conexões via rádio ou então as velocidades que tinham nessa época era 300 e 600 kbps (pelo menos onde eu moro aqui em SSA, era assim). Nessa procura de achar algum meio de colocar internet em casa (já que por meio oficiais nunca conseguia, sempre que ligava pedindo os mesmos diziam que não tinham disponibilidade (no caso a OI), então peguei aquele mesmo bonde que a galera pega hoje em dia, que é pegar a net do vizinho. Lembro que eram 8 pessoas pegando net com ele, e de falar que o mesmo possuia apenas 1 MB, imagine que inferno era todos os 8 acessando, nem precisa comentar mais nada não é? Rsrsrsrs…

          Para completar mais ainda, o mesmo morava aqui na capital e trabalhava no interior e passava muito tempo fora, aí quando a net caia e o mesmo estava fora, ficavamos sem net até o dito cujo voltar. Já revoltado com essa situção e aliando a sorte que caiu da OI me ligar oferecendo 1 MB, então pulei fora dele e peguei esse 1 MB que OI me ofereceu. De primeiro momento mesmo sendo apenas 1MB também, tinha bastante diferença pois era apenas eu que acessava, no caso quando estava na rede dele eram 8 pessoas, mas mesmo assim eu sofria o mesmo que você passa hoje em dia, pois era uma velocidade limitada para o que eu queria fazer. Assim como no local que você reside, a OI mandava e desmandava em tudo por aqui, a mesma herdou as instalações sucateadas da antiga “Telemar” e que essa última tinha herdado os lixos de intalações da antiga “TELEBAHIA”. Não tinha sequer qualquer estrutura para fornecer uma net de qualidade, então fiquei de 2005 até final de 2009 para 2010 com essa mesma velocidade, aí a OI me ligou oferecendo 5 MB… Meu DEUS!!! Será que eu estava sonhando? ZZZZZZZZZZZZZZZZZ…. rsrsrsrsrsrs….

          Pois bem, peguei com a duas mãos, a OI liberou a dita velocidade e eu parecia pinto no lixo rsrsrsrs… o impacto de 1 MB para 5MB para mim foi muito grande. Os Downs beirava os 650 kbps, apenas o up que era limitado ainda (50 kbps), mas baixava as coisas que eu queria com uma melhor folga (lembrando que net lenta principalmente para a gente que remasterizamos, causa um grande desgaste em nossos PCs), pois o mesmo fica ligado muito além da conta. Lembro que assim igualmente a você, deixava o PC upando os arquivos pela madruga e quando ia olhar pela manhã… estava lá… todos ups tinham caido, não tinha upado nada, então deixava o mesmo ligado ainda para tentar upar esses mesmos arquivos que tinha falhado. Nessa brincadeira cheguei a perder uma fonte do PC, pois a validade da mesma e baseada em horas de trabalho e como PC ficava ligado direto, a vida útil da mesma diminuia bastante. Então uma net de maior velocidade não nos beneficia apenas na velocidade de up e down, mas também na conta de energia e na vida útil dos PC (pois não trabalhará tanto quanto antes).

          Pois bem, depois de tudo isso (por volta de 2013) a OI me ofereceu 10 MB, não era o que eu queria ainda, mas eu peguei. Nesse meio tempo a GVT (minha atual operadora) chegou aqui na cidade, mas ainda cobria bem poucos bairros, então a OI começava a ser ameaçada e desde então adotou uma artimanha suja, no caso de alguma forma na justiça ela conseguiu que a GVT não operasse nos bairros que ela cobria (e isso era cerca 70% da cidade). Nesse meio tempo ficavamos sonhando em que dia a “SUPER BANDA LARGA” com “ULTRA VELOCIDADES” nos salvaria das garras da OI. Pois bem, esse dia chegou! No começo desse ano quando eu vi os caras da GVT cabeando o bairro e a rua onde moro, ai falei: Seus dias estão contados dona OI! A GVT me ligou oferecendo 25 MB (minha atual velocidade) e nem pestanejei, cancelei a OI no ato, a mesma ainda tentou dificultar o cancelamento (como era de se esperar), me oferecendo ainda muitas vantagens e tals, porém não mudei a minha decisão.

          Então quando eu disse lá no começo do comentário que “me sentia envergonhado”, era referente que a GVT vai disponibilizar novas velocidades para essa região que eu resido, então mesmo eu tendo essa velocidade atual, pareço sempre querer mais e mais, levando em conta as suas dificuldades em relação a velocidade de banda, me sinto envergonhado sim! Então Don o segredo de tudo é concorrência, não moro em São Paulo mas vocês passam pelo mesmo problema que agente passava aqui, que é ter uma única empresa dententora de tais serviços por muito tempo, assim que surgiu uma nova empresa prestando melhores serviços, a coisa mudou de vez. Recentemente a OI me ligou me oferecendo os mesmos 25 MB da GVT, apenas daí já dá para ver como as coisas mudaram, então acredito que com a expansão das novas operadoras por aí, possa aquecer esse mercado a favor de vocês.

          Em relação as suas postagens serem bem detalhadas, acredito que isso seja uma coisa sua mesmo, a maneira como as mesmas são tratadas não é de uma pessoa que faz apenas para encher o post e sim de uma pessoa que tem paixão pelo que faz e quer compartilhar isso conosco, levando em conta ainda o “Don” da coisa. Eu por exemplo hoje em dia, não tenho o tempo tão a favor quanto eu tive outrora, tenho uma net de boa velocidade, mas não faço isso que você faz em suas postagens (que por sinal virou uma marca registrada sua), não é apenas questão ter ou não tempo, mas sim ter o “Don” da paciência de pesquisar tais informações, buscar extras, elaborar as imagens lincadas com cada informação, fazendo assim que tenhamos todo um entedimento extra de tal obra.

          Então Don, mesmo não sendo um comentarista tão presente (o que deveria ser, mas pela correria diária não sou), vim aqui relatar meu dilema com a velocidade de internet que passei, pois ao ler seu comentário me fez parar e pensar que pedimos mais e mais enquanto já somos felizes com o que temos. Quero aqui lhe parabenizar não por esse post em si apenas, mas por todo esse trabalho que tem feito puramente com a alma e por amor a arte, realmente seu nick define que você tem o “Don” da coisa. Um grande abraço amigo!

          • Don Costa  Disse:

            Ed, você não tem o porquê de se envergonhar ao querer sempre mais e melhor. É justamente assim que a humanidade evolui. Nós temos é que continuar exigindo sempre produtos e serviços melhores, em todos os sentidos. O povo brasileiro ainda não está habituado a ser exigente e muitos ainda esperam as coisas caírem do céu. Uma vez eu cheguei a propor um abaixo assinado na associação de moradores do bairro para exigir da Vivo a instalação dos tais cabos de fibra optica, mas as respostas que a administração recebeu da maioria dos moradores foi “Eu não uso internet”, ou “Para mim a que existe já está boa”, ou ainda “Eu não tenho telefone fixo, uso o celular e tudo o que eu preciso baixar da internet já é coberto pelo meu plano”. Ou seja, é aquela política de só se mexer em causa própria, deixando a comunidade de lado. Se está bom para mim, basta. Se uma mudança no meu bairro não me traz nenhuma vantagem, mesmo que melhore a vida do meu vizinho, eu não tenho o porquê brigar por ela. Mas se uma mudança no meu bairro é vantajosa para mim, mesmo que prejudique o meu vizinho, ele que se dane. E isso funciona assim, também, nacionalmente. Se eu sou de esquerda ou de direita (de centro, na prática, não existe ninguém) e a criação de uma determinada lei vai de encontro à minha doutrina ideológica, mesmo que prejudique a maioria da população, eu a defendo com unhas e dentes. Mas se é algo que não me traz nenhum benefício, mesmo que ajude a maioria, não levanto um dedo para apoiar, ou simplesmente sou contra.
            Por estas e outras que eu admiro o senso de cidadania do povo americano, que estão sempre bradando que são “pagadores de impostos” e que “exigem os seus direitos”, embora tenham defeitos graves como forte racismo, xenofobia e a mania de se meter na vida dos outros países, impondo o seu próprio estilo de vida. Também acho muio interessante o senso de comunidade de países como o Japão, onde o coletivo é fortemente levado em consideração, deixando o individual em segundo plano.
            Quem dera o Brasil alcance, algum dia, estas boas qualidades destes povos mais evoluídos. Mas apenas as qualidades, por favor.
            Até lá, enquanto prevalecer a “Lei de Gerson” (_O que interessa é levar vantagem em tudo, certo?), a população, cega, vai continuar sendo explorada por governos corruptos (desde a época do império) e por essas empresas que prestam um péssimo serviço cobrando um preço absurdo.
            Continuemos fazendo a nossa parte. Continue exigindo 50MB, 80MB, 100MB e o que mais aparecer por aí, enquanto, aqui, eu encho o saco da Vivo, quinzenalmente, com e-mails e telefonemas pedindo mais velocidade.
            Quanto mais exigentes formos, melhores serão os governos e empresas.
            Obrigado pelas palavras referentes ao meu trabalho.
            Grande e forte abraço.

    • Don Costa  Disse:

      Oi, amigo Uzumake.
      Todos os pequenos cortes e falhas que haviam no áudio foram consertados durante a remasterização, assim como a sincronia ao longo do filme.Portanto, este áudio se encaixará perfeitamente em qualquer vídeo que tenha 23.976 FPS. Todo bluray que eu ví até hoje trabalha com esta taxa de FPS. Então, este áudio se encaixará em qualquer vídeo em alta definição. Provavelmente ele não necessitará de nenhum ajuste, mas, se o vídeo que você baixar tiver qualquer vinheta ou trailer extra na abertura, basta ajustar um delay nos áudios para compensar este tempo extra no início. Uma vez que o início estiver perfeitamente sincronizado, todo o restante do áudio também estará. Mas, como eu disse antes, eu verifiquei vários releases HD antes de escolher o que está na postagem e todos eles mostraram a mesma estrutura de exibição. Logo, a menos que esse vídeo que você baixar seja uma grande exceção, nenhum ajuste será necessário.
      Abração.

  • jefspfc  Disse:

    Don: tenho esses 2 release no 1fichier link parte única se quiserem colocar no post me peça ok? abraços

    • Don Costa  Disse:

      jefspfc, quanto mais opções de links tivermos, melhor. Até porque o Mega, por exemplo, não está mais tão estável como antigamente. Por favor, envie os links para o Wagner S., que é o responsável pela postagem, que ele os adicionará.
      Muito obrigado pela colaboração.
      Abraços.

  • Nanico  Disse:

    Don sei que estou perguntando de novo ! Mas voce pretende upar as cenas deletadas da Trilogia BTTF ?

    Abraço

    • Don Costa  Disse:

      Boa tarde Nanico!
      Esqueci de colocar as informações referentes ao Making Of disponível na postagem. Nele temos a primeira parte do Making Of, algumas cenas deletadas, alguns erros de gravação, assim como o trailer original e uma curta edição com o teste de elenco. Eu tenho um material extra muito mais extenso aqui comigo, mas ele está em inglês e não está legendado. O que eu mandei no arquivo foi o pouco que eu consegui legendar, mas é uma tarefa muito trabalhosa e consome muito tempo. Então, se alguém quiser legendar este material extra para disponibilizá-lo aos amigos do site, é só avisar que eu envio. Se quiserem, também posso disponibilizar todo esse material aqui, mas sem legendas.
      Abraços.

  • FX  Disse:

    Dom espero que um dia o amigo tenha 100 MB,você merece falar do seu trabalho é muito mais do que qualidade…semana passada o programa Auto Esporte passou a matéria do Empresário demorou dois anos para deixar carro como ‘máquina do tempo’.
    Modelo 1981 foi importado em 2011 após compra pela internet confere ai. http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2015/10/g1-pega-carona-em-delorean-igual-ao-do-filme-de-volta-para-o-futuro-em-sp.html

    • Don Costa  Disse:

      Como vai, FX?
      Essa matéria do Auto Esporte ilustra bem a paixão que os filmes despertam em seus fãs. que são capazes de verdadeiras loucuras despendendo muito tempo e dinheiro em nome desta paixão. Isso não é muito diferente dos trabalhos feitos pelos remasterizadores e restauradores amadores do Tela e de vários outros sites dedicados à remasterização e restauração destas obras para compartilhamento gratuito. Se por um lado não há gasto monetário para este hobby, por outro, o tempo gasto em cada um destes trabalhos é considerável. Aqui sim nós podemos dizer, orgulhosamente, que é tudo em nome da arte.
      Muito obrigado pela mensagem.
      Grande e forte abraço.

  • Luciano  Disse:

    Mais um trabalho impecável do Don Costa.. Obrigado por compartilhar… Sem duvidas,a Redublagem da Doublesound ficou muito melhor.. Eu respeito a dublagem BKS,mas prefiro a redublagem.. É uma trilogia incansável de assistir..!!

    • Don Costa  Disse:

      Boa noite, Luciano.
      Seu comentário é muito interessante, pois a maioria prefere a dublagem original da BKS. Isso vai de encontro ao que já expus aqui respondendo à um comentário em outra postagem. Fui, questionado por um visitante, sobre o motivo pelo qual eu colocava várias dublagens e até legendas, o que ele considerava ítens desnecessários e que só ocupavam espaço no arquivo. Respondi que, apesar de a maioria gostar de determinada dublagem e não ligar para legendas, o meu objetivo sempre foi atender á todos os fãs do filme e não apenas a maioria. Alguns preferem a redublagem e estes também merecem ter acesso á estas opções. O mesmo vale para os que tem alguma necessidade especial. Por exemplo: como um deficiente auditivo faria para assistir ao filme sem as legendas?
      Mesmo as legendas em inglês tem a sua razão de existir no arquivo. Elas contemplam, por exemplo, aquele estudante de inglês que quer acompanhar as legendas ao mesmo tempo em que ouve a pronuncia correta ditada pelo ator.
      Enfim, comentários como o seu me deixam ainda mais à vontade para continuar postando os arquivos da maneira mais completa possível, com dublagens, legendas e, pelo menos, duas opções de tamanho.
      Agradeço-lhe muito pelo seu comentário.
      Um grande abraço pra você.
      .

  • elcioch  Disse:

    Cara tu devias trabalhar em alguma distribuidora de bluray aqui no Brasil.
    Só assim teríamos DVD etc de alto nível.
    Hoje tava pensando na besteiras que se encontra de alguns filmes e seriados antigos.
    Os filmes novinhos que saíram do forno são os que dão menos dor de cabeça.
    mas ainda tem aqueles saudosos que acabamos pegando obra pela metade e fora de ordem.
    Isso me explode a cabeça como uma bomba atômica! hehe
    Pena que a grana da gente é curta e tudo no Brasil é tão caro.
    que sacanagem Sean Connery não curte ser chamado de James Bond?
    Poxa! mas tem aquele fan quem na hora dá um branco na cabeça ou é de outro pais, não lembra do nome, mas tem aquela lembrança querida do personagem e dai sai fácil. olha é James Bond! haha é bom saber! assim aviso o cara pra sair correndo depois.

    • Don Costa  Disse:

      O desrespeito com o consumidor brasileiro é geral, Elcioch. Na área de entretenimento ele não é diferente do que acontece nas outras áreas. O Procon vive atolado de serviço, e sites como o “Reclame Aqui” recebem milhares de reclamações todos os dias. Mas essa situação só muda se continuarmos reclamando e exigindo melhorias. Por exemplo, o mínimo que podemos esperar de uma distribuidora de filmes que adquire os direitos de distribuição de um determinado seriado é que ela saiba a ordem dos episódios. Até porque essa não é uma informação guardada à sete chaves, podendo ser obtida em qualquer site de fãs da obra.
      O caso mais lembrado com Sean Connery aconteceu após o lançamento de “007 Contra a Chantagem Atômica” (1965). O sucesso dos filmes anteriores foi muito maior que o previsto pelos estúdios e todos sabiam que grande parte desse sucesso se devia à presença do ator no papel principal. Os produtores, então, fizeram de tudo para explorar ao máximo a imagem do ator e vinculá-la ainda mais ao personagem. Quando este filme, o quarto filme da série, estava para ser lançado, a publicidade cinematográfica da época aboliu o tradicional “Sean Connery as James Bond” (Sean Connery como James Bond) por um inédito “Sean Connery Is James Bond” (Sean Connery é James Bond). Connery se irritou com isso, pois ele já tinha uma pequena carreira no cinema e na TV e queria seguir com ela após o término do seu contrato com o estúdio. Todo ator sabe que é difícil se desligar de um personagem muito popular na sequência da carreira. A gota d’água foi quando ele estava de férias, após o lançamento do filme, e um repórter o chamou de “Sr. Bond” em uma entrevista para a rádio local, ainda na chegada ao aeroporto. Precisou ser contido pela esposa e alguns amigos que estavam junto. Esse não foi um caso isolado, mas, com sólida carreira que construiu ao longo dos anos, assim como a experiência e a vivência que chegam com a idade, as explosões públicas foram desaparecendo. Nunca mais vi notícias deste tipo vindas dele nas últimas três décadas. Talvez ele não se incomode mais com isso, ou, talvez ele se incomode, mas sem tornar esse sentimento público.
      Ou ainda, talvez ninguém mais tenha tocado neste assunto com ele. Afinal, não é saudável provocar um ex-fisiculturista com quase 1,90 de altura, mesmo aos 85 anos de idade.
      Obrigado pelo comentário em minha postagem.
      Um grande abraço pra você.

  • Flaviano  Disse:

    to com problema de baixar a parte 14 via na página na internet ou Jdownloader 2. Vou deixando até que possa voltar.ps: deixei no jdown. faz uma semana e nada

    • Don Costa  Disse:

      Obrigado pelo aviso, Flaviano!
      Estarei monitorando nos próximos dois dias pelo JDownloader2.
      Verifique se esta é a versão do JDownloader que está usando. A versão 1 não está mais recebendo atualizações. Já a versão 2 deixou de ser Beta e está plenamente funcional.
      Caso o link em questão não volte a funcionar neste período, eu reuparei a parte 14 novamente, pois ainda tenho os arquivos originais aqui comigo.
      E não se preocupe. Caso eu reupe a parte 14, você não precisará baixar todas as outras partes novamente, uma vez que elas serão totalmente compatíveis com essa nova parte.
      Por favor, avise-nos assim que conseguir baixar esta parte.
      Abraços.

  • Flaviano  Disse:

    Obrigado. mas acho que é o próprio mega, pq também a a parte 15 e 20 do retorno e Jedi restaurada também tá com esse problema e alguns anime que baixei em outro site. mas valeu pela atenção, vou esperar ver se baixa.

  • Flaviano  Disse:

    Obrigado Dom pela atenção, já conseguir baixar, agora posso nesse fim de semana aproveitar as melhores trilogias em alta definição: de volta para o futuro e Guerra nas estrelas( sim eu ainda nomeio assim desde sessão da tarde) e de brinde dublagem clássica! a propósito eu também to tá na guerra com a vivo Speedy desde 6 anos.Depois de 3 anos me deram 2 megas na birra,sendo que to tentando 4 megas( meus vizinhos com linhas novas já possuam).Anatel, Procon, exercito e nada ,sempre com as mesma desculpa:minha região só permitem 25 megas(se lembra dos vizinhos?eles podem ter a qualquer hora),tem que esperar alguém cancelar(que exemplo de serviço para os clientes) e minha favorita ligar quinzenalmente para atualizarem minha porta.

    • Don Costa  Disse:

      Que bom que conseguiu, Flaviano!
      E obrigado por informar o sucesso no download.
      Com relação ao Speedy, aqui no Brasil não tem jeito. A norma é o desrespeito com o cliente. Culpa nossa que elegemos políticos incompetentes que, ao invés de criarem leis para beneficiar a população, exigindo produtos e serviços de qualidade, passam o mandato inteiro brigando entre eles para tentar alcançar o maior poder possível. E nós sabemos muito bem o porquê eles brigam tanto por estes cargos.
      Vamos ver como as novas gerações se saem neste ponto, porque esta aqui já pode ser considerada uma perda total.
      Abraços.

  • rodolfoalbiero  Disse:

    RMZ maravilhosa. Melhor filme de todos os tempos! Melhor dublagem! Parabéns infinitos pelo trabalho

    • Don Costa  Disse:

      O filme é simplesmente fantástico, Rodolfo.
      E ele não poderia continuar sem ter a dublagem clássica em seis canais. O trabalho foi grande, mas o resultado valeu a pena.
      Muito obrigado pelo comentário.
      Grande abraço.

  • Uzumake Naruto  Disse:

    cara que lindo.

    vc tem como fazer a Trilogia Jurrasic park Classico com as Dublagens Classicas 1080p arquivos de 5 GB.

    • Don Costa  Disse:

      Como vai, amigo Uzumake?
      Devido à um problema que tive tempos atrás, estou com restrições médicas para executar uma série de tarefas, incluindo o uso prolongado do computador, o que me limitou à apenas duas horas diárias. Projetos de trilogias ou séries, da maneira como eu faço, levam meses com uma média de 4 horas diárias. Com as minhas limitações tais projetos passarão a levar anos. Então eu estou deixando esses projetos gigantes para os marujos mais jovens e me dedicando exclusivamente à filmes separados, que consomem também bastante tempo, mas que podem ser postados em um grande intervalo de tempo sem causar uma grande ansiedade nos fãs. A trilogia “De Volta Para o Futuro” foi a última que eu fiz nestes moldes. E veja que, mesmo começando a trabalhar nela em 2014, o primeiro filme foi postado em outubro de 2015 e o último somente agora em março. E tive de correr para deixar ele pronto.
      Mas não se preocupe. Deixe o seu pedido na área de “Pedidos” do site, e eu tenho a certeza de que algum remasterizador executará o projeto. Isso se ele já não estiver sendo executado por alguém.
      Muito obrigado pelo seu comentário.
      Um grande abraço pra você.

  • guga  Disse:

    Tem como reupar os arquivos menores ? Algum vagabundo já tratou de denunciar !

    • MARCOS F.  Disse:

      GUGA, O PCLOU ESTÁ OK, BASTA COPIAR PRA UMA CONTA TUA. FOI O QUE FIZ E LOGO CONFIRO O TRABALHO DO AMIGO DON.

      DON, DESTA VEZ VOU NA VERSÃO MENOR PORQUE TO COM POUCO ESPAÇO AQUI CARO MARUJO IRMÃO, MAS ASSIM QUE DER, CERTAMENTE, BAIXAREI A VERSÃO PRA COLEÇÃO, OBRIGADAÇO!!!

      GRANDE ABRAÇO AOS AMIGOS!

      EM TEMPO:
      DON, AGORA ME DEI CONTA QUE JÁ TENHO A VERSÃO MAIOR AQUI E QUE JÁ CONFERI ESTE TEU BELO TRABALHO! kkkk
      DEVE SER QUE ESTOU CADUCANDO MESMO…, MAS DE QUALQUER FORMA GUARDO AS 2 VERSÕES E SE PRECISAREM “TÁ NA MÃO”, NOVAMENTE OBRIGADO E ABRAÇOS!

      • Don Costa  Disse:

        Grande amigo Marcos!
        Na verdade, esta postagem originalmente foi lançada em outubro, e a Parte 2 em novembro. Eu aproveitei o lançamento da Parte 3, esta sim inédita, para atualizar as duas postagens anteriores com mais material extra e lançar tudo junto.
        Agora a coleção está completa.
        Boa sessão, amigo, e um grande abraço.

    • Don Costa  Disse:

      Olá Guga.
      É como o Marcos informou. O Pcloud está on line, mas ele tem limitação de tráfego para quem não é cadastrado. É só criar uma conta, transferir os arquivos para ela e baixar normalmente.
      Mesmo assim, eu consegui atualizar o link do GDrive. Inicialmente estes arquivos estavam postados no Copy, que vai descontinuar o serviço em Junho. Então eu transferi os arquivos para uma conta diferente do Gdrive, pois eu tinha me esquecido de que já existia um link para estes arquivos neste servidor. Assim,, eu só precisei trocar o link antigo pelo novo, sem precisar reupar.
      Os links são intercambiáveis e todos etão on line. Pelo menos por enquanto.
      Obrigado pelo comentário e pelo aviso.
      Grande abraço.

  • Buzao  Disse:

    O que poderia dizer que já não foi dito.
    Exibido…..Simplesmente Fantástica a Postagem

    • Don Costa  Disse:

      Muito obrigado pelo comentário, amigo Buzao.
      Participações como a sua são um grande estímulo para que possamos continuar com o constante trabalho de compartilhar estas remasterizações, contribuindo para a preservação destes arquivos e, consequentemente, viabilizar sua disponibilidade às gerações futuras.
      Forte abraço.

  • bruno phernandes  Disse:

    Cara, esse post é sensacional! Considero ele um dos mais fantásticos do site juntamente com os do Rambo, Star Wars, Indiana Jones e Jurassic Park. Tava enrolando pra baixar, pois nunca vi o filme.
    Tive que vir te agradecer por fazer um trabalho tão bacana. Pelo seu tempo.

    MUITO OBRIGADO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    • Don Costa  Disse:

      Bom dia, Bruno.
      Sou eu quem te agradeço por disponibilizar seu tempo para prestigiar minha postagem e também o site.
      Mas agora eu fiquei curioso. Você disse que nunca viu o filme. Logo, não se trata de um fã da obra. Neste caso, o que exatamente te agradou na postagem a ponto de fazer um comentário nela? Os conteúdos extras? As informações dos bastidores? A forma como as informações são colocadas na postagem?
      Sua opinião é muito importante para que possamos sempre aprimorar o compartilhamento de conteúdo do site, proporcionando uma experiência de interação entre os marujos de forma cada vez mais agradável e benéfica à grande comunidade que é o Tela.
      Novamente muito obrigado pelo comentário.
      Um grande abraço para você.

      • bruno phernandes  Disse:

        É que além de fã de cinema, eu gosto muito de dublagem. Ver que você conseguiu unir a dublagem clássica retirada de um VHS e a Redublagem feita para DVD/Blu-Ray, disponibilizando as DUAS pra serem apreciadas no arquivo do filme, é fantástico! Essa comunidade toda é um paraíso, pra mim. Pois muito do que encontramos aqui, passou na televisão 10 anos atrás, e, se não fosse os Uploaders deste blog, como você e tantos outros, nunca poderíamos apreciar essas obras com sua dublagem clássica novamente.
        Eu sou leigo no sentido de edição, então fico maravilhado quando vejo que alguém conseguiu extrair o áudio do VHS e fazer uma RMZ em 1080p, como por exemplo o Mortal Kombat que está disponível no blog, também. O seu post de Star Wars é algo INACREDITÁVEL, amigo. Eu pensei que morreria sem ver a trilogia clássica com sua primeira dublagem, mas graças a você, posso assistir quando e quantas vezes quiser. Posso citar também, como exemplo de trabalhos impecáveis, nosso amigo Edfilmes pelo trabalho realizado com os filmes do Rambo. Foi graças ao Rambo II que encontrei o Tela de Cinema e pude colaborar com um filme que possuía uma rara dublagem, como “O Mundo de Andy”. A graça é que todos possam ter acesso! Esse material todo merece muito ser apreciado por quem é fã, tem interesse. E se as distribuidoras dos filmes não se atentam muito a isso, eu serei eternamente grato a você a todos os amigos Uploaders deste blog tão fantástico.
        Compreendeu? =)

        • Don Costa  Disse:

          Compreendi, amigo Bruno.
          E posso dizer que você está no lugar certo. O Tela é um dos poucos locais na rede que possui um número de colaboradores abnegados tão grande. Você mesmo é um exemplo disso. Colaborar sem exigir contrapartida é algo difícil de encontrar fora dessa comunidade.
          Agradecemos muito a sua colaboração, que ajuda a enriquecer ainda mais o acervo do Tela.
          E fique de olho na página inicial. Em breve enviarei novas remasterizações exclusivas para compartilhá-las aos amigos marujos desta belíssima comunidade.
          Novamente, muito obrigado pelas palavras simpáticas dirigidas ao meu trabalho.
          Tenha um bom domingo.

  • maiconmaxf  Disse:

    Ola amigos. A parte 16 do arquivo mario esta com problemas, faz 3 dias que nao consigo baixar. Podem verificar por favor?

    • Don Costa  Disse:

      Boa noite maiconmaxf!
      O Mega está apresentando problemas desde que passou a restringir o fluxo diário de downloads. mas estes problemas aparecem quase que exclusivamente durante os downloads via navegador. Recomendo que utilize gerenciadores de download como o JDownloader ou o Mipony para baixar arquivos do Mega. Eles miniminizam os problemas do servidor chegando à eliminá-los por completo em alguns casos.
      Qual problema exatamente a parte 16 está acusando? Aqui estou testando a parte 16 e ela etá baixando normalmente. Vai demorar um pouco para completar o download por que minha internet é lenta. Por enquanto dá para afirmar que ela está on line e baixando com velocidade normal. Mas eu estou usando o gerenciador JDownloader.
      Também sugiro que abra uma conta no Mega e cadastre estes dados no gerenciador que for utilizar. Isso também ajudará à diminuir as restrições de download.
      Por favor, avise-nos assim que conseguir baixar o arquivo.
      Caso necessite de mais informações é só pedir.
      Abraços.

      • maiconmaxf  Disse:

        Boa tarde.

        Estava tentando baixar pelo Chrome. Usava o gerenciador do mega. Vou tentar baixar a parte 16 pelo j downloader.

        Obrigado.

  • LIBINO  Disse:

    Olá DOM COSTA, eu queria te parabenizar também por esse excelente trabalho nessa triologia, eu já baixei muito RMZ’s por ai, já fiz muitos também com os quais eu próprio me admirei em relação a alguns resultados, as vezes coisas improváveis e muito trabalhosas, mas, que consegui, mas eu nunca vi nada igual em matéria de qualidade de som como você e o pessoal envolvido nessa edição fizeram.
    Quando rodei o filme no meu blu-ray conectado ao home teather eu fiquei de boca aberta comparando a qualidade sonora dos efeitos de uma trilha realmente em 6 canais.
    Não sei o que dizer, esse trabalho me inspirou!, tenho muitos vhs e rmz’s aqui que já estou pensando em transformar em 5.1.
    Ha um tempo fiz um trabalho com o filme highlander com a dublagem clássica e achei que foi meu melhor trabalho em termos de associar um mp3 com o aúdio original, em relação a cortes da tv que a gente tem que se virar pra na hora não ser um choque de realidade, mas, agora eu acho que com essa idéia posso melhorar aquele meu trabalho.
    Obrigado por isso, não poderia de modo algum passar sem elogiar vocês, embora o meu parabéns seja só uma pequena voz no meio da multidão.
    EXCELENTE TRABALHO!, O FILME QUE EU MAIS GOSTO, COM O MELHOR RMZ QUE EU JÁ VI!, PERFEITO!!!!

    • Don Costa  Disse:

      Muito boa noite, Libino.
      Histórias como a sua me dão ainda mais motivação para continuar postando estes projetos gigantes. Eles são muito mais trabalhosos que uma postagem padrão e demandam um tempo muito maior para serem concluídos, mas a satisfação de um fã da obra ao encontrá-la com uma qualidade que não existe em nenhum outro lugar não tem preço. A sua felicidade em assistir ao seu filme favorito com a dublagem clássica em uma qualidade excelente só não é maior que a minha em proporcionar-lhe estes momentos. E esse é um sentimento compartilhado por todos os marujos do Tela. Criam e postam por paixão pelo cinema e por respeito aos fãs.
      Saber que meu trabalho está servindo de inspiração para alguém é ainda mais especial, pois não esperava tamanha repercussão em um filme facilmente encontrado, inclusive aqui no Tela, utilizando uma técnica em que sequer sou pioneiro. Há muitas outras remasterizações no site com uma qualidade tão boa quanto, ou melhor do que a minha.
      A sua surpresa perante a qualidade do áudio desta postagem talvez se deva pelo fato de você ter encontrado arquivos de má qualidade em outros sites. Eu mesmo já encontrei áudios de seis canais falsos em diversos sites. Geralmente estes péssimos remasterizadores utilizam dois artifícios para criar tais áudios. Ou eles copiam o mesmo canal 5 vezes, criando um áudio com seis canais exatamente iguais, ou simplesmente criam mais quatro canais sem áudio nenhum e os adicionam ao áudio stéreo.
      Só existe uma forma de se criar um áudio de seis canais reais a partir de um áudio stéreo com programas e equipamentos amadores como os nossos. É a técnica da inserção, onde o áudio stéreo é transformado em canal mono e inserido como canal central de um áudio em seis canais originais, sendo editado posteriormente. Todos os remasterizadores do Tela utilizam essa técnica, por isso as remasterizações do site tem essa excelente qualidade.
      Eu também sempre tomo o cuidado de alterar o mínimo possível os canais originais, editando somente as partes onde existam vozes na língua nativa, além de trazer para o canal central introduzido a maior quantidade de informações do canal central original possível. Ao final do processo, todas as características do áudio original, como taxa de amostragem, bitragem, codificação, etc, devem ser preservadas ao se renderizar o novo áudio, garantindo a mesma qualidade do original para a remasterização. Foi por isso que você percebeu na dublagem em seu home theater, a mesma qualidade de som do áudio original.
      Eu te agradeço muito pelas palavras de incentivo ao nosso trabalho e te convido a se juntar à nossa grande família do Tela de Cinema para compartilhar conosco as suas remasterizações. Tenho certeza de que muitos fãs dos filmes que remasterizar ficarão gratos por você compartilhar o resultado do seu trabalho, quem sabe também inspirando outros marujos com suas criações.
      Muito obrigado pelo comentário.
      Um forte abraço pra você.

  • dantweet  Disse:

    Cara, sem palavras para agradecer. Eu tenho a edição em bluray com 4 discos, mas a ausência da dublagem clássica BKS sempre fez falta.
    Eu já tinha os MKV 1080p com as dublagens clássicas, mas recentemente encontrei esse seu post, o qual usei apenas os áudios BKS e a qualidade da sua remasterização é incrível.
    Você deveria trabalhar nessas replicadoras e distribuidoras de bluray no Brasil, que só fazem caca. A qualidade ficou excelente.
    Parabéns pelo seu belíssimo trabalho com os 3 filmes da trilogia. Ficou impecável.
    Sucesso!

    • Don Costa  Disse:

      Muito boa tarde, Dantweet.
      A dublagem brasileira é reconhecidamente uma das melhores do mundo, com profissionais talentosíssimos cujos trabalhos imprimem uma marca indelével nos personagens que são dublados. Anos depois, ao assistirmos a esses mesmos personagens dublados por outras vozes, levamos um choque. A despeito do enorme talento dos dubladores e das técnicas cada vez mais modernas aplicadas nas redublagens, a nossa memória afetiva marcada pela dublagem anterior nos faz rejeitar instantaneamente essa nova dublagem aplicada à estes mesmos personagens. Os motivos para se redublarem os filmes são muitos, e vão desde impossibilidades técnicas até problemas com a complexa legislação brasileira relativa à direitos autorais. São comuns notícias sobre processos movidos por atores, dubladores e familiares (nos casos em que os profissionais já faleceram) contra as empresas detentoras dos direitos, quando não concordam com os valores relativos aos pagamentos pela reexibição da obra ou lançamento em outra mídia.
      Evidentemente, também existe a questão da incompetência e o desrespeito das empresas para com o público em alguns casos.
      Todos estes pontos fazem com que as empresas optem por criar uma dublagem totalmente nova ao lançarem a obra em novas mídias, deixando de lado aquela dublagem clássica de que tanto gostamos. E é aí que entra o Tela de Cinema.
      No caso específico desta trilogia acredito que a questão não seja técnica, pois se eu que sou um amador utilizando programas e equipamentos amadores consigo uma remasterização que pode ser considerada boa, um profissional com programas e equipamentos profissionais pode restaurar uma dublagem criando um arquivo em seis canais tão perfeito quanto o original.
      Mas não importa o motivo alegado para criarem uma redublagem. Nós sempre teremos os marujos do Tela de Cinema encontrando, resgatando, restaurando e compartilhando aquelas dublagens que ficaram marcadas na nossa memória.
      Muito obrigado pelas palavras simpáticas ao meu trabalho e ao nosso site, essa comunidade de apaixonados pela sétima arte que é o Tela de Cinema.
      Um grande abraço pra você.

  • nelito  Disse:

    boa tarde!
    amigo seu trabalho e muito bom,baixai de volta para o futuro opcao reduzida mais a parte 10 da erro,obs: baixei nos 3 navegadores,o DPF 2 tambem da erro na hora de extrair. obrigado

    • Don Costa  Disse:

      Boa tarde, Nelito.
      Qual erro é mencionado durante a extração? O erro acontece tanto nos arquivos do Pcloud quanto nos do Google Drive?
      Verifiquei aqui e os links continuam ativos, além de terem sido baixados centenas de vezes sem problemas.
      Então o problema ocorreu durante o seu download.
      Vários servidores estão apresentando problemas com os navegadores atuais.Eu sugiro que sempre utilize gerenciadores de download para baixar estes arquivos e nunca o faça pelos navegadores. Um dos gerenciadores mais confiáveis é o JDownloader, que é leve, gratuito e facilmente encontrado na rede.
      Mas antes de baixar a parte problemática novamente, tente recuperá-la com o método descrito no tópico “EM CASO DE ARQUIVO CORROMPIDO” encontrado logo acima dos screens na postagem.
      Caso não consiga resolver a questão utilizando os métodos acima, por favor envie-nos mais informações para tentarmos ajudá-lo.
      Abraços.

  • MarcelloQuintela  Disse:

    Muito obrigado Don Costa! Aproveitei este final de semana a baixei a trilogia toda e os extras também!!! Muito Obrigado!!!

    OBS: Aqui comigo não deu nenhum erro na hora de extrair os arquivos. 🙂

    • Don Costa  Disse:

      Como vai, Marcello?

      Sou eu quem te agradeço por prestigiar a minha postagem e o nosso site. Espero que o resultado destas remasterizações te agrade tanto quanto à mim.

      Obrigado, também, por informar que conseguiu extrair tudo sem erros.

      Abraços.

  • Matheus  Disse:

    Muito obrigado também pelo texto super informativo e pela lista de fontes no fim dele. Fiquei perplexo ao ler que o roteiro teve que ser analisado por gente do governo pra terem certeza que era respeitoso ao presidente! coisa de ditadura! lembra-se em qual dessas fontes há essa passagem????

    • Don Costa  Disse:

      Boa noite Matheus.

      Eu sempre faço uma extensa pesquisa sobre os filmes na maioria das minhas postagens, quase sempre utilizando fontes internacionais, por serem mais confiáveis. Mas esta postagem foi publicada, originalmente, há exatamente um ano, e eu não me lembro mais em quais fontes são encontradas cada uma das informações. Eu teria que pesquisar novamente.

      O rigor da Casa Branca pode parecer muito forte, mas é necessário contextualizar a questão. Ao contrário do que acontece aqui no Brasil, políticos americanos são muito valorizados pela população (também é lógico que lá eles dão motivos para isso). Presidentes, então, são considerados semi-deuses, principalmente naquela época da guerra fria. Também deve ser considerado que, na época de lançamento do filme, Reagan ainda estava no cargo e, a despeito da liberdade de expressão que também é sagrada por lá, há leis que resguardam a imagem do presidente em exercício. Esse é um dos motivos pelos quais quase sempre os filmes que mostram o presidente em exercício utilizam um personagem fictício.

      Mas somente algo muito grave vetaria este trecho do roteiro. Geralmente a Casa Branca apresenta sugestões de mudança, o que por si só pode indicar para o público que o filme não está sendo correto com seu amado presidente, refletindo negativamente nas bilheterias.

      Quer ver uma sugestão para um filme aumentar as chances de obter sucesso por lá? Fale muito, mas muito bem do seu amado presidente, por pior e mais incompetente que ele seja (sim estou me referindo à George W. Bush).

      A população também é rigorosa quanto à fiscalização do uso do dinheiro público por lá, incluindo-se aí os salários pagos aos políticos. Se o presidente está no cargo, mesmo sendo ator, ele não deve perder seu tempo atuando em um filme, não importa que seja numa pequena ponta e nem se for durante as suas férias. A população cobra atuação em tempo integral de seus representantes. Você pode estar de férias do gabinete, mas deve estar pensando 24 horas nas melhorias a serem apresentadas á nação.

      Recentemente tivemos um exemplo de como isso é levado à sério. Arnold Schwarzenegger foi convidado para fazer uma pequena aparição no filme “O Exterminador do Futuro 4 – A Salvação” (2009). Na época ele já era governador da Califórnia e chegou a pensar em aceitar o convite. Imediatamente seus assessores o convenceram não só a não aceitar o convite como exigir que os produtores do filme incluíssem nos créditos finais um aviso de que o governador não participou das filmagens, pois esse fato (participar de outra atividade profissional durante o exercício do mandato) poderia significar o fim de sua carreira política. O filme realmente foi lançado com o aviso no final de que todas as imagens de Schwarzenegger no filme vieram de imagens de arquivo manipuladas em computador, e que o governador não participou de nenhuma das cenas da produção.

      Tem algumas coisas que poderíamos aprender com o povo americano.

      Muito obrigado por comentar.

      Forte abraço.

  • Wells  Disse:

    Venho aqui agradecer muito pelo POST completo deste maravilhoso clássico, e venho avisar que os links do Bastidores- Histórias do Futuro Parte 1 e Nos Bastidoes da Trilogia Parte 1 estão offline, fico no aguardo para reup dos arquivos!

    • Don Costa  Disse:

      Boa tarde, Wells.

      O servidor “Meocloud” encerrou suas atividades no dia 17 de Outubro e todos os arquivos que ainda se encontravam lá foram deletados. Eu passei as últimas semanas baixando e reupando os meus arquivos que estavam hospedados neste servidor, que eram muitos, mas não consegui completar a tarefa a tempo. Eu tenho mais de 1 Terabyte de arquivos de mais de uma centena de postagens (a maioria ainda não foi postada no Tela) distribuídos em dezenas de servidores. Então eu preciso fazer um levantamento em meus registros para saber quais arquivos não foram transferidos antes de serem apagados. Para piorar, o “4shared” está apagando vários de meus arquivos e outros servidores com os quais eu trabalhava estão encerrando as atividades, como o “Copy”, “Adrive” e o próprio “Meocloud”.

      Mas eu já consegui localizar estes arquivos aqui entre os meus back-ups e já estou reupando. Acredito que até amanhã eles já estarão disponíveis nos servidores “Userscloud” e “Filefactory” e a postagem estará atualizada. Vamos ver por quanto tempo estes servidores permanecerão no ar.

      Muito obrigado por avisar sobre os links, Wells. Apesar de parecer algo simples de ser notado, a confecção de cada postagem exige uma grande mão de obra e muita atenção aos detalhes, sendo comum que deixemos passar algo vez ou outra.

      Um grande abraço pra você.

    • Don Costa  Disse:

      Os documentários “Bastidores- Histórias do Futuro Parte 1” e “Nos Bastidoes da Trilogia Parte 1” já foram reupados e estão disponíveis para download.

      Abraços e um bom domingo para todos.

  • MENEGATTI  Disse:

    Prezado Don Costa, como amante de filmes antigos, busco sempre dublagens clássicas com a melhor imagem possível(já me aventurei com rmzs, mas a falta de tempo não permite mais), e nesse caso do BTTF, guardo tudo que consigo achar(extras, e versões possíveis…), e mesmo ainda não tendo assitido essa sua edição, já percebi que ficou excelente. Pelo seu capricho, e pelo tempo dedicado(acredite, sei que não foi pouco), quero lhe parabenizar e agradecer por manter vivo todos esses filmes que vem restaurando. Grande abraço, muita força e paz pra voce!

Deixe uma resposta