CORAÇÃO DE DRAGÃO (Dual áudio / 1080p) – 1996

DRAGONHEART – 1996
AÇÃO – AVENTURA – FANTASIA
DIREÇÃO: Rob Cohen
ROTEIRO: Patrick Read Johnson, Charles Edward
IMDb: 6,4
http://www.imdb.com/title/tt0116136/

RMZ (DUAL ÁUDIO /1080p) – DUBLAGEM DELART 5.1 + VERSÃO REDUZIDA + TRILHA SONORA

Postado por Don Costa

VERSÃO MAIOR
Formato: MKV
Qualidade: BRRip – 1080p (1920*816) 2.35:1, AVC, 23976 FPS, Taxa de Bits variável de 8.353 Kbps até 40.000 Kbps.
Tamanho: 7,02 GB
Duração: 102 min.
Legendas (SELECIONÁVEL): Português / Inglês
Áudios (SELECIONÁVEL):
Português RMZ (Dublagem Delart 5.1) – 48,0KHz, DTS, 6 canais, 24 bits, 768kbps.
Inglês 5.1 – 48,0KHz, AC3, 6 canais, 16 bits, 640kbps.
Servidor: Mega (dividido em 30 partes)
Remasterização e postagem: Don Costa

VERSÃO REDUZIDA
Formato: MKV
Qualidade: BRRip – 1080p (1920*816) 2.35:1, AVC, 23976 FPS, 1200Kbps.
Tamanho: 1,87 GB
Duração: 102 min.
Legendas (SELECIONÁVEL): Português / Inglês
Áudios (SELECIONÁVEL):
Português RMZ (Dublagem Delart 5.1) – 48,0KHz, DTS, 6 canais, 24 bits, 768kbps.
Inglês 5.1 – 48,0KHz, AC3, 6 canais, 16 bits, 640kbps.
Servidor: Copy (dividido em 08 partes)
Remasterização e postagem: Don Costa

PASTA VERSÃO MAIOR (MEGA – 30 PARTES): CORAÇÃO DE DRAGÃO (VERSÃO MAIOR)

PASTA VERSÃO REDUZIDA (COPY – 8 PARTES): CORAÇÃO DE DRAGÃO (VERSÃO REDUZIDA)

LINK – AMOSTRA DUBLAGEM

LINK – TRILHA SONORA (MP3 – 113MB)

EM CASO DE ARQUIVO CORROMPIDO:

Atualmente eu envio meus arquivos com dados para recuperação embutidos nos mesmos, para poderem ser recuperados em caso de erros durante o download. Esse sistema de recuperação repara pequenos erros em arquivos corrompidos, deixando-os em condições de serem descompactados.
Para executar essa recuperação faça o seguinte:
Abra somente a parte corrompida no winrar. Digamos que seja, por exemplo, a parte 02 do arquivo menor.
Clique na aba “Ferramentas” e depois em “Recuperar arquivos”.
Selecione o local para salvar o arquivo e clique em “Ok”.
Aguarde o final do processo. O programa criará um arquivo recuperado com um nome semelhante à esse: “fixed.CdD1996BR1080DÁRMZDCVR .part2.rar”.
Exclua a parte 02 original com problemas, renomeie esse arquivo recuperado para “CdD1996BR1080DÁRMZDCVR .part2.rar” e coloque-o na mesma pasta com as demais partes.
Descompacte normalmente. Geralmente essa ação resolve o problema.
Quando tiver algum problema com arquivos compactados no futuro, tente recuperá-los dessa forma. Lembrando que esse método de correção só funciona se o arquivo for criado com esses dados de recuperação embutidos e se os problemas com os arquivos forem pequenos.
Caso o problema persista, faça novamente o download dessa parte, evitando utilizar a internet para qualquer outra coisa durante o download. Se mesmo assim o erro persistir, avise-nos que eu upo a parte problemática novamente.
Abraços.

NOTA – Informações sobre os arquivos:

Foram gerados dois arquivos para esta postagem. Um maior com 7,02 Gb e outro menor com 1,87 Gb. Ambos têm dois áudios e a única diferença entre eles é a bitragem de vídeo. As qualidades das imagens são muito parecidas, porém as diferenças ficam evidentes quando assistidas lado a lado em uma tv de alta definição. Para quem tem equipamentos de ponta, recomendo que baixe o arquivo maior. Também envio a trilha sonora do filme.

A Trilha Sonora:

01. The World of the Heart (Main Title)
02. To the Stars
03. Wonders of an Ancient Glory
04. Einon
05. The Last Dragon Slayer
06. Bowen’s Ride
07. Mexican Standoff
08. Draco
09. A Refreshing Swim
10. Re-Baptism
11. Bowen’s Decoy
12. Kyle, the Wheat Boy
13. The Connection
14. Flight to Avalon
15. Finale

Lançada juntamente com o filme, a trilha sonora possui toda a composição de Randy Edelman disponibilizada para a produção, inclusive as que tiveram apenas alguns trechos utilizados ao longo da projeção. Essa trilha alcançou um sucesso comercial imediato, ao ponto de ter algumas de suas músicas reutilizadas em outros filmes, programas e comerciais para TV. Tem um Tamanho total de 113 MB e está no formato MP3.

No século X, durante uma revolta de camponeses, o rei, um terrível tirano, morre nos combates. Seu filho, um jovem príncipe, presencia tudo, além de ser gravemente ferido. A rainha, vendo o estado do filho, invoca o poder mágico de um dragão para salvá-lo, mas este só concorda em socorrê-lo dividindo o seu coração quando o príncipe jura que será bom e justo. No entanto, ele se torna um rei mais perverso que o pai e um jovem cavaleiro acredita que foi o coração do dragão que modificou o príncipe. Assim, decide eliminar todos os dragões, mas quando falta apenas um para ser morto o cavaleiro passa a ter uma visão real dos fatos.












Informações sobre o filme:

A idéia de se fazer “Coração de Dragão” surgiu primeiro com Patrick Read Johnson em 1990, mas o projeto chegou nas telas dos EUA apenas em 1996, pois a pré-produção foi longa e difícil. O roteiro foi escrito por Charles Edward Pogue (“A Mosca” – 1986), ainda em 1990, e seria a estréia de Johnson como diretor, mas, como geralmente acontece nestes tipos de filmes (configuração antiga e alto orçamento), a Universal não quis dar este projeto para um iniciante, engavetando-o por anos. Em seguida, Richard Donner (Quadrilogia “Máquina Mortífera” – 1987 / 1998) chegou, e tentou fazer o filme pensando em Harrison Ford como Bowen, mas ele também tornava o projeto demasiado caro. O filme estava prestes a não ser realizado, até uma personalidade do cinema entrar em cena: Raffaella De Laurentis (filha do famoso produtor Dino De Laurentis) que, com sua inventividade italiana, assumiu a produção e tomou uma importante decisão: em vez de se fazer o filme nos EUA, eles poderiam filmá-lo na Eslováquia, onde alugar um set de filmagem custaria 600 dólares por dia, ante os 6.000 dólares cobrados na América. Em seguida, eles poderiam economizar ainda mais utilizando os trabalhadores locais para construir os cenários e manter a maior parte do orçamento para os complexos efeitos visuais durante o período de pós-produção. Assim eles começaram as filmagens com o diretor Rob Cohen, que acabara de ser notado pelo seu grande “Dragão – A História de Bruce Lee” (1993).


Raffaella De Laurentis, em foto dos anos 90, e com o pai, Dino De Laurentis. Produtora italiana salva o projeto.

O filme foi rodado entre julho e dezembro de 1994, no maravilhoso cenário natural da Eslováquia e nos Studios Koliba, em Bratislava, onde foram criados os quartos e os pátios do castelo, além das cavernas que aparecem no filme. Apesar de ser uma cena ao ar livre, não existia uma caverna real com cachoeira para ser utilizada como locação na cena em que Draco aparece inteiramente pela primeira vez. Ela teve que ser montada nos sets.


Caverna e cachoeira artificiais ficaram bem realistas no filme.

Os trabalhos nos sets eram bastante complexos e precisavam ser muito precisos, pois o personagem principal seria inserido somente no pós-produção, marcando presença nos sets por meio de marcas, modelos em escala real e hastes com duas bolas de tênis ou outras esferas, representando os olhos de Draco, sendo as únicas referências guiando os atores para que olhassem para o ponto certo.


Modelos em tamanho real (no alto) ou simples hastes com esferas (acima). A complexidade de se filmar com um personagem virtual.

A terra por onde Draco passava também tinha que ser batida, indicando os seus passos, a água tinha de ser desviada pelo ponto que ele estava passando e tubos de gás instalados no chão eram ligados no momento certo para disparar as enormes chamas. Depois, sobre a cabeça dos atores, um pequeno avião passava voando com uma câmera especial filmando do ponto de vista de Draco através de fumaça e fogo. O único consolo para os atores foi o acompanhamento constante da voz pré-gravada do Sean Connery, que recitou, com extremo talento, as falas de Draco.


A voz de Sean Connery (esquerda) era a única marca real de Draco nos sets de filmagens, onde os atores contracenavam com maquetes e máquinas (direita).

Em algumas cenas, interações entre Draco e os demais personagens seriam necessárias. Para tais tomadas, maquetes e animatrônicos foram construídos em substituição ao personagem digital. A precisão dos detalhes nos modelos, assim como nos mecanismos que criavam seus movimentos, tornava críveis até as tomadas em close mais próximo.


Modelos e animatrônicos completaram a ilusão de um dragão real de forma bastante convincente.

Durante os dois anos seguintes, a ILM (Industrial Light & Magic) trabalhou intensamente para a criação de Draco, com a supervisão de Phil Tippet (pai dos dinossauros de “Jurassic Park” – 1993), que primeiro decidiu a morfologia do dragão, a sua dimensão em cena e sua interação com os outros personagens. Depois de um longo trabalho durante cinco meses, finalmente a escultura completa foi colocada sob um scanner 3d e em estações SGI. Então, 96 animadores e técnicos trabalharam nos 43.000 quadros (cerca de 30 minutos de projeção), onde um dragão real pode ser visto na tela.


A escultura básica, a marcação no local da filmagem e a criação do dragão virtual. Três estágios dão vida ao personagem na tela.

O maior problema no pós-produção foi sincronizar a voz de Connery ao movimento dos lábios de Draco, pois era uma coisa nova: depois de renunciar à ideia de Motion Picture (animar o rosto quadro a quadro) cujos resultados eram imperfeitos, eles usaram um programa de sincronização (Lip-sinc) criado para esse filme. Este software permitiu-lhes copiar, a partir de muitos filmes, expressões e atitudes de Connery, imprimindo-os ao rosto de Draco, fazendo-o expressar todas as emoções (alegria, raiva, tristeza, etc.), e deixando o personagem bastante realista. Além dos filmes, mais de 200 fotos foram tiradas de Connery com uma variedade de expressões faciais, que, juntamente com as filmagens e sua gravação de voz, deixaram Draco com uma forte semelhança ao ator. Para eles também foi difícil adicionar o CGI no filme (composição): eles não podiam esquecer coisas importantes como a dimensão real dos atores, a dinâmica da cena (adicionando alguns pequenos detalhes que não podiam ser adicionados durante as filmagens), e todos os movimentos tinham de ser realistas. A pós- produção consumiu a maior parte do orçamento total do filme, mas foi o estágio que utilizou o maior número de técnicos e o que teve a maior quantidade de horas de trabalho. O filme passou quinze meses no pós-produção depois de cinco meses de filmagens na Eslováquia.


Com o uso do software desenvolvido para “Jurassic Park” (1993), a pós-produção consumiu a maior parte do orçamento do filme.

“Coração de Dragão” já estava em pré-produção em 1992, quando a Jim Henson’s Creature Shop foi contratada para criar o dragão. Como a sua oficina em Downshire Hill, Londres, não era grande o suficiente para construir a criatura, a Creature Shop teve que se mudar para Camden Town. Eles construíram uma cabeça de dragão em tamanho real completa e um fantoche animatronic de dragão na escala de 1:4. Logo depois o filme foi colocado em espera, e tudo o que resta do trabalho da Creature Shop são alguns quadros de filme de teste.

De acordo com uma entrevista na IGN, os produtores originalmente lançariam Liam Neeson no papel de Bowen, mas o estúdio não achou que o público iria comprá-lo como um herói de ação. Harrison Ford, Mel Gibson e Patrick Swayze também foram considerados para o papel de Bowen. À Robin Williams também foi oferecido o papel de Bowen, mas ele estava mais interessado em interpretar Draco.


Liam Neeson, Harrison Ford, Mel Gibson, Patrick Swayze, Robin Williams e Dennis Quaid. Todos cotados para o papel que acabou ficando com Quaid.

Rob Cohen, assim como o próprio Dennis Quaid, queria que a esgrima do ator tivesse um estilo oriental. Dessa forma foi contratado, para treiná-lo, o dublê, espadachim e ator Kiyoshi Yamasaki (1933 – 2013), com trabalhos em “Duna” (1984) e na duologia “Conan” (1982 – 1984). Apesar de todo o treinamento, Dennis Quaid quebrou um dedo em um duelo com David Thewlis, obrigando-o a passar as duas últimas semanas de filmagens com o dedo engessado.


O mestre Kiyoshi Yamasaki deixou sua marca no filme.

Trechos da trilha sonora têm sido utilizados em dezenas de trailers de filmes e até mesmo em uma projeção especial no Oscar de 1997. O tema principal foi usado também como música incidental durante a cerimônia dos Jogos Olímpicos de 2004 nos EUA.

Rob Cohen afirmou que estava procurando por uma atriz que fosse “forte e alguém que poderia, no final, cuidar de si mesma, tendo uma aparência viking e um olhar crível.” Para o papel de Kara, Dina Meyer (Tropas Estelares – 1997), que foi a segunda atriz entrevistada por Cohen, foi a escolhida pelo diretor.


Dina Meyer em foto atual (esquerda), como Kara (centro) e durante as filmagens, recebendo orientações do diretor.

Os nomes dos cinco “matadores de dragões” são Uhlric, Cavan, Ivor, Tavis, e Trahern, de acordo com a novelização do filme escrita pelo roteirista Charles Edward Pogue. Porém eles não foram nomeados no filme. Além disso, apesar de desempenharem um papel muito importante na história, nenhum dos atores que os interpretaram estão listados nos créditos finais ou em quaisquer sites oficiais sobre a produção.


Importantes no roteiro mas esquecidos nos créditos finais, identidade dos atores “matadores” também não é informada nos sites oficiais.

Rob Cohen lançou Pete Postlethwaite (O mundo Perdido: Jurassic Park – 1997) com base em seu desempenho em “Em Nome do Pai” (1993), sentindo que “alguém tão competente em um papel dramático poderia interpretar o irmão Gilbert e torná-lo real e, ao mesmo tempo, encantadoramente engraçado”. Já David Thewlis (Harry Potter e a Ordem da Fênix – 2007) chamou a atenção do diretor por seu desempenho em “Nu” (1993), afirmando que “o que faz um vilão assustador é o seu cérebro, não a sua força”.


Pete Postlethwaite (esquerda e centro) e David Thewlis (direita). Atuações em filmes anteriores foram determinantes para conseguirem os papéis.

Fontes: Imdb.com, aveleyman.com, dragonheart.wikia.com, irishcentral.com, cineplex.com, ivid.it, kit-west-spfx.com, britannica.com, fanpop.com, starpulse.com e deadline.com.

Dennis Quaid … Bowen
David Thewlis … King Einon
Pete Postlethwaite … Gilbert of Glockenspur
Dina Meyer … Kara
Jason Isaacs … Lord Felton
Brian Thompson … Brok
Lee Oakes … Young Einon
Wolf Christian … Hewe
Terry O’Neill … Redbeard
Eva Vejmelková … Felton’s Minx

# país: EUA
# duração original: 103 min.
# produção: Universal Pictures…
# distribuidora: Universal Pictures…

23 comentários para CORAÇÃO DE DRAGÃO (Dual áudio / 1080p) – 1996

  • Uilian  Disse:

    Adoro esse filme, parabens Don Costa por esse otimo trabalho, brigadão

  • Don Costa  Disse:

    Oi Uilian.
    Esse filme tem uma história muito bonita e emocionante.
    É um dos melhores exemplares de filmes que exploram as metáforas da “beleza interior” e “amizade verdadeira”.
    Os atores estão excelentes e convencem em seus papéis. E a voz inconfundível de Sean Connery marca mais do que a presença de vários atores medíocres juntos em alguns filmes.
    Miguel Falabella mantém a mesma qualidade de Sean na dublagem.
    Um filme para ver, guardar e rever muitas vezes.
    Obrigado pela mensagem.
    Grande abraço.

  • Elivan  Disse:

    A quarta 4º parte ta incompleta?
    Não to conseguindo baixar, tentei pelo jdownload com uma conta grátis e sempre q o download estar perto de terminar o download para, tentei baixar pelo normal através do navegador e baixou só 496mb!!

    • Don Costa  Disse:

      Bom dia Elivan.
      Acabei de baixar a parte 4 aqui. O arquivo está normal.
      O que acontece é que o 4shared piorou muito em relação ao ano passado. Agora, mesmo em gerenciadores de download, ele não completa o download se a conexão for interrompida, mesmo que momentaneamente. Além disso existe uma limitação de downloads da ordem de 3GB por dia. Ele também apresenta certa instabilidade com gerenciadores que antes eram perfeitamente compatíveis.
      Eu fiz o download do arquivo utilizando o JDownloader2 e não tive problemas.
      Recomendo que baixe utilizando esse gerenciador e evite utilizar a internet para qualquer outra coisa até completá-lo.
      Futuramente atualizarei esta postagem com uma versão menor do arquivo (com até 2GB) para minimizar este problema.
      Avise-nos assim que conseguir completar o download.
      Abraços.

  • Elivan  Disse:

    Demorei mais consegui, vc quer q eu posto no mega e na minhateca, p vcs colocar como opções?

    • Don Costa  Disse:

      Oi Elivan.
      Vou agradecer muito a colaboração, pois tenho a internet lenta e estou sobrecarregado com novas postagens.
      Você pode upar e depois mandar as opções dos links para aqui mesmo nos comentários, mandar os links diretamente para os administradores do site, ou até criar uma nova postagem. Fique à vontade para escolher a melhor forma de envio.
      Obrigado pela ajuda.
      Grande abraço.

  • Elivan  Disse:

    amanhã eu coloco no minhateca!!

  • Nelson Barbosa  Disse:

    A part08 Coração de dragão, não está funcionando, arquivo não válido.
    Por Favor tem como arrumar?
    Obrigado!

    • Don Costa  Disse:

      Boa tarde Nelson.
      O 4shared indisponibilizou o arquivo sem motivo aparente. Esse servidor vem apresentando problemas desde o início deste ano e isso já aconteceu algumas vezes com arquivos meus. Por esse motivo eu estou deixando de utilizá-lo em minhas postagens. Eu não tenho mais as partes deste arquivo, então terei de reencodar compactar e reupar o filme novamente e isso vai levar alguns dias. Infelizmente, os novos arquivos não serão compatíveis com as partes que você já baixou e terá de baixá-los todos novamente. Caso prefira não esperar, você tem a opção de baixar o arquivo em tamanho único do servidor Mega que está on line. O Mega também está limitando os downloads gratuitos diários, mas se tiver paciência, poderá baixar utilizando gerenciadores de download como o JDownloader2. Esse gerenciador ficará tentando baixar o arquivo, conforme os limites forem liberados, até completar todo o download.
      Muito obrigado por avisar-nos sobre o problema.
      Abraços

  • lmgo  Disse:

    mt obrigado! grande filme.
    “Liam Neeson no papel de Bowen, mas o estúdio não achou que o público iria comprá-lo como um herói de ação.” hahahahaha
    sabem nada. sou fã desse cara desde q vi Darkman. rs

    • Don Costa  Disse:

      Pois é, Imgo. Mesmo com vários filmes na carreira já naquela época, inclusive como protagonista, os estúdios ficaram com medo de apostarem em seu talento.Na verdade, qualquer um dos listados acima tinha talento de sobra para assumir o papel. Mesmo Robin Williams, comediante nato, provou sua capacidade para interpretar os mais variados papéis em inúmeros trabalhos ao longo da carreira. Dennis Quaid fez um trabalho espetacular, mas não acho que os demais atores fizessem um trabalho pior.
      Como os estúdios são empresas que precisam gerar lucro, costumam ser bastante conservadores em suas escolhas e, às vezes, cometem injustiças como achar que o ator que viria a protagonizar “Star Wars – A Ameaça Fantasma” (1999) e “Busca Implacável” (2008) não seria aceito pelo público como um personagem de ação.
      Esses erros de avaliação são muito comuns e sempre aconteceram ao longo da história do cinema.
      Obrigado pelo comentário.
      Abraços.

  • lmgo  Disse:

    ja q é dual áudio, vem com legenda embutida, podendo selecioná-la ou não?
    ou tenho q procurar a legenda separadamente? e a mesma vai estar sincronizada corretamente?
    Sean Connery emprestando a voz pro dragão, essa eu vou querer ouvir.
    mt obrigado novamente!

  • wilian rocha  Disse:

    don costa este filme para mim é uns dos melhores dos anos 90,um classico obrigado muito obrigado

    • Don Costa  Disse:

      Boa tarde Wilian.
      O filme tem a simplicidade clássica das produções despretensiosas típicas dos anos 70, 80 e 90, onde mais importante do que propor uma discussão filosófica, política, comportamental ou o que for, é simplesmente contar uma história, com início, meio e fim bem definidos, além de personagens carismáticos. A despeito do grande orçamento em efeitos especiais, o filme segue a linha de títulos como “Curtindo a Vida Adoidado” (1986) ou ” Hook – A Volta do Capitão Gancho” (1991), muito mais interessados em divertir o público do que se tornarem uma obra de arte. Não são unanimidades para os críticos, mas possuem inúmeros fãs ao redor do mundo. Fãs que foram conquistados justamente pela capacidade desses filmes em contar uma boa história, apresentar personagens carismáticos e, principalmente, divertir.
      Muito obrigado por comentar.
      Abraços.

  • Cleia  Disse:

    Esse filme é muito bom, excelente postagem Don Costa .

    • Don Costa  Disse:

      Como vai, Cleia?
      De vez em quando o cinema nos surpreende com filmes que, aparentemente, não são grande coisa, mas que logo nos primeiros minutos de projeção nos prendem na poltrona, fixando-nos lá até os créditos finais. “Coração de Dragão” é um destes filmes. Com uma história cativante, um roteiro muito bem elaborado, uma direção precisa e um elenco afinado capitaneado pelo excelente Sean Connery, não tinha como não ser um sucesso. É uma pena que, novamente, as distribuidoras nacionais ignoram um grande filme a ponto de não lançá-lo em alta definição no Brasil. Se quisermos um bluray deste filme teremos de importá-lo da Alemanha, da Noruega, da Grécia ou até da Finlândia. Com um detalhe: entre as dublagens disponíveis nestes países encontra-se a da Delart (português – Brasil) remasterizada em 5.1 canais, conforme me informou o amigo Wagner S. e que, inclusive, é a que está disponível aqui na postagem.
      Pergunta: custava lançarem aqui esse mesmíssimo bluray a um preço acessível, uma vez que ele não precisaria ser modificado com nenhuma característica diferente daquelas já existentes no exterior, bastando importar os discos à preço de custo e redistribuí-lo na Brasil?
      Não sei com precisão qual é a política de impostos que regem as importações/exportações entre as empresas para trocarem seus próprios produtos entre elas mesmas, mas posso apostar que é muito menor do que o que eu pagaria para importar esse mesmo produto.
      Ainda bem que sites como o Tela de Cinema estão aí para preencherem esta lacuna.
      Muito obrigado por comentar em minha postagem.
      Um forte abraço pra você.

  • Luciano  Disse:

    Don Costa,eu sou seu fã!! Não o conheço pessoalmente, mas conheço seus trabalhos aqui no Tela de Cinema,acabei me tornando seu fã. Um filme magnífico para toda a família e poder apreciar-lo no conforto da sua poltrona… Gosto muito das suas postagens Don, pelo fato de ter um arquivo maior e um menor deixando à escolha das pessoas e por trazer informações curiosas sobre os bastidores do filme antes de passar na telona… Muito obrigado por trazer grandes obras cinematográficas com requintes maravilhosos… Eu fico muito feliz, sinceramente… Continue sempre assim, porque o seu esforço é prestigiado com certeza… Volto a dizer, sou seu fã… Espero que apareça mais e mais… Fica uma dica,caso queira… TITANIC OU EXTERMINADOR DO FUTURO 2.. Filmes que precisam aparecer aqui no tela feitos pelas suas mãos.. Muito Obrigado!!

    • Don Costa  Disse:

      Boa noite, Luciano.
      Fico feliz que meu pequeno passatempo tenha agradado tanto aos amigos do site. Sou apenas um discreto colecionador de blurays onde, dependendo do caso, faço os meus próprios discos quando não os encontro para venda com as características que procuro. Então, uma vez pronta a remasterização e o catálogo com as informações e extras, compartilho o resultado com os amigos do site. Assim, basicamente, procuro postar estes filmes para cobrir a falta destes lançamentos no mercado nacional, seja com uma imagem melhor ou com uma dublagem esquecida. Sinceramente, não esperava uma recepção tão boa das minhas postagens por parte dos marujos do Tela, uma vez que sou um remasterizador com pouca experiência no assunto, mas procuro fazer estes trabalhos com o máximo de cuidado e dedicação possíveis, já que muitos visitantes do site são fãs tão apaixonados por cinema quanto eu.
      O fato de ter sempre duas opções de tamanho para baixar vem do problema de que muitos ainda tem internet muito lenta, o que torna complicado baixar um filme com mais de 5GB, principalmente se a pessoa não tem um equipamento que vá desfrutar de tudo o que o arquivo oferece. Como o objetivo final é o compartilhamento abnegado de arquivos, procuro pensar em todos que gostariam de acessá-los, inclusive os que tem alguma limitação técnica para fazê-lo.
      Os filmes que citou já foram postados aqui no site, mas poderão entrar em uma lista futura de remasterizações quando eu puder adicionar novos elementos á estas postagens.
      Gostaria de te agradecer imensamente pelas palavras direcionadas ao meu trabalho, e informo que vou continuar com este hobby por um longo tempo, pois é divertido e me traz grande satisfação. Acredito que, enquanto o Tela de Cinema existir, estarei por aqui postando novos trabalhos algumas vezes por mês.
      Obrigado pelo comentário.
      Grande abraço.

Deixe uma resposta